Consultor Jurídico

Atividade lícita

Garota de programa pode cobrar na Justiça por serviço que não foi pago

Retornar ao texto

Comentários de leitores

5 comentários

Muito bem

Gilberto Strapazon - Escritor ocultista. Analista de Sistemas. (Técnico de Informática)

Bom comentário Sérgio Niemeyer.
É graças a muitas delas, servindo de confidentes também, que muitas coisas são evitadas.

Ótimo comentário.

Car.Borges (Bacharel)

Gostei muito do comentário do Sr. Sérgio Niemeyer, faço somente uma ressalva visto que se a atividade não é infame ,algo que concordo plenamente, é sim insalubre e triste em sua essência.

Spc e serasa?

Advogado Santista 31 (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Se o exercício da prostituição é ato comercial e empresarial, neste caso a profissional do sexo poderá negativar o rufião caloteiro nos serviços de proteção ao crédito? E se o sexo com a garota de programa não for aquilo que ela propagandeou, caberia acionar o Procon ou processa-la com base no art. 14 do CDC?

Ja que isso aqui e uma zona mesmo.....

hammer eduardo (Consultor)

A dita " profissão " delas e uma das mais antigas da humanidade e tem ate passagens na Biblia.

A Sociedade brasileira , hipocrita como sempre tenta por vezes ate fingir que Elas sequer existem.

Tambem concordo que Elas sejam respeitadas, afinal se nao fosse por Elas , como teria sido gerada a atual classe de politicos no Brasil , mormente a tchurma da estrelinha vermelha?

Yes! As prostitutas merecem bom tratamento.

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Como dizia Rui Barbosa, “Não amolem as meretrizes. Elas são as guardiães da família”.
Os cabarés e alcouces de outrora era onde os homens se afogavam de suas mágoas e se libertavam dos grilhões que os acorrentavam à rotina. Era no colo das meretrizes que realizavam as fantasias que jamais podiam expor ou exercitar no reduto do lar. Por isso, não raro os homens se apaixonavam pelas messalinas, e estas, cientes de sua condição e do repúdio social que lhes era reservado, com doçura, cuidavam daqueles desvalidos emocionalmente como verdadeiras amantes. Muitas deram à luz filhos bastardos que eram sustentados à distância por razões óbvias naquele tempo. Mas era também sob o aconselhamento das meretrizes de então que os homens suportavam a pesada rotina do lar e de uma vida cinzenta, sem cor, sem cheiro, sem glamour, sem divertimento, sem nada, a não ser obrigações.
É verdade que as coisas hoje em dia mudaram muito nessa matéria. Nem por isso a meretrizes (ou, garotas de programa) deixam de ter os mesmos direitos que todos nós titularizamos. Seus direitos devem ser tão garantidos quanto os direitos de qualquer pessoa. E não se diga que os serviços que prestam são infames, porque tais são os serviços mais antigos de que a humanidade tem conhecimento, e via de regra satisfazem plenamente ao tomador.
Principalmente no caso das meretrizes, não se pode admitir àquele que desfruta do bônus eximir-se do ônus.
Ergo um brinde em tributo às meretrizes de todo o mundo!
(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – Mestre em Direito pela USP – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

Comentar

Comentários encerrados em 28/05/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.