Consultor Jurídico

Colunas

Segunda Leitura

Possibilidades e limites ao
uso do Facebook pelos juízes

Comentários de leitores

4 comentários

e tem

afixa (Administrador)

quem defende eleição para juiz. Imagina a campanha. Espero que esta idéia inócua seja sepultada definitivamente agora. Se bem que a comunidade é criativa, e sempre surge um (não é bem assim)

Bem lembrado

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Em boa hora se lembra que segundo o art. 13 do código de ética da magistratura, essa não pode ser populista e se expor publicamente. Ao optar pela magistratura o individuo tem consciência da seriedade da carreira que escolheu. Em paises sérios não há chances para molecagem e a idade não pode ser desculpa. Ou se é juiz ou então, não se é.

Imparcialidade, liberdade de expressão e exteriorização?

Weslei F (Estudante de Direito)

- Liberdade de expressão para o cidadão comum, esse não precisa ser imparcial, a exemplos de manifestações pode muito bem praticar o Direito Penal do Autor, logo o Direito Penal do Inimigo.

- Juiz por óbvio tem a liberdade de expressão, mas quando exteriorizar tal liberdade vai colidir diretamente com o princípio da imparcialidade e este está acima, somente quando alguma lide envolve tal exteriorização, para mim deveria ser positivado uma suspeição direta quando uma das partes provarem que o juiz exteriorizou ser favorável alguma tese ou parte do caso.

No brasil inexiste juiz suspeito!

José R (Advogado Autônomo)

Embora nobre, a preocupação do insigne articulista (dos mais lúcidos e sensatos) não oferece sentido prático, dada nossa realidade judiciária. No Brasil as Cortes nunca reconhecem suspeição de um membro de sua guilda, por mais gritante e comprovada que seja a parcialidade (salvos uns dois ou três casos de inegável propina). Consideram um "desprestígio" corporativo declarar que as partes serão julgadas por juiz suspeito, declaradamente inclinado ao pleito de uma das partes...
Não tem o menor significado realizar ou não justiça se o que está em jogo é a defesa, a qualquer preço, da "imagem" corporativa, aliás, pereat mundus.
Não há, portanto, com que se preocupar, ao menos no plano jurisdicional... Voltemos, pois, foco maior nos vencimentos (os maiores da República) e vantagens acrescidas...

Comentar

Comentários encerrados em 28/03/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.