Consultor Jurídico

Impacto financeiro

Aumento dos ministros do STF custará R$ 3,8 bilhões por ano, diz Senado

Retornar ao texto

Comentários de leitores

11 comentários

O povo que se dane!!

Amigo de Capitu (Outros)

Em plena crise econômica, moral, social e política, levamos um tapa na cara do STF e assistimos uma cabal falta de vergonha na cara, aliás, muita cara de pau!!! Povão desempregado, servidores estaduais e municipais com salários atrasados, falta de segurança, educação medíocre e saúde lastimável além doutros malefícios pelos quais a sociedade brasileira padece!!! Enquanto o STF analisa e julga os legisladores envolvidos na Lava Jato, os mesmos legisladores votam e aprovam o aumento salarial dos Ministros, até porque este aumento nada mais é que o teto do funcionalismo público, e sendo assim, é condição essencial para o reajuste salarial dos Poderes Legislativos e Executivo, ou seja, todos ganham, ops, menos o povo massacrado pelos impostos sem retorno!!!!

Oba! Mais tributos à vista

Marcelo-ADV (Outros)

O jeito é trabalhar mais (para pagar mais tributos, e assim garantir uma redistribuição de renda para as classes média e alta) ou se mudar, porque o Brasil não tem salvação.

Vale ressaltar que um relatório elaborado pela Secretaria de Reforma do Judiciário apontou que:

“Os salários dos juízes no Brasil, na esfera federal, quando comparados com os de outros países, em 2000, se situaram no topo do ranking, conforme dados do Banco Mundial, considerando a paridade do 5 poder de compra (PPPD).
[.PPPD - Paridade do Poder de Compra: O fator de conversão Paridade do Poder de Compra (Purchasing Power Parity - PPP) é o número de unidades da moeda de um país necessário para adquirir a mesma quantidade de bens e serviços no mercado doméstico que U$ 1,00 pode comprar nos Estados Unidos].
Os juízes federais brasileiros de 1ª instância tiveram salários superiores aos de todos os países, menos Canadá (tabela 20). Os magistrados de 2ª instância tiveram salários superiores aos de todos os países, à exceção da Colômbia e Canadá (tabela 21). Os ministros brasileiros de Tribunais Superiores tiveram salários mais elevados que os de todos os países, à exceção dos Estados Unidos, Equador, Argentina, Canadá, Colômbia e Nicarágua”.
(http://www.migalhas.com.br/arquivo_artigo/diagnostico_web.pdf)<br/>
Como se nota, a pesquisa menciona salários, o que não inclui (acredito) os diversos adicionais, os afamados penduricalhos. Se isso fosse incluído, provavelmente seria o número 1 do ranking em todas as situações.

Propostas para aumentar a remuneração não faltam, mesmo propostas absurdas, como querer ter um aumento de 70% em um país que não cresce, ou quase não cresce (quando crescia).

Em suma: mais tributos à vista.

Reajuste salariais para ministros do stf e outros setores

VALDOMIRO ZAGO (Contabilista)

Na situação que esta nação se encontra atualmente atitudes como esta nos deixa indignados, será que isto não causa impacto?
Ou o que causaria impacto é o julgamento dos processos de desaposentação? Daqueles que trabalharam se aposentaram e se viram obrigados a continuarem a batalhar novos caminhos, para uma vida mais digna. Mas quem sabe este aumento autorizado pelo governo, poderá fazer com que estes ministros pensem em seus semelhantes, julguem estes processos.

Aumento para o stf

6345 (Advogado Autônomo)

Descaramento! Vergonha! É isso o que vemos com esses reajustes. Totalmente despropositados. Pessoas perdendo seus empregos e sem perspectivas de recolocação tendo em vista a crise econômica existente. Então é assim: para os trabalhadores existe uma crise, já para as castas dos tribunais não? Mais uma vez vergonha, indignação! O dinheiro que vai remunerar esses descalabros é de uma caixinha mantida por estas castas ou também é dos pesados impostos arrecadados? Estão se lixando par os problemas econômicos existentes, aliás, que problemas econômicos na ótica desses privilegiados?

Tempestade em copo d´água

Roberto Marques contador (Contabilista)

É óbvio que o Governo tem condições de absorver os impactos dos aumentos na administração pública, haja vista que o déficit R$ 170,5 bilhões em 2016 e R$ 139 bilhões para 2017 já estão cobertos pelos R$ 500 bilhões que o Governo estima receber do BNDES. Temer espera receber 40 bilhões de reais "imediatamente" e duas parcelas anuais de 30 bilhões.

Também não podemos esquecer que a população brasileira vai contribuir com mais R$33,45 bilhões de arrecadação da CPMF em 2017, que será aprovada por nosso Congresso Nacional, até o fim deste ano, na Proposta de Emenda à Constituição (PEC).
Enfim, dinheiro não falta no Brasil, exceto para programas menos importantes como saúde, educação, segurança...

e os outros 15 projetos de aumento?

Gustavo P (Outros)

e os outros 15 projetos, o senado tem o impacto? foram uns 150, 180 bilhões? ? 3 bilhões parecem uma ninharia perto disso...bando de hipócritas

Retaliação pura e evidente

Gustavo P (Outros)

muito conveniente: as únicas carreiras que ficarão sem aumento são justamente os que julgam e os que denunciaram os políticos bandidos da lava jato. Defensores e advogados públicos vão ter reajuste e honorários, inclusive. Que a lava jato varra para as profundezas do inferno essa gente.

Agente estatal virou o dono do País

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É o dinheiro que está sendo retirado dos aposentados, dos hospitais, das escolas. Tudo em prol de se manter o elevado padrão de vida dos improdutivos agentes públicos brasileiros.

Sem contar nos penduricalhos

AMIR (Outros - Administrativa)

O subsídio, que deixou de ser parcela única, terá reflexos sobre o valor das diárias, que são de 1/30 avos (1300 por dia), sobre o valor do auxílio moradia e sobre o valor da gratificação de substituição que é de 1/3 do subsídio. O teto virou piso e o salário pago beirará os 50 mil mensais! Só em plena crise brasileira para aprovar um reajuste maior que a inflação

Tudo bem...

Professor Edson (Professor)

Afinal de contas estamos nadando no dinheiro, Crise? Que nada!!!

Farra com o erário

Tcharles Coelho (Estudante de Direito - Civil)

Tal propositura diante das circunstâncias na qual se encontra a Nação brasileira é no mínimo um ultraje ao cidadão, que trabalha pesado (e paga em torno de 40% em impostos de tudo que consome) recebendo no final do mês um salário que quando muito chega aos 1.000,00. Como se não bastasse a crise econômica e política insinua-se também uma crise institucional, medidas como essa não servem para nada se o objetivo é solidificar a democracia (se é que resta alguma para isso). A pergunta é: estamos em condições de aumentar os gastos com juízes que hoje já passam dos 100.000,00 mensais (por servidor)? Pode um agente receber 100 vezes mais que um cidadão? Isso é democracia?

Comentar

Comentários encerrados em 21/07/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.