Consultor Jurídico

Notícias

Novas provas

Gilmar Mendes autoriza continuação de inquérito contra o senador Aécio Neves

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes determinou na última quinta-feira (2/6) a retomada do inquérito que investiga o senador Aécio Neves (PSDB-MG), um dia após parecer no qual a Procuradoria-Geral da República (PGR) manifestou-se a favor do prosseguimento das investigações que apuram supostos crimes cometidos pelo senador em Furnas, empresa subsidiária da Eletrobrás.

Há duas semanas, o ministro Gilmar Mendes, relator da investigação, suspendeu as diligências e devolveu o processo para o procurador-geral Rodrigo Janot. Na ocasião, ao decidir a questão, Mendes entendeu que não há fatos para uma nova investigação contra o senador, sendo que o procurador pediu o arquivamento de um primeiro pedido em março do ano passado.

Na manifestação da PGR, além de indicar que há novas provas para o prosseguimento do inquérito, Janot diz que o ministro não pode se recusar a dar prosseguimento ao inquérito sem a anuência da procuradoria. Entre as provas estão os depoimentos do ex-senador Delcídio do Amaral, nos quais Aécio foi citado como recebedor de “pagamentos ilícitos”, feitos, segundo ele, pelo ex-diretor de Furnas Dimas Toledo.

Em nota, Aécio Neves disse que compreende o papel do Ministério Público em dar prosseguimento às investigações, mas que tem a convicção de que sua inocência será provada.

“Tenho a absoluta convicção de que, ao final, ficará provado mais uma vez a minha inocência, como já aconteceu no passado, o que levou, inclusive, ao arquivamento dessas mesmas acusações”, disse o senador. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 6 de junho de 2016, 8h45

Comentários de leitores

1 comentário

Mero teatro

Bruno César Cunha (Advogado Assalariado - Civil)

Alguém ainda acredita nessa encenação?

O ministro já praticamente pré-julgou a causa.

Comentários encerrados em 14/06/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.