Consultor Jurídico

Tempos sombrios

OAB vai ao CNJ contra juiz por quebra de sigilo entre Garotinho e advogado

Retornar ao texto

Comentários de leitores

25 comentários

Tendenciosa reportagem

JUSTIÇA VIVA (Advogado Autônomo - Criminal)

Mais uma vez, CONJUR nos brinda com uma reportagem tendenciosa, diminuindo a relevância da operação e sonegando a gravidade da situação do RJ. Obviamente, o direito de defesa deve ser respeitado. No entanto, não há nada que desabone a conduta do Juiz responsável pela expedição dos mandados. Aliás, ridícula e temerária foi a postura do preso e seus familiares, certamente beneficiados pela situação peculiar e conhecida do RJ. Pobre povo fluminense! Além de aturar criminosos contumazes, ainda têm que dormir com essa. Lamentável!

A razão máxima

wilhmann (Advogado Assalariado - Criminal)

Esse Br vascularizado por políticos bandidos, hordas de juízes, legisladores picaretas, de fato não pode querer ocupar lugar nenhum que de fato não merece. Nessas avalanches de homens bandalhos vicejando nos mares da agonia (?) com exemplos pitorescos, banditismo profissional ninguem poderia ser execrados porque voce(s) os colocaram lá no altiplano dos deuses. N. Copérnico descobriu que a terra não é o centro do universo, Galileu os rudimentos da mecânica clássica, I. Newton os princípios da dinâmica, Instein a física moderna, mas atualmente falta discernimento e coerência em todos: Dar a Cesar o que é de Cesar, seja ônus seja Bônus. A nós resta o pão que o diabo , com seu rabo, amassou e que tem sido nossa hóstia sagrada. Politico algum, juiz nenhum muda o que deve ser mudado, porque ninguém tira água de seu posso, qdo vai em seca, para dar aos outros. Ao invés de ser pró ou contra urge fazer uma reflexão, porque "o leite derramado não volta mais". A corrupção emurchece a todos, jogando uns contra os outros. Então, não precisamos nos automutilar; tem que faça isso para nós contra nossa vontade. As guerras politicas, institucionais, morais, destroem mais que renovam, e quando revicejam o rebroto é de péssima qualidade.

MAP, o significado. (ERRATA)

Adriano Las (Professor)

Lettle boy por Little boy.

MAP, o significado.

Adriano Las (Professor)

MAP merece ser dicionarizado, dada as peculiaridades e singularidades. Tenho uma curiosidade jocosa em saber como MAP emenda o seu lé com o seu cré. Houve quando supus que MAP nutria repulsa a qq agente público, mas depois percebi que não é lá tudo isso não, pois ele se afeiçoou à ministra do Tribunal Superior Eleitoral, Luciana Lóssio, que mandou soltar imediatamente Lettle boy, logo após, segundo noticiado, ter sido inusitadamente contatada por este, antes da sua prisão. Manifestações como essa lhe são característico. Noves fora, MAP somente é contra o agente público que investiga e pune, verdade seja dita que se o punido for outro agente público ele extasia. Outra nuance bastante curiosa de MAP é a sua crença inabalável na virtude do ser humano advogado. Deve-lhe ser um martírio ter de conviver com colegas advogados que atuam como assistentes de acusação. Outro traço bastante pronunciado e pitoresco de MAP é o que não nega a materialidade ou as vítimas de nenhum dos zilhões de crimes dos quais os brasileiros são vítimas, mas repudia sistemática e obstinadamente qualquer autoria.

Como se vê, não posso ser eu a preencher o verbete. Quem se atreveria a preenchê-lo? Cedo o espaço (MAP: ).

Eduardo.Oliveira (Advogado Autônomo)

Adriano Las (Professor)

O título do meu comentário foi:

SALVE, SALVE OS VERDADEIROS ADVOGADOS.

