Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Aspirante a imortal

Ministro aposentado do Supremo, Eros Grau quer entrar para a ABL

Por 

Ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal, Eros Grau quer ser um imortal. Ele se candidatou para entrar para a Academia Brasileira de Letras. O presidente da ABL, Domício Proença Filho, já recebeu a carta do jurista pedindo para concorrer à vaga deixada pelo crítico teatral Sábato Magaldi, que morreu no dia 14 de julho, segundo a entidade. Ele ocupava a cadeira de número 24. O poeta Geraldo Carneiro é o único concorrente de Eros Grau por enquanto, segundo a ABL. A eleição vai acontecer no final de outubro.

Em e-mail enviado à Conjur neste sábado (23/10), porém, o ministro diz que quer concorrer à vaga do professor e jurista Evaristo de Moraes Filho, que faleceu nessa sexta-feira (22). "Entrar lá é o meu sonho. Apenas dois sujeitos conseguiram a tríplice coroação: ABL, STF e Arcadas do Largo de São Francisco. Apenas dois, Pedro Lessa e Cândido Mota Filho", disse. 

U. Dettmar/SCO/STF

Não é a primeira vez que o ministro aposentado tenta ocupar uma cadeira dentro do Petit Trianon, no centro do Rio de Janeiro, e tomar o tradicional chá da tarde às quintas-feiras na companhia de José Sarney, Fernando Henrique Cardoso, Carlos Heitor Cony, Lygia Fagundes Telles, Ana Maria Machado e Paulo Coelho, entre outros. Em 2010, quando saiu do STF, Grau estava de olho na cadeira 29, do diplomata e ensaísta pernambucano Geraldo de Holanda Cavalcanti.

Eros Grau já escreveu vários livros sobre Direito. Na área da ficção, a estreia aconteceu em 2007, quando publicou Triângulo no Ponto, que retrata a vida de três personagens durante a ditadura militar (1964-1985). O trabalho tem um forte apelo erótico. “O sexual é tão marcante no livro que até mesmo em discussões sobre arte, literatura, política, mercado ou neoliberalismo imperam devaneios em que parceiras executam posições e entregas”, diz uma resenha publicada pela ConJur na ocasião do lançamento do livro.

Em 2013, o aspirante a imortal publicou Teu Nome Será Sempre Alice, de contos, também com forte apelo erótico. Segundo o texto de apresentação do livro, “é a partir da aventura amorosa, da busca do outro, que, no limite, se confunde com a realização da própria identidade, que se localizam os contos de Eros Grau. Não se trata de uma celebração festiva da carne: pelo contrário, Grau parece estar perfeitamente consciente de que, como seres condenados à linguagem, a fuga da solidão essencial esbarra num imenso muro de palavras”.

Segundo o ministro, em setembro deste ano a Globolivros publicará mais um livro de sua autoria. Também de contos. O título será A(s) mulher(es) que eu amo.

* Texto atualizado às 18h do dia 23/7/2016 para acréscimo de informações.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 22 de julho de 2016, 16h42

Comentários de leitores

1 comentário

Apogeu

O IDEÓLOGO (Outros)

Formado em Direito pela Universidade Mackenzie, ex-professor da USP, ex-Ministro do STF, o jurista Eros Roberto Grau tem um bom currículo. Divirjo de sua nomeação, porque o francês Michel Foucault disse que não é conveniente a autoridade perseguir a eternidade.

Comentários encerrados em 30/07/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.