Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ajuda celestial

Em igreja lotada, fiéis declaram "lutar" pelas 10 medidas do MPF

A cruzada do procurador do Ministério Público Federal Deltan Dallagnon para pressionar pela aprovação das chamadas “10 medidas contra a corrupção” ganhou mais uma cena inusitada. Em sua conta no Twitter, ele publicou um vídeo no qual uma igreja lotada de fiéis obedece ao comando de um padre para declarar apoio ao pacote de alterações legislativas que, entre outras coisas, limita o Habeas Corpus e admite o uso de provas ilícitas – desde que de boa fé.

Clique aqui para assistir.

Revista Consultor Jurídico, 11 de outubro de 2016, 11h55

Comentários de leitores

9 comentários

Sugestão

JB (Outros)

Bem que poderiam criar a décima primeira cláusula contra a corrupção, esses juízes corruptos em vender sentenças, associação ao tráfico de drogas etc. fossem presos sem direito a aposentadoria compulsória.

Religião e MPF

Haroldo Costa Jacinto (Outros)

Na Igreja deve-se salvar as almas , ou pelo menos rezar para tal , assuntos jurídicos,politicos e outros diversos devem ser tratados no seu local apropriado e de forma apropriada também, ao misturar tudo num só lugar , base faz direito nem uma coisa nem a outra. Padre deve se ater ao que foi ordenado , MPF idem , políticos idem . Não devemos misturar"alhos com bugalhos" já dizia meu sábio pai.

Os fiéis e o Estado de Direito

Raimundo Boaventura Santana de Deus (Estudante de Direito - Civil)

Na Inquisição também havia o apoio incondicional dos "fiéis" as perseguições religiosas aos "não crentes", ou aqueles que contestavam o poder absolutista da igreja.
A história se repete como farsa. Em tempo, qual é a punição aos promotores e juízes que cometem desvio funcional?
Resposta: aposentadoria com todas as regalias.
"deuses" com pés de barro.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 19/10/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.