Com isso, pensei ter deixado claro que a minha crítica, ao reproduzir a tal matéria jornalística, dirigia-se a uma porciúncula muitíssimo reduzida de malfeitores que exercem criminosamente o digníssimo ofício da ADVOCACIA (como de resto há facínoras "sem formação profissional" ou "desempregados" ou exercendo os mais variados ofícios) e que deveriam merecer a repulsa de toda a sociedade, principalmente, da absolutamente esmagadora maioria de ADVOGADOS honrados e dignos, que, estou certo, o faz.

Não tenho picareta de estimação, vista ele toga, jaleco, terno e gravata, macacão, use crachá, seja preto ou branco e por aí vai. Inclusive tenho a mesmíssima percepção sua quanto aos invasores das escolas e parte dos docentes nefastamente ideologizados que os manobrou.

De todo modo, agradeço a oportunidade de melhor me fazer entender, servindo esse como adendo.

Adriano Las (Professor) não viu "Tropa de Elite"...

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Como pode? A miopia é intencional?
Sindicato de "professores" estimulando "ocupações pacíficas" em escolas, porque ao final, eles "querem trabalhar", mas os alunos não deixam... E enquanto alunos ficam sem aula, o salário continua garantido. Se não há greve, não podem descontar os dias parados. Ora, ora. E os vilões são os adEvogados? Não!
Vilões são os criminosos, sejam eles vestindo (travestidos) terno e gravata, ostentando estetoscópio no pescoço ou desfilando de jaleco branco com o giz na mão...
Questione a razão de um suposto criminoso com carteira de advogado ser NOMEADO para função pública! Quem o colocou na função? Quem está por trás da indicação?
A discussão séria começa por aí. Depois pode evoluir até chegar a toda uma classe.
Tropa de Elite explica muita coisa, "Mestre".

Votos/Democracia/Eleitores

Thadeu de New (Administrador)

Lamentavelmente NÃO vai acontecer quase NADA. Talvez, com tudo dando muito certo, alguma notinha da MÍDIA se desculpando, mudanças NUNCA. Essa MÍDIA é a mesma que a OAB apoiou no GOLPE em curso. Deram poderes demais a esse monstro e está aí, devorando seus próprios criadores depois de DEVORAR, em prato principal, a advocacia criminalista. De entrada foi a democracia. Após o golpe, chove propaganda governamental nessa mídia que hoje é o VERDADEIRO poder nacional. Mantêm um governo e governante com quase 100% de impopularidade, que se utiliza de um ministério que a cada mês cai um e os que não caíram (Moraes e Geddel) não caíram por total falta de poder do governante. Esse não cabe na mídia pois quando abre a boca é para dizer absurdos como ao dizer que estudantes não saberiam ler uma PEC. Pau que deu em Lula/Dilma/eleitores/votos/democracia dá na Advocacia, lamentavelmente. O big brother 2016 continua, no paredão algo do jaez de: "Indispensável à administração da Justiça" (Art. 133 CF). Todos teremos motivos para o medo da mídia ??? A saída talvez seja a montanha.

Mentalidade imatura

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Sempre quando vejo comentários como o do Adriano Las (Professor), gosto de lembrar um caso ocorrido em Bauru. Ex-membro da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, acusado de estupro e outros crimes gravíssimos, já julgado e condenado pela mídia. Tudo "ia bem" até que uma das "vítimas" revolveu entrar em contato com o escritório que defendia o advogado acusado (naquela época preso) para reclamar que não havia recebido integralmente sua parte no ajustado para MENTIR em depoimento visando incriminar o causídico. Curiosamente, somente a CONJUR e outros veículos especializados noticiaram o fato. Infelizmente hoje no Brasil pessoas de mentalidade infantil ingressaram no discurso, lançando opiniões imaturas e impensadas, atribuindo à ação de autoridades públicas e notícias veiculadas pela imprensa como verdades absolutas e incontestáveis, mesmo tendo a obrigação de saber que a mídia no Brasil é extremamente tendenciosa e oportunista, ao passo que os órgãos públicos são, em larga medida, celeiro fértil da prevaricação e do abuso de autoridade.

Salve, salve os verdadeiros ADVOGADOS

Adriano Las (Professor)

O Judiciário opressor de certos "devogados" inocentes e seus impolutos clientes. A matéria que segue é de hj:

Operação prende advogados ligados a facção criminosa em São Paulo

Vice-presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, Luiz Carlos dos Santos, é um dos presos na operação.

