Consultor Jurídico

Direito na Europa

Por Aline Pinheiro

Blogs

Assassinato triplo

Juízes na Inglaterra analisam pena de morte para condenado com QI baixo

Um grupo de juízes da Inglaterra se reúne nesta segunda-feira (16/5) para debater a pena morte, que sequer existe no país. Eles fazem parte do chamado Judicial Committee of the Privy Council, a corte final de apelação dos 14 territórios ultramarinos do Reino Unido, entre eles ilhas no Caribe e no Índico.

O caso analiso pelo comitê se refere a um condenado por duplo assassinato em Trinidade e Tobago, onde a pena capital ainda existe e é aplicada. A defesa alega que o réu, por conta de sua deficiência intelectual, deve receber uma punição mais branda. Ele tem um quociente intelectual (QI) de 57 — a média varia entre 90 e 110. As audiências devem durar até esta terça-feira (17/5). Depois, o comitê vai se reunir a portas fechadas e, em alguns meses, anunciar sua decisão.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 16 de maio de 2016, 11h12

Comentários de leitores

1 comentário

Inteligências Múltiplas

Felipe M. N. Silveira (Policial Militar)

O problema do teste do Q.I é que ele é desatualizado e incompleto. O ser humano possui diversos tipos de inteligências. Neste caso concreto a principal inteligência é a emocional, que não tem nenhuma relação com a intelectual.

Comentários encerrados em 24/05/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.