Consultor Jurídico

Notícias

Obrigação familiar

Rendimento escolar baixo não é motivo para deixar de pagar pensão

Comentários de leitores

4 comentários

Já que o oficial politizou...

Willson (Bacharel)

... uma questão meramente de direito de família, vou dar o meu pitaco, também: se a mocinha for paulista, os tucanos devem ter roubado a merenda escolar da escola dela. Mal alimentada, a coitadinha não evoluiu nos estudos.
Se for paranaense, ficou traumatizada ao ver seus professores estropiados pela polícia tucana, nos protestos contra o governador. Se for mineira, deve ter se contaminado com o pó que aquele helicóptero "sem dono", levantou.

Estado Babá

LeandroRoth (Oficial de Justiça)

A crença no Estado Babá não é exclusiva do PT e do restante da esquerda no governo. O Judiciário também é fã do Estado Babá quando se trata de fixar altas pensões para marmanjos e mulheres que já tem idade pra labutar e prover o próprio sustento com o suor do trabalho.
.
Um país não ganha nada estimulando o ócio, o parasitismo e a vagabundagem. Mas o Estado brasileiro, incluindo o Judiciário, parece só querer fomentar justamente estas três coisas.
.
Pensão tinha que ser em valor módico, apenas para crianças, e ainda assim levando em conta a divisão de despesas entre pai e mãe. Se não pagar, vai pra cadeia, que seja. Mas já cansei de prender homens trabalhadores que cansaram de sustentar marmanjo de 18, 19 anos, que não quer nada com a vida e se matricula num curso "superior" qualquer de tecnológo, facinho, facinho, só pra continuar sendo bancado pelo pai. Muito injusto.

Em tudo, triste.

Radar (Bacharel)

O julgador sugere que a mulher de 19 anos seja tratada como uma menina de 12. Só direitos, nenhuma obrigação, exceto a de manter ativa uma matrícula na escola, para fingir que estuda.

Por ser adulta, já decide vários aspectos de sua vida, sem permitir interferências. Mas na hora de tomar as rédeas da própria vida, embrenha-se sob as saias da justiça, como vítima. Vai enrolar, no mínimo mais 5 anos.

É claro que a pensão deve continuar, por algum tempo, por uma questão de solidariedade, mas o juiz deveria fixar um prazo e uma obrigação a cumprir, sob pena de estimular o ócio.

Para o pai, o dinheiro deveria ser o de menos, pois a frustração por ter criado uma filha ou filho invertebrado, deve ser muito frustrante.

Não quer estudar?

Marcondes Witt (Auditor Fiscal)

Se a moça de 19 anos não tem interesse em estudar, que comece a trabalhar oferecendo sua formação de ensino fundamental ou ensino médio incompleto, e viva segundo seus rendimentos.
Na hora de estudar já é maior de idade - e decide por conta própria não dar a atenção devida. Na hora de se sustentar, ainda é dependente....

Comentar

Comentários encerrados em 14/03/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.