22/11/2016 07h51 - Atualizado em 22/11/2016 08h10

Uma operação na manhã desta terça-feira (22), em São Paulo, prende advogados ligados a facções criminosas. Eles são suspeitos de movimentar o dinheiro do crime organizado e de indicar agentes penitenciários para morrer.

O vice-presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos. Luiz Carlos dos Santos, está entre os alvos e já foi preso em Cotia, na Região Metropolitana de São Paulo.

Ele e os outros advogados são suspeitos de movimentar dinheiro do crime organizado em contas bancárias e ainda de ajudar a criar uma espécie de banco de dados com os nomes e endereços de agentes penitenciários e dos parentes deles para serem mortos.

A operação da Polícia Civil e o Ministério Público já cumpriu pelo menos 30 dos 41 mandados de prisão na capital e no interior de São Paulo.

A investigação começou em presidente Prudente, onde estão dois presídios de segurança máxima

Até Parece...

J. Cordeiro (Advogado Autônomo - Civil)

Senhores: vamos acabar de vez com a lengalenga. A "denúncia" não vai a lugar algum. Pode admitir até uns votos discordantes, mas é furo nágua. Mesmo dentro de entidades seríssimas, como o CNJ.
Não que haja uma Teoria da Conspiração. Mas o negócio é mais amplo. Envolve forças e interesse escusos do Judiciário com outras instituições políticas e cíveis que extrapola qualquer senso de decência ou legalidade.
E não se trata de ser a favor ou contra Garotinho. De achar ser ele inocente ou culpado no caso. Isto é apenas um episódio. O balcão de negócios, que antes era tratada pelos 2/3 de bandidos do Congresso teve sua base ampliada.
Querem mais grave e notório do que fizeram com a Presidenta Dilma? Com o Presidente Lula? Deu no quê?
A Corte de Suplicação dos Pampas já não fez jurisprudência, ao admitir que em assuntos políticos o Savonarola dos Pinhais tudo é possível? Foi o "salve" para a magistratura engajada instalar o regime de exceção, mascara de legalidade.
Mas, comenta-se que essas coisas esparramadas foram para blindar o condutor da Lava Jato no caso da denúncia junto a ONU. Com isto, sua defesa alegará que o País vive na maior tranquilidade judicial. No maior respeito a lei e à Constituição. Que tudo não passa de futriquinhas dos descontentes.
Suspeita-se ainda que isto é balão de ensaio para a prisão do ex-presidente. A do Garotinho e do Cabral. Estariam sopesando a reação pública.
E o mais grave é o silêncio, com aparência de cumplicidade, da direção nacional da OAB. Mostra que a politização partidária atingiu-a, tanto quanto ao Judiciário. Não nos iludamos com esta manifestação isolada. Já era esperada pelos estrategistas do caso.
Saudade dos tempos em que a OAB era "refúgio" do advogado. Hoje, mais parece relés "albergue".

Passou do ponto

JALL (Advogado Autônomo - Comercial)

A tênue linha que separa o direito à informação e o respeito à privacidade nas relações entre cliente e advogado tem sido testada pela mídia, o carrasco míope que desinforma e deseduca a população estarrecida diante a pandemia da corrupção que tomou conta do país. Não faz distinção. Neste caso do Garotinho o vazamente sabe à linxamento. De tudo o que foi dito, escrito e publicado, nenhuma ilicitude foi cometida, senão o direito do cliente combinar com o seu cliente a forma republicana de se defender junto ao tribunal que o prendeu. Nada mais legítimo que esse carrasco cego que é a imprensa satanizou, sem fazer a necessária distinção entre a conspiração corrupta e o direito da defesa. Expôs inutilmente uma situação em que fica caracterizada a violação de direitos, enfraquecendo, através do escândalo todo o arcabouço do combate à corrupção endêmica do país desacreditando-a. Tempos obscuros.

Advogados fazem parte da quadrilha....

