Consultor Jurídico

Direito na Europa

Por Aline Pinheiro

Blogs

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Criança no cárcere

Corte europeia julga prisão de adolescente de 12 anos na Rússia

A Corte Europeia de Direitos Humanos vai anunciar na próxima quinta-feira (23/3) a sua posição sobre a prisão de um adolescente de 12 anos na Rússia. No país, a maioridade penal começa aos 14 anos para alguns crimes e aos 16 para todos os outros. Ainda assim, o menor foi preso, teve de assinar uma confissão sem antes falar com seu advogado ou com algum adulto responsável e ficou 30 dias atrás das grades.

O tribunal europeu não vai discutir a maioridade penal. O tema já foi alvo de debate entre os juízes e a posição adotada até hoje é que cabe a cada país da Europa definir. Mesmo entendimento tem a Organização das Nações Unidas, que considera que estabelecer uma idade mínima para sentar no banco dos réus depende de aspectos culturais e, por isso, é da responsabilidade de cada nação.

A questão a ser debatida na corte na próxima é se um país pode punir crianças que não tenham atingido a maioridade penal estabelecida por lei. Mais ainda, os juízes devem analisar as condições carcerárias na Rússia e o respeito ao direito de defesa.

No caso em discussão, o adolescente foi preso por policiais depois que uma criança de nove anos reclamou que estava sendo extorquida por ele. O menino assinou uma confissão na delegacia sem antes falar com seu responsável ou com um advogado e acabou considerado culpado com base nessa confissão. Tem ainda o agravante que o jovem sofria de déficit de atenção e incontinência urinária. Segundo seu relato, durante os 30 dias que ficou preso, não recebeu nenhum tipo de tratamento médico.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 19 de março de 2016, 9h38

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 27/03/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.