Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

iludido Advogado autônomo

Iludido (Advogado Autônomo - Civil)

Apesar da primeira cultura ter grandes defeitos como a terceira, parece ser muito perigoso penalizar alguém com base na teoria da cegueira pois, terá correspondido a mesma coisa que condenar alguém com base na teoria objetiva do crime. Se sem isso já existem diversos erros judiciais, com isso provavelmente vai aumentar a injustiça em virtude de essa interpretação desvinculada ir para a jurisprudência na forma como se propõe. E A COMPENSAÇÃO, se houver ao final, vai levar uns 15 anos para a primeira jornada. Depois, vem o pecatório do dano moral com mais 25 anos, para a jornada extrajudicial. Pode ser uma bela herança-autora.É! vale a pena! É melhor contar com a compensação lá de cima.

A Doutrina e o Dir. Penal

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

O século XXI nem bem começou e expõe grandes desafios para a produção doutrinária. Teoria do domínio do fato (à brasileira), Direito Penal do Inimigo, Teoria Constitucional do Delito, vemos de tudo, mas a fundamentação teórica não propicia uma base sólida para a aplicação da lei penal. Como se não bastasse, MP e magistratura têm viés punitivista e de fundamentação superficial. E o que dizer do caso do Carandiru?

Discussão antiga

4nus (Outros)

Não sei se entendi Bem, mas a discussão não residira entre dolo é e consciência da ilicitude?
Isso já não foi há muito tempo discutido por Welzel na denominada consciência profana do ilícito (Que acabou resultando na "potencial" consciência da ilicitude?

Imputação

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Extensão da imputação objetiva.

Comentar

Comentários encerrados em 27/11/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.