Consultor Jurídico

Notas Curtas

Da Redação

Blogs

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pedido inusitado

Idosa pede que ministra Cármen Lúcia paute logo o caso dos planos econômicos

Unanimidade entre os presidentes dos 27 tribunais de justiça estaduais como prioridade na pauta de julgamento da repercussão geral e motivo de debate entre bancos e consumidores por causa do valor a ser pago, os expurgos inflacionários motivaram uma idosa a enviar uma carta à nova presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, pedindo celeridade ao julgamento.

Segundo a idosa, o dinheiro, que pertenceria ao seu marido (já morto), é muito necessário porque ela está doente. “Não quero nada que não seja meu, mas ficou provado pelo juiz que o banco me pagou menos do que deveria. Sei que todos os ministros têm muito trabalho, mas confio que a Senhora vai conseguir resolver esta questão.”

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 17 de setembro de 2016, 14h24

Comentários de leitores

5 comentários

Antes da GR e do RR tudo ao menos andava...

EduardoChaves (Advogado Autônomo - Consumidor)

Antes da RG (repercussão geral) e do RR (recurso repetitivo) tudo ao menos andava; os tribunais repetiam as decisões; os bancos repetiam os recursos; em algum momento surgia o 'cumpra-se o acórdão'! Agora, os poupadores e os advogados estão à míngua. O fato é de domínio dos Tribunais; Ministro não é obtuso, sabe bem o efeito das decisões que profere seja em RG ou RR; e nunca foram sensíveis a qualquer apelo; os expurgos não se constituem em exclusividade; o que mais se faz em Brasília em frear processos importantes; a culpa é do brasileiro, dizem, porque contumaz demandista...

Antes da GR e do RR tudo ao menos andava...

EduardoChaves (Advogado Autônomo - Consumidor)

Antes da RG (repercussão geral) e do RR (recurso repetitivo) tudo ao menos andava; os tribunais repetiam as decisões; os bancos repetiam os recursos; em algum momento surgia o 'cumpra-se o acórdão'! Agora, os poupadores e os advogados estão à míngua. O fato é de domínio dos Tribunais; Ministro não é obtuso, sabe bem o efeito das decisões que profere seja em RG ou RR; e nunca foram sensíveis a qualquer apelo; os expurgos não se constituem em exclusividade; o que mais se faz em Brasília em frear processos importantes; a culpa é do brasileiro, dizem, porque contumaz demandista...

Julgamento Já!!!

Mauadv (Advogado Associado a Escritório - Administrativa)

Lamentável!!!
Já foi demonstrado, inclusive através de recente artigo publicado aqui mesmo, que os Bancos não têm fundamento jurídico, somente econômico (terrorismo financeiro) e que, ainda assim, não cola mais a argumentação... Veja-se http://www.conjur.com.br/2016-ago-12/luiz-pereira-tema-planos-economicos-stj-esvaziou-stf
Sabe-se, inclusive, que os Bancos já provisionaram os valores.
Não há, portanto, qualquer razão para a demora no julgamento, o que acaba gerando uma certa desconfiança em relação ao STF.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/09/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.