Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Biênio 2016/2018

Desembargador Herbert Carneiro assume presidência do TJ-MG

O desembargador Herbert Carneiro é o novo presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. O magistrado tomou posse na última sexta-feira (1º/7), juntamente com os demais membros da nova direção do tribunal, eleitos para o biênio 2016/2018. Ele assumiu o cargo no lugar de desembargador Pedro Bitencourt Marcondes.

Também integram a administração do tribunal nos próximos dois anos os desembargadores Geraldo Augusto (1º vice-presidente e superintendente judiciário); Wagner Wilson Ferreira (2º vice-presidente e superintendente da Escola Judicial); Saulo Versiani Penna (3º vice-presidente e superintendente da Gestão da Inovação). O novo corregedor-geral de Justiça é o desembargador André Leite Praça e, sua vice, Mariângela Meyer.

Perfil
Carneiro tem 56 anos e é desembargador do TJ-MG desde 2009. É mestre em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos e especialista em direito de empresa pela Fundação Dom Cabral.

Em seu discurso de posse, Carneiro lembrou que o Judiciário possui mais de 107 milhões de processos que estão sob a responsabilidade de pouco mais de 15 mil juízes, o que impõe carga excessiva de trabalho para magistrados e servidores, com reflexos na morosidade da tramitação processual.

Ressaltou ainda a necessidade de avançar no aprimoramento do sistema de justiça brasileiro e a importância das parcerias institucionais com órgãos e demais poderes, bem como com associações de magistrados, a Ordem dos Advogados do Brasil e a imprensa. Ele falou ainda que irá trabalhar para alterar a Resolução 495/2006, que trata dos critérios promocionais da magistratura mineira. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-MG.

Revista Consultor Jurídico, 3 de julho de 2016, 16h27

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 11/07/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.