Pek Cop (Outros)

A divulgação das conversações é uma obrigação da imprensa em respeito e seriedade nas suas matérias em esclarecer a real verdade dos fatos para mais de 200mi de brasileiros, o que querem é calar a imprensa e chamarem de ditadura quando apenas foi implantado o "regime militar", esses devem e temem que épocas saudáveis volte e acabe a mamata, excessos de garantias só alimentam advogados renomados e absolvem os cancerosos corruptos!!!!

Violar a lei não merece sigilo

Robson Zanetti (Advogado Assalariado - Empresarial)

Estou plenamente de acordo com o juiz Luiz Fernando Cabeda, pois, o sigilo não serve para o advogado instruir seu cliente a violar a lei, inclusive é infração disciplinar prevista no Estatuto da Advocacia!!!

Tempos obscuros que vivemos II

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

No caso sob apreciação, o Advogado supostamente envolvido já se adiantou em dizer que a voz nem era dele. Se a voz não era dele, e foi apresentada como se fosse, não é preciso muito para se concluir que há crime nessa história. Aí vem a pergunta: só esse crime? O que mais pode ter sido adulterado? Vê-se assim os tempos obscuros que se vive nesta República neste momento delicado, na qual qualquer coisa justifica alguma coisa, desde que seja da vontade do agente pública ou da imprensa. A essência das coisas está sendo esquecida, ignorada, para em um processo de "revisão oportunista" das normas nada mais tenha validade. Existe o sigilo entre advogado e cliente, e deve ser presentavo, mas... E nesse "mas" cada um vai enfiando o que quer, como se estivesse a descobrir a pólvora ou a roda.

Tempos obscuros que vivemos

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O comentário do Luiz Fernando Cabeda (Juiz do Trabalho de 2ª. Instância), ou melhor, a forma de seu raciocínio, mostra bem os tempos obscuros que estamos vivendo. Segundo ele, haveria uma exceção à regra universal do sigilo entre advogado e juiz, pois se alguma autoridade considerar (mesmo sem um justo processo legal sob contraditório) que o sigilo está sendo usado para a prática de delitos, o sigilo deixa de existir. Pergunto: onde está escrito? Na verdade, o raciocínio é direcionado às massas, seguindo a linha de quase tudo na época atual. Para alguém mais acanhado o raciocínio parece sedutor: se há crime, então o sigilo não poderia ser usado para acobertar essa prática. Já um raciocínio mais complexo, mostra rapidamente o fiasco de tal forma de argumentação. O sigilo de uma forma geral é feito para acobertar alguns bens essenciais do indivíduo, abrangendo a área de família, jurisdição de menores, ligações telefônicas, o recinto do lar, etc., etc. Imagine-se por exemplo, se todos fossem obrigados a tomar seu banho diário, ou mesmo usar sanitários, com a possibilidade de qualquer um ver ou gravar em vídeo. A vida cotidiana se transformaria em um inferno. No entanto, nós sabemos que crimes podem ocorrem nesses locais. Mas, para "desvendar" o crime, é preciso quebrar o sigilo. Então, sob a alegação de que pode haver prática de crimes (de acordo com o critério do agente público, sem contraditório), deveríamos acabar com as chancelas nos sanitários, levantar o sigilo de todos os processos de famílias, menores, etc., etc. Por aí se vê o absurdo. O sigilo entre advogado e cliente é um direito universal que não pode ser afastado porque alguém acreditou que havia crime na atuação.

Vergonha!

Maxuel Moura (Advogado Associado a Escritório - Civil)

Vergonha, vergonha, vergonha!

O mais básico direito de defesa foi aviltado por uma simples decisão!

Um magistrado, em comentário pretérito, resumidamente afirmou que tudo isso seria resolvido com a publicidade de todos atos.

Ora, mas uma associação de classe dos magistrados impetrou uma série de ações contra jornalistas que divulgaram os seus salários!

Pode argumentar que n faz parte desta associação, bem, eu também nem era nascido quando a OAB supostamente apoiou a ditadura, logo, também não posso ser abarcado por esta comparação.

Digo mais, publicidade para todos os atos? Inclusive ligações entre magistrados, magistrados e desembargadores, magistrados e assessores, etc? É viável, é producente? Não!

