Consultor Jurídico

Comentários de leitores

8 comentários

Os delegados chamaram os coleguinhas..

João B. (Advogado Autônomo)

pra falar mal do MP? rsrsrsrs
que dó.

MP exercendo soberania? Pode isso, Arnaldo?

Breno A Z (Delegado de Polícia Federal)

Parabéns ao autor que ousou enfrentar a sanha insaciável por poder por parte do Ministério Público brasileiro, em especial o Ministério Público Federal.
É incrível que o Estado Brasileiro tenha aceitado que um de seus órgãos (MPF) também exerça parte da soberania nacional quando da recuperação de ativos no exterior.

MP é um Estado dentro do Estado?

Tania F P Pereira (Delegado de Polícia Federal)

Excelente artigo do Delegado da PF Márcio Anselmo.
O desfecho diz tudo:
"O decreto recém-publicado, em que pese tenha passado despercebido, com apenas dois artigos, pode representar o início do fim da autoridade central brasileira".

Mp e concentração de poder

Célio Jacinto (Outros)

O festejado Cezar Roberto Bitencourt, ex-integrante do parquet, já denunciou em artigo aqui no CONJUR:
Não se desconhece, por outro lado, a hipertrofia que ganhou o parquet no cenário nacional, conquistando paulatinamente status semelhante, ao que gostam de afirmar, de uma espécie de quarto poder, arranhando com isso os limites constitucionais de sua atuação, indo além, portanto, das atribuições que lhe são asseguradas no Capítulo IV, Seção I, da CF, que trata “Das funções essenciais à justiça”. (http://www.conjur.com.br/2016-mai-17/cezar-bitencourt-mp-nao-poder-absoluto)/>Em sua busca por poder e ganhos para seus membros, o MP hoje legisla através de resoluções do CNMP; influencia além do razoável na produção legislativa, julga através de acordos extra-autos e intenta a implantação de acordos nos moldes do sistema americano, concentrando em si toda a persecução criminal; executa atividades típicas do executivo como se autoproclamar autoridade central em material de cooperação jurídica, apesar de não ser órgão de soberania e não ser o destinatário do voto popular.
Por outro lado, empreende verdadeira cruzada visando desequilibrar mais ainda o sistema de persecução criminal e tornar mais hipertrofiada do que já está, inclusive, por intermédio de medidas de lobby agressivo no parlamento e nos meios de comunicação social, ao ponto de promover a Polícia Militar como órgão investigativo, carreando para os quarteis o civil envolvido em ocorrências policiais.
Até quando os demais poderes da república vão consentir com este projeto de poder desmedido?

quem não deve não teme.....

daniel (Outros - Administrativa)

é só não cometer crimes..... curioso que não reclamem da polícia.....

Quem detém o poder, dele tende a abusar

DPF Falcão - apos (Delegado de Polícia Federal)

É mais do que conhecido o projeto que visa a concentrar o poder de investigação em um único órgão, onde não haja controle externo, exercido por outra instituição independente. Não faltam artigos sobre esse tema em todas as mídias especializadas.

Independência

JuizEstadual (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

O Ministério Público precisa fundar um outro país, provavelmente uma ditadura em que eles concentram os poderes e recebem todos os benefícios.
Ah não, espere, alguém tem que pagar a conta dos auxílios, acho que eles vão ficar mesmo...

Sanha totalitária

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

Sem dúvida a sanha totalitária em açambarcar toda a atividade de persecução criminal avança sem limites, sobretudo os ético-legais, enquanto a criminalidade prossegue em níveis anômicos.

Comentar

Comentários encerrados em 11/10/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.