Consultor Jurídico

Colunas

Interesse Público

Excesso de punição a atos de corrupção não favorece interesse público

Comentários de leitores

7 comentários

Nada demais.

João B. G. dos Santos (Advogado Autônomo - Criminal)

O artigo conquanto bem redigido analisa alguns diplomas legais e tira a sua conclusão. Penso haver um equívoco. A tutela rigorosa da corrupção sempre é necessária. Porém os efeitos desta tutela rigorosa devem cingir-se aos proprietarios ou administradores que deveriam prevenir a referida corrupção, preservando a atividade empresarial abrangendo-se os funcionários , fornecedores e tal; em suma, o próprio negócio. Porém e com todo o respeito faltou salientar que penalmente a criminalidade dourada é favorecida com penas brandas o que institucionaliza a corrupção que em determinados estamentos chega a ser folclórica. Logo, são necessárias algumas mudanças legislativas prestigiando a prevenção geral e a especial. É isso.

Pós doutorado em inversão de valores

Macaco & Papagaio (Outros)

Daqui a pouco esses pós doutores e titulares de subsídios +auxílios moradias vão defender a tese do "Excesso de punição a atos de estupro não favorece interesse público"...
É falta de assunto, descolamento da realidade ou desejo de orgia?

Pós doutorado em inversão de valores

Macaco & Papagaio (Outros)

Daqui a pouco esses pós doutores e titulares de subsídios +auxílios moradias vão defender a tese do "Excesso de punição a atos de estupro não favorece interesse público"...
É falta de assunto, descolamento da realidade ou desejo de orgia?

A primeira palavra do título já disse tudo...

Paulo Moreira (Advogado Autônomo - Civil)

"Excesso". Basta observar seu significado (https://www.dicio.com.br/excesso/ ) para concluir que ele não é nada bom para ninguém.

Parece algo primário, coisa de alfabetização. Todavia, é preciso explicar detalhadamente para que alguns poucos ignorantes compreendam.

Sim, "alguns poucos ignorantes". Pois via de regra, a maioria é "mal intencionada", mesmo.

PS: termo "ignorantes" utilizado na acepção de ausência de conhecimento, e não em sentido pejorativo.

Leitura fundamental

Cid Moura (Professor)

Para quem lê todo o artigo e não critica só pelo título.

Mas o que é isso, o que é isso, o que é isso?

Alex Mamed (Advogado Autônomo)

Eu não acredito no que li... estou pasmo... quando penso que já vi de tudo, eis que surgem os famosos isentões do tipo "não podemos deixar empresas corruptas quebrarem"... oras, que quebrem. Outras surgirão e serão obrigadas a desempenharem as atividades com ética, tornando o ambiente de negócios saudável.

Artigo

O IDEÓLOGO (Outros)

O artigo retrata o nosso caráter.
Parabéns ilustre Professora.

Comentar

Comentários encerrados em 18/08/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.