Ademais, pra fulminar o raciocínio, o advogado cujo sigilo com o cliente foi quebrado é advogado da iniciativa privada.

Que tal grampeássemos os telefones de todos os magistrados, inclusive da ministra, o qual lançou certas dúvidas, ora, além de servidora pública seria outra forma de descobrir eventual ilícito sem violar uma lei.

Afinal, o princípio da publicidade é inerente à administração pública, do qual os magistrados são seus agentes, incorrendo sobre eles tal princípio.

Vergonha por encontrar quem advogue esta estulta decisão, ainda mais com fundamentos da profundidade de um pires.

Vergonha, vergonha de aplicadores da lei, justificarem a subversão da mesma para facilitarem seus trabalhos!

Vergonha OAB, no mínimo deve se buscar a aposentadoria compulsória deste magistrado, o mesmo envolvido na blitz no RJ, onde a agente de trânsito acabou indiciada, por querer multá-lo!

O mesmo que "mexeu" com a namorada de um empresário em uma boate no ES, que ao reagir, teve uma arma apontada pelo magistrado!

Vergonha, "brasil", arremedo de país.

Renan

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Renan é um grande parasita do Povo brasileiro. Mas tal como Eduardo Cunha (outro parasita), está fazendo as instituições funcionarem adequadamente; está executando os freios e contrapesos. Ele deve ser julgado com a máxima urgência (e Juízes do Judiciário não o julgam, vejam!), mas espero que ele atue para que os membros do Judiciário sejam tão iguais como tantos outros milhões de brasileiros... Renan está controlando um Poder que mais se assemelha a uma Monarquia.
E a OAB tem de mudar a abordagem! Não adianta! Estava vendo o calendário de feriados em 2017... O TRTSP terá suspensão emendada de expediente praticamente em todos os meses em razão de feriados... Processos continuarão parados nas prateleiras, e o advogado continuará sendo o culpado? Só os políticos são culpados pelo afundamento do Brasil?!

Engraçado...

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Quem é que tinha o contato da Juíza? Não era o acusado?
Dizem que a prisão de Garotinho seria desproporcional porque, se ele vier a ser condenado, cumprirá pena alternativa. Não sei!
Sei que há duas duas circunstâncias claras: o acusado tem contato com o magistrado, e o outro magistrado teria abusado de seu poder.
Em foco (que foi desviado), deveria estar a atuação do Judiciário! Estão abusando e desviando o foco, sim!
De outro lado, óbvio que a OAB tem alguma razão. Ocorre, todavia, que a OAB gasta energia de forma inadequada. Ninguém até hoje sabe do teor do inciso LVII, do art. 5º "LVII - ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória;". Mas a OAB não mira no descumprimento do texto expresso da CF; não esclarece que a CF necessita ser modernizada pela atuação do Congresso eleito, que os eleitores precisam fiscalizar e cobrar. A OAB fica martelando na tecla da "presunção de inocência"... E ignora que a população não distingue figuras jurídicas. Ora, como presumir inocente um acusado confesso? É razoável a indignação do leigo! São essas coisas que vão "desacreditando" a OAB.
Quer outro exemplo: o Rio de Janeiro está falido! Um PM não ganha nem R$ 3.000,00/mês, mas policiais são mortos no atacado todos os dias. Todavia, quando a crise chega perto do Judiciário e do MP, resolvem prender ex-governadores?! As cúpulas dos Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e as funções de Estado (responsáveis pelo grave comprometimento da folha de pagamento, porque ganham muito) deveriam ser responsabilizadas pela bagunça no RJ.
Quando tentam mexer com vantagens imorais do Judiciário, começam a prender ex-governadores? Ora, só eles são culpados pela desordem financeira?

Parabéns!

Marcelo-ADV (Outros)

Por um país sem abuso de autoridade, sem espaço nu.

juízes e promotores

Ricardo T. (Outros)

Juízes não esmoreçam. O povo está do lado de vocês. Por um Brasil sem corrupção!

Comentar

Comentários encerrados em 29/11/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.