Consultor Jurídico

Notícias

Trabalhador indenizado

Mesmo se empresa for fechar, demissão em massa deve ser acordada com sindicato

Comentários de leitores

10 comentários

Trump brasileiro.

J. Henrique (Funcionário público)

É por essas e por outras que Trumps da vidas ganham eleições!

Resumo da história...

Marcio Valencio (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Pelo que eu entendi foi o seguinte:
A empresa teve 90% dos seus equipamentos fabris interditados, o que significa que não poderia usa-los na sua produção. Em vista disso, evidentemente precisa fechar as portas, pois sem poder produzir não tem razão de existir, bem como não tem como arcar com seus custos fixos, incluindo a folha de pagamento.
Entretanto, mesmo sem ter como produzir, e consequentemente ter receita para pagar os salários, é punida por demitir os empregados. Realmente.....!!!!

Loucura

JB (Outros)

Loucura, loucura esses defensores da extinção da justiça do trabalho, é só prestarem atenção no que leu, esta empresa já estava sendo denunciada a alguns anos e não tomava nenhuma providência na melhora das condições de trabalho. Cá para nós se cada empresário e empresa fizesse a sua parte de obrigações nunca teríamos uma situação dessa, mas, fazem e continuam fazendo para desafiar os sindicatos, a lei, os órgãos fiscalizadores e dá no que deu, parabéns aos órgãos fiscalizadores e a justiça do trabalho e nota zero para essa empresa e seus empresários.

Pelo fim da justiça do trabalho e sobretudo do trt 15

mfontam (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa)

A grande imprensa tem divulgado as atrocidades cometidas pela denominada "Justiça do Trabalho", sendo que o presente caso apenas confirma a necessidade de extinção da Justiça do Trabalho, sobretudo no caso do TRT da 15ª Região que verifiquei estar localizado em cidade que não é capital de Estado! O TRT da 15ª Região está sediado em Campinas, interior do Estado de São Paulo! Ou seja, próximo ao TRT da 2ª Região, sediado em São Paulo. Tudo indica que deve ser um tribunal surgido por movimentações de forças políticas, pois nada justifica que algumas capitais de Estado não tenham um tribunal, mas o Estado de São Paulo tenha dois tribunais! para decidir a mesma coisa, algo que bem poderia ser deslocado para São Paulo. Do jeito que está, duplicam-se os gastos administrativos, pois bastaria transferir os julgadores para São Paulo e usar uma única estrutura administrativa. Ou seja, acabar com a Justiça do Trabalho e, sobretudo, com esse tribunal que bem pode ser absorvido pelo tribunal de São Paulo, inclusive para enxugar os excessivos gastos de pessoal que simboliza a Justiça do Trabalho. Talvez muitos nem saibam exatamente dessa situação curiosa do Estado de São Paulo, pois é um tribunal que não se nota muito, talvez conhecido por militantes trabalhistas apenas. Senhores parlamentares, acabem pelo menos com o TRT da 15ª Região antes mesmo da extinção da Justiça do Trabalho para que essas decisões não continuem ilustrando o rol de injustiças à brasileira.

Fora essa barbaridade...

Mig77 (Publicitário)

ainda tem os fiscais federais, estaduais e municipais, sindicatos patronais acéfalos, impostos ultrajantes e claro, há também a concorrência de empresas estrangeiras que tem sobre si o apoio e a proteção imprescindível de governos competentes !!!
Se sobrar algum dinheiro para esses empresários, sugiro que tentem ganhar a vida sem empregar.Isso é possível sim !!!

Super concordo!

Paullo.soares (Estudante de Direito)

O Estado tem o dever de proteger o trabalhador, não se trata de o empresário querer ou não continuar com a atividade e sim de se fazer valer os direitos dos trabalhadores seja com condições seguras de trabalho até o pagamento dos direitos trabalhistas

País não é sério

Alexandre de Souza Mota (Advogado Sócio de Escritório)

Mais uma vez, juiz brincando de justiceiro social.
Quem sabe quando eles acabarem totalmente com o setor produtivo - que é quem paga seus altos salários e privilégios - não saibamos quem realmente é elite ou não, aqui, no Bananistão.

Decisão bizarra...

Gabriel da Silva Merlin (Advogado Autônomo)

A empresa ser proibida de demitir os funcionários mesmo não podendo mais exercer as suas atividades é no mínimo bizarro.

E não bastasse essa bizarrice isso também foi feito totalmente ao arrepio do ordenamento jurídico, que não prevê tal obrigação em lugar nenhum.

Como?

Roerto Ayoub (Administrador)

Onde a empresa iria colocar os empregados se ela não podia operar?A decisão continuar com negócio é do empresário ou não?

Trabalhador sem emprego, juiz com o dele garantido

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Realmente o País está em seus últimos dias, e parece que só haverá solução com a substituição total do modelo de Estado.

Comentar

Comentários encerrados em 16/11/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.