Consultor Jurídico

Luto no Judiciário

Ministro aposentado do STJ, José Arnaldo da Fonseca morre aos 81 anos

José Arnaldo da Fonseca foi ministro do Superior Tribunal de Justiça de 1996 a 2005.
STJ

O ministro aposentado José Arnaldo da Fonseca, que atuou no Superior Tribunal de Justiça de 1996 a 2005, morreu nesta quarta-feira (2/8), aos 81 anos, em Brasília. Ele deixa a mulher, Marlene Santana Braga da Fonseca, e seis filhos.

Nascido em Pedra Mole (SE), em 25 de novembro de 1935, o magistrado formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito de Sergipe, em 1958, e em Direito pela Universidade do Rio de Janeiro, em 1961.

Foi advogado no Distrito Federal por 20 anos (1962-1982), procurador da República (1979-1996) e subprocurador-geral da República (1984-1996). Também foi membro do Conselho Superior do Ministério Público Federal, procurador-geral eleitoral substituto e procurador-geral da República substituto em sessões do Supremo Tribunal Federal em 1990, 1992 e 1995.

Como membro do MP, atuou por mais de 11 anos no extinto Tribunal Federal de Recursos e no STJ. Posteriormente, ingressou no STJ em vaga destinada ao MP. Presidiu a 5ª Turma e a 3ª Seção. Foi coordenador-geral da Justiça Federal e ministro suplente do Tribunal Superior Eleitoral em 2005.

Publicou artigos doutrinários em diversos livros e revistas jurídicas e foi colaborador na obra coletiva Ensaios Jurídicos - Superior Tribunal de Justiça, publicada em 2003 pela Editora Consulex. Após sua aposentadoria no STJ, associou-se, em 2006, ao escritório Wald Associados Advogados. Com informações da Assessoria de Imprensa do STJ.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 2 de agosto de 2017, 15h47

Comentários de leitores

1 comentário

Ministro josé arnaldo

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Honrou o STJ em seu momento mais importante. Hoje o Tribunal da Cidadania é investigado pela PF, porque foram feitas denúncias contra alguns de seus Ministros.

Comentários encerrados em 10/08/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.