Consultor Jurídico

Divergência de atuação

Banca perde honorários de R$ 25 milhões porque cliente fez acordo "por fora"

Retornar ao texto

Comentários de leitores

24 comentários

Dois pesos e duas medidas (2)

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

(continuação)...
E agora mais essa. O advogado pode ser contratado, deixa de assumir outras causas, aí é surpreendido com um tremendo “bypass” antes de dar início às atividades que já preparava e não tem direito a nada, indenização zero. Assim, estimula-se o calote, a indecência, concita-se a falta de ética contratual, que outra coisa não é senão um incentivo à violação da famigerada boa-fé objetiva.
Infelizmente, cada vez mais, causa náuseas assistir a tanto desatino. É simplesmente degradante!
(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – Mestre em Direito pela USP – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

Injustiça com a Advocacia Brasileira

Gustavo Lemos Fernandes (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Decisão que demonstra o total desrespeito em relação ao direito ao recebimento dos honorários contratados entre cliente e advogado. Favorecimento desproporcional e injustificável à empresa. Indignação.

Injustiça com a Advocacia Brasileira

Gustavo Lemos Fernandes (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Até que ponto é atribuída total subjetividade ao Judiciário?! Total ignorância e desrespeito ao contrato de honorários! Referida decisão distorcida, certamente, trará absurdos prejuízos ao direito ao recebimento dos honorários por nós advogados! Indignação em relação ao favorecimento desproporcional à Light pela decisão! Não podemos ficar quietos diante disso e simplesmente aceitar.

Inércia na defesa das prerrogativas da classe

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Tratou a OAB como "mero interessado" e, o pior de tudo, a Entidade aceitou.

Comentar

Comentários encerrados em 1/06/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.