Consultor Jurídico

Notícias

Novas regras

Câmara aprova reforma que pretende equilibrar litígios trabalhistas no país

Comentários de leitores

9 comentários

Equilibrar ???

Dr. Jorge Ávila - previdenciário, trabalhista, consumidor (Advogado Sócio de Escritório - Previdenciária)

Essa reforma beneficia somente as empresas, em especial as que habitualmente sonegam direitos dos trabalhadores e por isso são condenadas na JT.

Acabem logo com a Jt

Helder Neves (Serventuário)

Equilibrar? Há uma tentativa expressa de inviabilizar a Justiça do Trabalho. O tratamento dado pela reforma ao litigante trabalhista é pior do que o dispensado ao litigante comum pelo cpc. Qual a lógica?

Propaganda perigosa

Amauri Alves (Advogado Autônomo)

O título original da matéria aqui na Conjur era "Reforma trabalhista aprovada na Câmara restringe acesso ao Judiciário". Não sei porque mudou.

Infelizmente estamos tendo pressões de todos os lados para engolir essas alterações que beneficiam apenas uma parte dos atores desse processo todo: os empresários.

O SBT fazendo a propaganda positiva da reforma da previdência, mídia de maneira geral sufocando as manifestações contrárias... essa misteriosa alteração no título da matéria...

Discordo da maioria das mudanças!

Weslei Estudante (Estagiário - Criminal)

Concordo apenas com:
- Home Office;
- Tempo mínimo de 30 minutos entre intervalos;
- Litigância de má fé;
- (art. 4°, §2°);
Até o momento concordo com apenas essas mudanças. O restante é prejudicial ao meu ver.

Absurda!

Mentor (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Como advogado trabalhista reputo que a lei é desserviço
ao trabalhador.
O maior problema neste país das maravilhas é seu custo, ou seja, o custo Brasil.
Por isso para gerar emprego e acelerar a economia a reforma certa é a tributária e não a trabalhista.
Voltamos a ESCRAVIDÃO! Infelizmente.

Adiante do tempo

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

O projeto está tão adiante do seu tempo que quase ninguém terá pernas para alcançá-lo. O pé é maior do que a caixa do sapato. Surreal!

Justiça do Trabalho.

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Acontecerá o que já aconteceu no passado.
A depender da cara do "jurisdicionado", a ação será recepcionada e julgada pela JT, invocando-se a inafastabilidade da jurisdição.
E como a JT pode correr o risco de "perder demanda", também fará o possível para ignorar a nova legislação.

Mudanças tímidas

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Embora tímidas, as mudanças são positivas. No entanto, na prática haverá pouca diferença em relação à situação que temos hoje, uma vez que a reforma não abrange mudanças na Justiça do Trabalho, e assim qualquer juiz do trabalho poderá livremente continuar a legislar no caso concreto, o princípio problema das relações de trabalho no Brasil.

Acharam quem vai pagar o Pato

Bruno Kussler Marques (Advogado Autônomo - Internet e Tecnologia)

Acharam quem vai pagar o Pato, e não vai ser o Paulo Skaf.

Comentar

Comentários encerrados em 5/05/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.