Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Investimento necessário

OAB questiona contingenciamento de verbas do fundo penitenciário

Apesar de o Supremo Tribunal Federal ter determinado o descontingenciamento do saldo acumulado do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), R$ 2 bilhões ainda estão congelados, segundo dados do Portal da Transparência. Isso motivou um questionamento do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil ao Ministério da Justiça.

Celas lotadas e guerra de facções preocupam Conselho Federal da OAB.
CNJ

De acordo com o Conselho Federal, desde a decisão do Supremo, nenhuma medida para resolver o problema ou qualquer informação sobre a disponibilização dos montantes contingenciados foram divulgadas.

“Razão pela qual a advocacia manifesta preocupação com esse cenário e exorta o Poder Público a reassumir o controle das penitenciárias, sob pena de deixar a sociedade mais vulnerável às consequências da não aplicação correta da lei”, afirma o presidente do Conselho, Claudio Lamachia, que assina o ofício enviado pela entidade ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

A OAB ressalta ainda que o “estado de coisas inconstitucional” reconhecido pelo Supremo no julgamento da Arguição de descumprimento de preceito fundamental 347 foi confirmado pelas recentes rebeliões em presídios pelo Brasil. A entidade cita como exemplo os levantes ocorridos em instituições prisionais de Roraima e de Rondônia que resultaram em mais de 30 mortes.

Clique aqui para ler o ofício.

Revista Consultor Jurídico, 20 de outubro de 2016, 8h53

Comentários de leitores

2 comentários

Sem moral, OAB!!!

Pé de Pano (Funcionário público)

Justamente a OAB, de natureza privada ou pública (conforme o interesse), que arrecada milhões com aquele inconstitucional exame caça-níquel, cobra o "dízimo" dos advogados e ainda não presta contas ao TCU!!!!

OAB

O IDEÓLOGO (Outros)

A OAB preocupando-se com os presidiários. Daqui um mês todo mundo esquece e os reeducandos continuam na mesma.

Comentários encerrados em 28/10/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.