Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Cuidado com os anúncios!!

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

As "teles" estão patrocinando peças publicitárias muito sedutoras, bem elaboradas para criar no consumidor a necessidade de mudança de plano.
O consumidor que tem uma velocidade "X", sem limite de franquia, é levado a acreditar que os planos vão lhe proporcionar "Muuiiita internet" em pacotes prefixados de 10, 20, 50, 100, 200 "mega".
Ora, nem vendem mais a velocidade! Estão misturando, de forma criminosa, informações e dados.
O consumidor acostumado com a indicação de velocidade, agora é maliciosamente levado a acreditar que está comprando "Muuiita internet" justamente quando fixam limite por franquia.
Esperar o quê de uma Anatel comandada por caciques do sindicato das "teles" há anos?
Nem na época da "privataria tucana" vi algo assim.

A Regra é clara

Hilton R C Costa (Advogado Assalariado - Administrativa)

Só 49% por cento da população brasileira tem acesso à internet, fonte de conhecimento e cidadania, direito essencial.
A prática abusiva de várias empresas além dos custos absurdos, impõe mais essa limitação ao consumidor, mesmo havendo a Lei do Marco Civil.
A Lei é geral, pra todos? Ou só está aí de enfeite?
Não se quer destruir estas empresas, nem se implantar socialismo,mas o respeito às regras, "pacta sunt servanda".
Afinal as empresas ao entrarem sabiam das regras.
Que se criem limites ou não, mas que seja previsto antes da assinatura de contratos de fornecimento, afinal vivemos num Estado de Direito.

Quase 100% dos brasileiros não querem limitação.

Stanislaw (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Caro Daniel, discordo. A Internet oferecida no Brasil já é de baixa qualidade. Você contrata um pacote com velocidade de 15 megas e é comum a operadora fornecer bem menos que isso de velocidade. Há diferenciais de preços na velocidade contratada e no acesso, limitado ou ilimitado. Ocorre que limitar completamente o acesso, sem a opção do ilimitado, denota muito mais uma incompetencia e atraso técnico das prestadoras brasileiras, que no fundo não querem investir para melhorar o acesso à rede e expansão do sistema, criando este subterfúgio da limitação de tráfego. A sociedade, conforme pesquisas, em sua quase totalidade demonstra ser contrária a limitação de tráfego para quem opta pelo pacote ilimitado.

A ganância é de quem usa em excesso e quer dividir o custo

daniel (Outros - Administrativa)

A GANÂNCIA É DE QUEM USA EM EXCESSO E QUER DIVIDIR O CUSTO DA INTERNET COM QUEM USA POUCO, ESTE SOCIALISMO DO ARTIGO LEVA Á FALÊNCIA. Ora, basta usar pouco que irá pagar pouco, quem quer usar muito vai pagar muito... simples assim...

Comentar

Comentários encerrados em 30/06/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.