Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Venda de decisão

PF prende conselheiro do Carf acusado de pedir propina ao Itaú Unibanco

Depois de ser denunciado pelo Itaú Unibanco por cobrar propina, o conselheiro do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais João Carlos Figueiredo Neto foi preso em flagrante nesta quarta-feira (6/7). A ação, que faz parte de uma operação apelidada de quatro mãos, ocorreu no Shopping Iguatemi, em Brasília.

Em nota, a Polícia Federal informou que o flagrante ocorreu, de forma controlada, após autorização da 12ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal. “Nesse tipo de ação, é aguardado um momento mais oportuno, do ponto de vista da produção de prova, para realizar a prisão do investigado.”

A ação não tem relação com a operação zelotes, de acordo com a PF. A zelotes investiga esquemas de venda de sentenças no Carf para beneficiar empresas multadas pela Receita Federal e de negociação de medidas provisórias a favor de empresas do setor automobilístico.

A assessoria do Itaú Unibanco disse que a instituição foi vítima de conduta inadequada do conselheiro que solicitou vantagens para beneficiar o banco em julgamento do Carf e acrescenta que, ao denunciar o crime, espera ter “contribuído com a identificação de conduta contrária à ética e à lei”. “Dados os princípios éticos e de transparência que norteiam nossa atuação, voluntariamente reportamos os fatos às autoridades competentes”. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 7 de julho de 2016, 13h09

Comentários de leitores

1 comentário

Carf - continua solto

Ton (Auditor Fiscal)

A mudança nesse órgão tem que ser radical. Chega de remendos. Quando os carrapatos infestam eh melhor matar a vaca. O feito fiscal não tem que, obrigatoriamente, transitar em duas instancias administrativas. Vamos acabar com as DRJs e que o CARF constitua instância única, com a presença do Ministério Publico Federal nas secoes de julgamento.

Comentários encerrados em 15/07/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.