Consultor Jurídico

Notícias

Ações coordenadas

Abraji denunciará ao CNJ assédio judicial contra jornal do Paraná

Comentários de leitores

4 comentários

Por muito mais ....

Físico (Funcionário público)

Eles ganham um salário astronômico. Recebem penduricalhos absurdos. Negam a muitos até o direito a vida. Conseguir que uma ação chegue ao final é um parto. São arrogantes. Volta e meia temos notícias que eles desobedecem a lei e ainda "dão carteirada", quando não mandam prender quem os repreende. Depois disto tudo, justificam que o que fizeram contra os jornalistas e o jornal é para preservar a honra do Judiciário e do MP? É muita hipocrisia.

Assédio judicial

Ton (Auditor Fiscal)

Isso é tratamento cruel, mais, partindo da justiça, é terrível e não há esperanças.

Então os juízes estão proibidos de acionarem o Judiciário?

Stanislaw (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

E limitar o direito dos juizes e promotores a ações judiciais? Então eles como cidadãos não poderão acionar o Judiciário?

O que se faz aqui, paga-se aqui

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Coitada da tal Associação. Nos últimos anos a imprensa brasileira mais não fez senão de forma geral acobertar os abusos estatais, inclusive no Judiciário, sempre de olhos nas gordas verbas publicitárias estatais. Eu como advogado na área previdenciária, por exemplo, NUNCA VI uma reportagem versando sobre os atrasos judiciais das ações nessa área, em que pese a importância e gravidade do tema. Somente mais recentemente, com a proliferação de alguns blogs independentes e com o agravamento da situação do País a imprensa busca alguma independência. Diante da situação que a própria imprensa ajudou a construir resta certo que não há ambiente democrático para que o CNJ trate do tema com isenção, até mesmo porque o Órgão veio definhando nos últimos anos, também sem nenhum destaque por parte da imprensa. O que se faz aqui, paga-se aqui, e a imprensa brasileira no caso em comento irá pagar por sua própria omissão.

Comentar

Comentários encerrados em 24/06/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.