Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

E a DAB rindo à toa

O Ninfador (Outros)

Contando com o passivo, desonesto, omisso e complacente MEC, a Desordem dos Advogados do Brasil "precisa" e muito de um número cada vez maior de cursos de Direito, pois assim o malévolo e inconstitucional exame caça-níquel lhe proporciona um robusto faturamento não declarado, que beleza, hein?

Brasil é campeão de produção e mantença de cursos de Direito

Edson Sampaio (Advogado Autônomo - Civil)

Curso de direito no Brasil é que nem igreja protestante; toda esquina tem um.

Cursos de "Direito"? Não...

Paulo Moreira (Advogado Autônomo - Civil)

Não há mais cursos de Direito no Brasil. O que subsiste é um sem-número de "garagens com letreiros", cuja ilustração sempre conta com um(a) modelo que exprime um ar de prosperidade que beira o oligofrênico.
Ato contínuo, o que ensinam nessas "garagens?" A passar de semestre e a escolher os melhores "cursinhos" para a OAB e concursos.
Vale registrar, ainda, que os "melhores cursinhos" são sempre aqueles ministrados pelos professores das "garagens". Curioso, não é mesmo?

Certeiro!

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

"Dir-se-á que uma andorinha não faz verão. Atrás disso virão outras centenas, aqueles outros tantos bacharéis formados, sim, mas não aprovados nos exames de estado, buscando um encosto na novidade surgida. Há de ser uma astuciosa burla. Ver-se-á.".
Após o anúncio da revogada autorização já era possível ver dezenas de instituições atraindo as vítimas do estelionato, na modalidade EAD. Isso interessa somente aos donos das "faculdades".
Ontem enquanto zapeava a tv, vi cena de novela global que exibia uma moça modesta, estudante de Direito com predileção pelo Direito Penal, mas refratária ao contato com autores de crime (fato compreensível em se tratando de novela escrita por Glória Perez); durante a cena ela sonhava com a advocacia "TOP"...
Tecnólogos, "institutos" de vilarejos e Glória Perez: lembrei de uma aula da graduação, em faculdade privada, com professora bem relacionada, com ótima formação, graduada em Faculdade de Primeira Linha. Na época, um colega de classe sonhava alto (tal como a personagem global), mas a nossa professora cortou o seu "barato". Em resumo, fez entender que os realmente poderosos e os verdadeiramente endinheirados não contratariam advogados "sem grife".
A OAB/SP e as suas diversas subseções entregam, SEMANALMENTE, centenas de "Carteira de Advogado" em todos os cantos do estado.
Mas aí... analisando os currículos dos responsáveis pela defesa de "grandes causas" (dos verdadeiramente poderosos e endinheirados), não se vê nem um advogado "sem grife".
As pessoas continuarão a pagar para sonhar. Sonhar não é de graça.

Comentar

Comentários encerrados em 5/05/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.