Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Teatro polêmico

Alckmin fala em liberdade de expressão e diz que prisão de diretor será investigada

A prisão do diretor de teatro Caio Martinez Pacheco no último domingo (30/10), em Santos (SP), deverá ser apurada pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. A informação foi divulgada pelo governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), nesta terça-feira (1º/11). Pacheco foi preso enquanto a peça Blitz – O Império que Nunca Dorme era encenada em uma praça. O espetáculo traz personagens vestidos de policiais dançando de saia e uma bandeira do Brasil de ponta-cabeça.

"Claro que a atitude deles foi de muito mau gosto. Você virar de ponta-cabeça a bandeira brasileira, ridicularizar quem está trabalhando, colocando até sua vida em risco para defender a sociedade, é de muito mau gosto. Agora, liberdade de expressão é liberdade de expressão. Goste ou não goste, é um direito das pessoas", afirmou.

A peça foi montada a partir de um edital aprovado no Programa de Ação Cultural (ProAC) do governo do estado de São Paulo — o que foi confirmado pela Secretaria de Cultura.

O presidente da Subseção de Santos da Ordem dos Advogados do Brasil, Luiz Fernando Afonso Rodrigues, demonstrou “preocupação com relação à censura prévia pela manifestação da arte cultural que deve ser livre”.

Veja o momento em que a peça é interrompida pelos policiais:

Revista Consultor Jurídico, 1 de novembro de 2016, 21h51

Comentários de leitores

7 comentários

Mal informado

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

O uso indevido da Bandeira Nacional é contravenção penal, a Polícia Militar cumpriu a missão dela, agora o Governo deveria aplicar tal fundo nas escolas, porque financiar uma porcaria dessa com dinheiro público é para acabar.

Tragicômico

Persistente (Outros)

Quanta BABOSEIRA que se lê por aqui: acho que neandertais teriam melhor capacidade de entendimento do que é DIREITO CONSTITUCIONAL À LIVRE EXPRESSÃO do que algumas figuras absolutamente BIZARRAS que, no momento político em que vive o país, fazem questão de PAVONEAR A MAIS PROFUNDA BOÇALIDADE sem qualquer inibição.

A peça subversiva e o governador fraco

Valdecir Trindade (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Fosse eu policial do Estado de São Paulo iniciaria uma operação padrão. Só atuaria nos estritos limites da lei. Situação como essa da peça subversiva deixaria rolar. Isso porque não tem cabimento o Governador Geraldo Alckmin permitir processamento de sindicância ou PAD contra os policiais que prontamente atuaram para impedir a afronta à Bandeira do Brasil e a ridicularização da Policia Militar, instituição do Estado e não do governo. Como disse outro comentarista, isso tudo é fruto da esquerdização pela qual passa nosso país ao longo dos anos, e que conta com o beneplácito de políticos covardes e fracos como Geraldo Alckmin.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 09/11/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.