Consultor Jurídico

Direito na Europa

Por Aline Pinheiro

Blogs

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Gravidez indesejada

Suprema Corte britânica julga se irlandesas têm direito a aborto gratuito

A Suprema Corte do Reino Unido começou a julgar, nesta quarta-feira (2/11), se mulheres que moram na Irlanda do Norte têm direito de fazer aborto de graça na Inglaterra. A Irlanda do Norte é o único país do Reino Unido que só permite o aborto se há risco de saúde para a mãe. Na Escócia, na Inglaterra e no País de Gales, a grávida tem o direito de decidir interromper uma gravidez indesejada e é o sistema público o responsável por fazer o procedimento.

As audiências iniciais na corte devem ser concluídas nesta quarta mesmo. Depois, os juízes se reúnem de portas fechadas e, daqui a meses, anunciam a decisão.

Atualmente, dezenas de gestantes viajam da Irlanda do Norte para se submeter a um aborto na Inglaterra e acabam tendo de recorrer a clínicas particulares, já que os hospitais públicos respeitam a legislação irlandesa.

Foi o que fez uma adolescente de 15 anos. Junto com os pais, ela viajou da Irlanda do Norte para interromper a gravidez numa clínica inglesa. O procedimento custou 600 libras (R$ 2,3 mil). Agora, ela tenta ser reembolsada pelo sistema de saúde público.

Além da adolescente e de seu responsável, que levaram o caso para a Justiça, ONGs também foram aceitas para participar do julgamento.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 2 de novembro de 2016, 12h05

Comentários de leitores

3 comentários

Lá a coisa é diferente...

Persistente (Outros)

e os malafaias da vida não conseguem IMPOR os seus dogmas.

Não ao assassinato de inocentes indefesos

Pé de Pano (Funcionário público)

Além de irresponsável, a adolescente ainda quer faturar com sua irresponsabilidade? Já pensaram uma situação dessa aqui no Brasil, onde se usaria o aborto para ganhar dinheiro? Pela mentalidade em regra do brasileiro médio, de natureza indisciplinada e irresponsável, a legalização do aborto seria um prato cheio para a esquerdopatia de plantão!! Sou contra o aborto não por imposição ou convicção religiosa, mas por questão de dignidade humana mesmo, pois todos nós já fomos feto um dia e eu duvido que se pudéssemos escolher se viríamos ao mundo ou se seríamos assassinados, escolheríamos a segunda opção!!!

Aborto

O IDEÓLOGO (Outros)

O aborto deveria ser direito subjetivo da mulher e da sociedade, que se intromete em uma relação que somente a ela, e exclusivamente, a ela, compete decidir.

Comentários encerrados em 10/11/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.