Consultor Jurídico

Acusados de desvios

Carlinhos Cachoeira, Fernando Cavendish e empresários são soltos no Rio

Retornar ao texto

Comentários de leitores

5 comentários

A Força dos Poderosos

Juarez Araujo Pavão (Delegado de Polícia Federal)

Como é bom desviar dinheiro público no Brasil. O larápio fica rico, debocha das autoridades policiais e do Ministério Público, contribui com a miséria da saúde e da educação, estimula a violência, dá mau exemplo à sociedade e não sofre quaisquer consequências. Assim, o Brasil se tornou o País mais corrupto do mundo ocidental.

o Gran Circus Brasilis sauda a distinta " prateia"

hammer eduardo (Consultor)

O bacana de se ver nos dias atuais em que o Brasil virou esta indiscutível ZONA , alguns ditos " juristas" e operadores de direito falarem em " insegurança juridica", falta saber qual seria o plano B. Enquanto prevalecer a atual baderna consentida do prende , solta , volta a prender e solta de novo, fica difícil ver de outra maneira. Todos perderam a vergonha e agora voltamos sem sombra de duvida ao paraíso para os que não se enquadram na categoria " 3 P" que tristemente conhecemos. Os perfumados agora dao conduzidos " coercitivamente" se esgueirando das câmeras da Globo e pouco depois estão nas ruas sem maiores incomodaçoes salvo eventualmente um corte de cabelo rente porem " digratis". E um nojo minha gente.

1 + 1 = 2

Oficial da PMESP (Oficial da Polícia Militar)

Basta procurar na internet as matérias "Gleise indicou ministro que libertou Cachoeira", "Novo ministro paranaense no STJ é obra de Gleise, diz André Vargas" e "Nefi Cordeiro convida Vargas para posse no STJ e agradece apoio".

Jurisprudência

Professor Edson (Professor)

Pela jurisprudência do "justo" judiciário os pobres vão para os presídios e os ricos para suas mansões, o ministro colocado por Dilma faz um ótimo trabalho nesse sentido.

(!!!???)

Sersilva (Advogado Associado a Escritório - Administrativa)

Comentar o quê?

Comentar

Comentários encerrados em 19/07/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.