Consultor Jurídico

Recurso negado

Ação envolvendo mulher e filha de Cunha permanecerá com Sergio Moro

Claudia Cruz e Danielle Cunha, respectivamente, mulher e filha do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), serão julgadas pelo juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. O Supremo Tribunal Federal rejeitou nesta quarta-feira (22/6) recurso para retirar a competência do caso do julgador federal.

O julgamento ocorreu na mesma sessão em que Eduardo Cunha tornou-se réu no Supremo pela segunda vez. A defesa dos parentes de Cunha alegou que, apesar de não terem foro por prerrogativa de função no STF, Cláudia e Danielle devem responder às acusações na corte devido à ligação dos fatos.

Mulher de Cunha, Claudia Cruz é citada como beneficiária de contas na Suíça.
Reprodução

Consta na denúncia que Claudia e Danielle são citadas como beneficiárias das contas atribuídas ao deputado na Suíça. No dia 15 de março, o ministro Teori Zavascki atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República e desmembrou a investigação, deixando no Supremo apenas a parte do inquérito referente ao presidente da Câmara.

No dia 9 de junho, Moro recebeu denúncia apresentada pelos procuradores da operação “lava jato” contra Cláudia Cruz e outros investigados que viraram réus. O advogado de Cláudia e Danielle, Pierpaolo Curz Bottini, afirmou que suas clientes respeitam a decisão do Supremo, mas que "vai pedir que o processo que apura sua conduta seja remetido ao Rio de Janeiro, uma vez que a corte suprema reconheceu não existir relação entre seus atos e aqueles imputados ao seu marido. O juízo competente para julgar o fato de ela ter conta no exterior é o de seu domicílio fiscal, como disposto na lei em vigor", afirmou Bottini. Com informações da Agência Brasil.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 22 de junho de 2016, 19h59

Comentários de leitores

1 comentário

Arrefecimento

O IDEÓLOGO (Cartorário)

A luta do Juiz Moro foi destronar o PT. Não determinará prisões de membros de outros partidos, inclusive do PSDB e PMDB.

Comentários encerrados em 30/06/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.