Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Novos caminhos

Para Temer, Raquel Dodge na PGR dará "rumo certo" à "lava jato"

Alvo de denúncias do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o presidente da República, Michel Temer, afirmou que as mudanças no comando da PGR irão dar um "rumo certo" à operação "lava jato". "O rumo certo é o cumprimento da lei. Rigorosamente o cumprimento da lei. Não há como descumprir a lei sob pena de criar instabilidade social", afirmou em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

A troca na PGR acontecerá em setembro. Com a saída de Rodrigo Janot, no dia 17 de setembro, assumirá o cargo Raquel Dodge. Ela foi escolhida por Temer após ser a segunda colocada na lista tríplice elaborada em votação dos membros da Associação Nacional dos Procuradores da República.

"Pelo que conheço da procuradora Raquel Dodge, ela vai cumprir rigorosamente o que a lei estabelece. Onde houve delito ela vai continuar investigando. Não tenho a menor dúvida disso. Acho que, pelo histórico dela e conhecimento jurídico, ela vai cumprir rigorosamente as funções que competem ao procurador-geral", disse ao jornal.

Na entrevista, o presidente afirmou que nunca pretendeu paralisar a operação "lava jato" e também não sabe de nenhum agente público que tenha este objetivo. "Eu não ouvi o depoimento de nenhum agente público que dissesse 'vamos paralisar a lava jato', ninguém. Muito menos de ministros do Supremo ou membros da Procuradoria ou do governo. 

Temer comemorou a decisão da Câmara que rejeitou na quarta-feira (2/8) a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra ele. "Agora, o que me prende ao cargo é muito mais a defesa da minha reputação moral."

O presidente ainda classificou a denúncia como pífia e disse que o procurador Rodrigo Janot age de forma política, "quase pessoal". "Lamento é que ele, a todo momento, anuncie que vai fazer uma nova denúncia, baseada nos mesmos fatos. É um gestual político, institucionalmente condenável."

Revista Consultor Jurídico, 6 de agosto de 2017, 12h23

Comentários de leitores

5 comentários

Rumo certo?

Neli (Procurador do Município)

O único rumo certo, na Lava-jato, será colocar nas barras dos Tribunais todos, sem nenhuma exceção, larápios do erário.
O Brasil é esse eterno subdesenvolvimento graças aos graças a eles.
Não tem saúde, não tem segurança pública e as mortes, decorrentes, podem ser atribuídas aos latrocidas do erário.
Gerações de brasileiros foram condenadas a eterna ignorância, graças aos latrocidas do erário!
O único rumo certo que deve ocorrer na Lava-jato será extirpar, como um câncer invasivo, todo aquele que prejudicou moral e materialmente milhões de brasileiros.
E quem praticou Caixa 2 eleitoral cometeu um crime contra a Ordem Democrático-eleitoral.
Manipula o resultado da eleição.
Será que o candidato teria vencido se tivesse cumprindo a Lei Eleitoral?
Uma fraude eleitoral, pois!
É de ser respeitado mais um bandido comum do que um político que desvia dinheiro.
O latrocida mata uma pessoa, destrói uma família; já o latrocida do erário, mata milhares com a insegurança pública e com a falta de saúde.
Que a Luz de Cristo ilumine e abençoe todos os caminhos da nova Procuradora Geral da República.
Parabéns para a Polícia Federal, MPF, Juiz Federal, Tribunais pelo hercúleo e relevante trabalho efetuado em prol do Brasil.
Os brasileiros do futuro agradecerão.

Algumas observações/indagações:

Marlon Augusto - Advogado (Advogado Autônomo)

1 - É verdade, o rumo certo é o cumprimento da lei! Fato este totalmente ignorado pela classe política corrupta!!!

2 - Instabilidade social também é criada pela corrupção generalizada instalada no país, aliás, cria também instabilidade política e ecônomica!!!

3 - Não ouviu o depoimento de nenhum agente público com o intuito de paralisar a lava jato??? Brincadeira de mal gosto com a inteligência de qualquer ser humano!!!

4 - Denúncia pífia??? Outra afronta a qualquer ser humano com o mínimo de compreensão do mundo!!!

O princípio da MORALIDADE e as CONSEQUENCIAS da CORRUPÇÃO!

Citoyen (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Aí está o "x" do problema. A corrupção, tomada no sentido latino de CORROMPER, de DEPRAVAR, nem sempre se tipifica como ATO DELITUOSO, que é LEGAL. Moralmente, não discutimos, no entanto, a tipicidade. JURIDICAMENTE se tipificará a ILICITUDE, se o processo de tipificação DEMONSTRAR que o OBJETIVO a ser COIBIDO pela norma LEGAL foi ALCANÇADO, do que DECORREU a prática do CRIME. Ora, teremos que admitir que a Douta PROCURADORIA tem se excedido na NOTÍCIA da ATITUDE IMORAL ou ANTI-ÉTICA de TEMER. Para que bem entendamos isso, basta refletirmos sobre o que foi objeto da REPORTAGEM do FANTÁSTICO, ontem. Algo, a ser ALCANÇADO com os RECURSOS PÚBLICOS foi PROVOCADO. A seguir, ALGUÉM FOI CONTRATADO para o PROJETO, mas teria OCORRIDO o DIRECIONAMENTO da CONTRATAÇÃO. E, seguindo-se, tivemos a EXECUÇÃO do PLANEJADO. Pela reportagem, o dedo da INTERESSE PRIVADO, do CONTROLE privado - TEMER - do INTERESSE de PÚBLICO, no caso, estaria claramente delineado. Mas, se assim é, POR QUE A D. PROCURADORIA precisaria ANUNCIAR, DIVULGAR, antes de submeter ao Eg. STF o pedido de Abertura do Inquérito? Será que a D. Procuradoria já está atuando sob o impacto do que o Dd. Ministro Barroso, na sua entrevista, designa de OPERAÇÃO ABAFA? Bom, se assim for, eu ACEITO a divulgação antecipada, porque por ela se cria uma certa proteção ao "abafa" da infração cometida. Todavia, se NÃO HOUVE o JUSTO RECEIO de que a OPERAÇÃO ABAFA conseguirá "abafar" a descoberta, eis aí uma divulgação extemporânea, já que não teria chegado o momento exato de divulga-la. Vivemos, sim, um momento difícil, já que tanto o EXECUTIVO como o LEGISLATIVO NÃO TÊM LEGITIMIDADE para a realização das PROPOSIÇÕES PÚBLICAS. Sobre os dois Poderes há quase a certeza de que há raposas no "galinheiro" !

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 14/08/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.