Consultor Jurídico

Sem freios

Defesa de Lula critica decisão que reconheceu regras inéditas para "lava jato"

Retornar ao texto

Comentários de leitores

7 comentários

Excepcional

amigo de Voltaire (Advogado Autônomo - Civil)

Excepcional , no pior dos sentidos, é o esquema do projeto criminoso de poder instalado pelo lulopetismo no Brasil. Quando a justiça confronta-se com as leis , fico com a justiça.

kkk, vai gastando !

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

Esse senhor e seus familiares devem ficar completamente "duros" ...

Chega de sacrificar os brasileiros....

Pek Cop (Outros)

Acho que é hora de passar o BRASIL a limpo!!!!

Temos uma justiça de exceção, então?

Rafael Pedro (Advogado Autárquico)

Se não há norma regulando tal situação o juiz pode desconsiderar direitos fundamentais? Seria um uso de analogia in malam partem? Então, se está no bojo da Lava Jato, excessos são aceitos? Depois ainda há quem diga que opinião pública não influi em entendimento judicial...

Apoio ao Dr Sérgio Moro

deldiego (Delegado de Polícia Estadual)

Não entendo por qual motivo, a defesa de Lula quer levar a análise das decisões do juiz Sérgio Moro para um Organismo Internacional. ...Meu Deus do céu. Parem com essa teoria da impunidade. ..Deixem o Dr Moro decidir com imparcialidade e sem pressões. O trabalho feito em conjunto pela PF e MPF, com a supervisão dos atos pelo Dr Moro está perfeita. Deixem eles trabalharem. .parem de ficar criando casos e querendo ir à Órgãos Internacionais.
Parabéns Dr Moro e a PF e ao MPF pelo excelente trabalho que vem sendo feito na limpeza desse País. De forma Justa e buscando a perfeição.

rito especial

Igor JP (Outros)

Isso tem nome: juízo de exceção. Depois reclamam de como estão chamando a troca de governo, sobre caminho pavimentado pelo judiciário.

Inimputabilidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O problema do acobertamento prestados pelos tribunais a juízes que incorreram em abuso de poder ou condutas inapropriadas no exercício da toga é um problema antigo no Brasil. Invariavelmente, processos ou representações em face a magistrados são arquivados, ainda que existam crimes gravíssimos. Por esse motivo foi criado o Conselho Nacional de Justiça, que pouco tem feito nos últimos anos. Já se disse muitas vezes que é preciso uma mudança estrutural. Quando a pessoa é aprovada em um concurso público para juiz no Brasil passa a gozar de vencimentos fixos, em valor bastante elevado, e mesmo se cometer crimes do tipo matar a mãe, terá garantida uma gorda aposentadoria. Não há controle popular, e nem mecanismos para que seja aferida produtividade, qualidade do serviço, e tudo o mais. Isso leva o magistrado a não se importar mais com qualquer coisa exceto os vencimentos dele próprio. Ao contrário do que acontece com nós cidadãos comuns, que precisamos cumprir a lei, economizar, planejar, etc., o juiz brasileiro não precisa se preocupar com nada disso. Assim, quando ele vê um outro colega magistrado incorrendo em falta, não faz diferença para ele se mandar executar em praça pública ou acobertar, no que diz respeito à fiscalização pelo povo. Com isso, é muito mais conveniente ao magistrado, visando manter a união e amizades internas, acobertar os desvios dos colegas. Ninguém irá cobrar dele se a decisão foi manipulação ou não espelhou o que diz a lei. E assim os abusos da magistratura seguem, existindo na prática uma verdade inimputabilidade para o juiz, causando prejuízos gravíssimos ao País devido a um sistema de dominação do homem pelo homem ao invés da dominação do homem pelas leis.

Comentar

Comentários encerrados em 2/10/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.