Consultor Jurídico

Direito na Europa

Por Aline Pinheiro

Blogs

Discrição religiosa

Tribunal da UE discute se muçulmana pode ser impedida de usar véu no trabalho

O Tribunal de Justiça da União Europeia está discutindo se uma empresa pode impedir que empregada muçulmana use véu cobrindo os cabelos. Nessa terça-feira (31/5), a advogada-geral da corte europeia, Juliane Kokott, opinou a favor da liberdade do empregador de proibir qualquer expressão religiosa no ambiente de trabalho. O parecer dos advogados-gerais costumam ser seguidos pelo tribunal da UE.

O caso foi levado à corte pela Justiça da Bélgica. Lá, uma mulher perdeu o emprego porque se recusou a tirar o véu. Ela alega que foi vítima de discriminação e quer que a empresa pague indenização.

Para a advogada do TJ da UE, no entanto, a empresa agiu dentro da sua liberdade. Juliane considerou razoável o empregador querer um ambiente de trabalho neutro, onde nenhum funcionário expresse suas crenças religiosas e políticas.

Clique aqui para ler o parecer. 

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 1 de junho de 2016, 9h19

Comentários de leitores

1 comentário

Muçulmana impedida de usar véu

Gilmar Masini (Médico)

O usar véu não é uma obrigatoriedade religiosa e sim uma obrigatoriedade imposto pela sociedade muçulmana, uns usam o Shayla, Al-Amira, Khimar, Chador, Hijab, Nigab e a Burqa. Segundo a fonte pesquisada, esta vestimenta foi imposta pela sociedade masculina muçulmana e não é uma colocação do profeta Maomé e portanto passível de ser vetada. Uma pessoa por qualquer religião que tenha, é obrigada a se enquadrar dentro dos moldes da sociedade que foi viver. Se uma brasileira vai para o Islão embora ela seja católica ela tem que se portar de acordo com os costumes da sociedade que escolheu viver. O mesmo tem de ser aplicado aos muçulmanos que por vontade própria escolheram outros países para viver. Ele tem de se encaixar às regras deste país. Ninguém pede que ele mude de religião mas obedecer certas orientações do mundo islâmico é inadmissível. Então vestimentas é uma delas, ou se encaixa nos moldes do país imigrante ou volta para o seu país. Outra coisa é o fato de 5 vezes ao dia ter de rezar quem quiser ver quanto tempo dura vá a este site e verá que a dispensa por justa causa está plenamente justificada.
http://hamzaabdullah357.blogspot.com/2008/05/aprenda-rezar-como-o-muulmanos.html e o Islão ativo é neste outro site http://infielatento.blogspot.com/2014_06_01_archive.html
Porque será que no Brasil, embora haja a liberdade religiosa como nos outros, mas os muçulmanos se comportam de forma totalmente diferente, se encaixando dentro da nossa sociedade. Quer dizer que os bonzinhos vieram para cá e os incitadores foram para os outros lugares?

Comentários encerrados em 09/06/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.