Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Pior que formiga!

Ferraciolli (Delegado de Polícia Estadual)

Acima, o retrato do PECADO de existir em afrontab à vontade do Ministério Público.
A questão é: como exterminar de uma vez por todas o teimoso delegado de polícia, se ele insiste em não morrer?
Alocado no porão de um casebre de pé direito ra$teiro, muito distante do céu de brigadeiro despudoradamente experimentado por alguns que exorbitam a altitude de cruzeiro, do $real e do praticável, o delegado de polícia resiste.
Haja teimosia!

Realmente, de quem?

Bellbird (Funcionário público)

Com as investigações da policial federal que mudaram os rumos da governabilidade do Brasil, sem qualquer autonomia, faz com que outros órgãos que se acham os donos do pais, os defensores da humanidade se sentirem constrangidos. Assim, fazem o máximo para puxar para seu lado o protagonismo da investigação. Ainda falam que é ultrapassada, porém outros outros, com salários acima do teto, auxilio moradia, auxílio isso, auxílio aquilo e que não sabiam de nada pegaram carona. Por isso, com este mesmo argumento, alegam que delegado não pode representar por cautelares entre outros. Afinal de contas, de quem é o corporatismo?

Corporativismo de quem, afinal?

Giovanni - Promotor (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

O corporativismo, indicado pelos articulistas ao Ministério Público, parece ser o norte do próprio texto - em inúmeras incompreensões que decorrem da lápide da sepultura da PEC 37. Transformar uma discussão jurídica em questão corporativa é simplista demais, até mesmo como argumento de autoridade. Realmente queria compreender qual o fundamento jurídico (e balizado na interpretação do texto constitucional) para que o delegado de polícia, encarregado da investigação, possa negociar sobre a disposição da ação penal, de titularidade exclusiva do Ministério Público. Muitos, infelizmente, mais se preocupam com nichos de poder - ultrapassados, diga-se de passagem - do que com a evolução do sistema de persecução penal para algo organizado e eficiente. O crime é organizado, mas por essas e por outras, o seu combate não consegue ser.

Com os argumentos do....

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

Diante do pertinente e sensato argumento do autor do texto, fico cada vez mais convencido que o ministério público representa um grande risco à democracia, já que para atender seu interesse corporativista, contrária todo sistema legal brasileiro (sendo a Constituição Federal a primeira vítima de sua prepotência).

Comentar

Comentários encerrados em 12/03/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.