Consultor Jurídico

Notícias

Diminuição de gastos

Presidente da OAB promete ir ao STF contra redução de horário em tribunais

Comentários de leitores

14 comentários

Ao RDIASN (Serventuário)

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Por gentileza,
Quantos dias úteis de trabalho houve na Justiça "do Trabalho", especialmente a de SP, em 2015, somando-se os períodos de: recesso + férias + feriados e emendas + suspensão de expediente + greve +recesso ao final de 2015.
O Sr. vai ficar surpreso.
E o custo fixo improdutivo que leva o Brasil para a ruína. Qualquer empresa que vivesse essa realidade da JT teria falido em menos de um ano.

Medida Provisória 711/2016

RDIASN (Serventuário)

Não vejo ninguém se insurgir contra a medida provisória que, dentre outros, cancela gastos com Fiscalização da Aplicação dos Recursos Públicos Federais (TCU), Apreciação e Julgamento de Causas (STF, STJ etc) e Prestação de Assistência Jurídica ao Cidadão (DPU), e destina referidos recursos para o pagamento de auxílio moradia.
Igualmente, não vejo a OAB questionando a dívida pública, ou o aumento dos gastos com o fundo partidário.
Só na visão das pessoas que comentam por aqui é que a solução passa por penalizar o serventuário que está sem reposição da inflação.

Ao Saulo Rocha (Serventuário)

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Meu caro, não desvie o foco.
No TRT/SP o atendimento começa às 11:30 e o expediente encerra às 18:00. Então, comece às 12:00, conceda uma pausa de 15 minutos e reajuste (para valor de lanche, não de almoço) o auxílio refeição.
Que se aplique o home-office: elimine o auxílio refeição, auxílio transporte.

Plantão

Luis Henrique da Silva Marques (Advogado Autônomo)

Os tribunais funcionam 24 horas por dia... Não existe plantão?
Se o caso é urgente, não dá para esperar o dia seguinte, acione o plantonista!!!

O que falta no Brasil

Ramona Jara (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Contas abertas, já que o que se verifica nos nossos Tribunais é redução de servidores de carreira, e aumento de estagiários, a mesma ladainha de que não tem recursos, mas o duodécimo vem recebendo reajuste e aumentos.
As construções faraônicas de prédios, quando já existe prédios que poderia ser ampliado. Juízes e servidores em licença que muitas vezes ultrapassam ano sem trabalhar, financiamento de bolsas no exterior para alguns afortunados, comarcas sem Juízes .
Creio, que o que falta no Brasil é a realização de auditoria externa, para sabermos de fato onde estão sendo aplicado os recursos públicos. Não só no Judiciário, mas no legislativo, no executivo, creio que a Ordem deveria encampar essa luta em defesa do povo brasileiro que paga imposto, já que temos os "que só vivem as custas dos que trabalham, ou seja, os que recebem 'bolsas' de dinheiro publico .

Hipocrisia

Jcamargo (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

A oab, na época de aprovação da ec/45 fez alarde sobre a necessidade de cessarem as férias forense, afinal os advogados queriam trabalhar. Não demorou dois anos, vendo o tiro no pé que deram, começaram a mendigar aos tribunais a suspensão dos prazos no fim do ano, afinal a classe precisava tirar férias.

Olha a mentalidade do colega

Saulo Rocha (Serventuário)

Ao invés de brigar pela manutenção de direitos do trabalhador, o advogado sugere suprimi-los (auxílio alimentação). O que tem que cortar são os privilégios. Só o auxílio moradia dos magistrados custará quase 1 bilhão. Mas a OAB é cega para essas indecências...

Que tal OAB reclamar do corte do orçamento? Que tal rechaçar a cartinha dos 100 birrentos que falam asneiras contra a Justiça, em prol da impunidade?

Chega de futilidade, OAB...

Qual a lógica?

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Montadoras não vendem carros e cortam jornada, dão férias coletivas. Tá certo.
Uma loja não vende, encerra expediente mais cedo. Tá certo.
A crise está aí, muitas ações trabalhistas ajuizadas e... manutenção de vencimentos e benefícios aos servidores e... diminuição de expediente? Piada.
Se o servidor ganha, p. exemplo, R$ 10.000,00 e trabalha 8h/dia, ele custa X para o Povo. Se ele continua ganhando 10.000,00 e trabalha 6h/dia, custará X+1, mais caro portanto.
Que tal, então, instituir o home-office (economia de energia para o TRT) cortar vake-refeição e auxílio - transporte? Aí sim economiza. Cortar expediente mantendo íntegros os vencimentos e diminuir a produção (enquanto cresce o número de processos) pelo expediente encurtado é estranho.

Povo é quem sempre paga o pato

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

No mais, verifica-se que no Brasil o serviço público está muito distante de qualquer nível civilizatório. Como se sabe, os vencimentos médios no Judiciário brasileiro no que tange aos juízes gira na casa dos 30 mil. É algo astronômico mesmo para países ricos, na qual a renda média é muitas vezes maior. No entanto, mesmo considerando os rombos orçamentários, e a baixa qualidade do serviço prestado, a magistratura não se envergonha de piorar ainda mais o serviço ao invés de cortar na carne e estabelecer seus vencimentos de acordo com a realidade. Enfim, quem paga o pato é o povo, já massacrado pela ineficiência do Estado e do Judiciário mais particularizadamente.

Dinheiro tem

Kaltss (Procurador Federal)

Corta o auxílio-moradia que sobra dinheiro.

OAB não é mais nada

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Se depender da OAB os tribunais vão todos fecharem, se quiserem.

processo digital

Ricardo T (Advogado Assalariado - Civil)

Com o processo digital, admito que tenho ido pouco ao Fórum, somente para casos pontuais e de urgência. Acho que se funcionar por 4 horas está bom, desde que as audiências não atrasem.

demagogia

Prætor (Outros)

com o processo digital, o horário do expediente deveria ser até mais reduzido ainda, já que (quase) tudo encontra-se disponível online.
A OAB é hoje, mais do que nunca, um poço de demagogia.

é da quadrilha

sytote (Advogado Autônomo - Civil)

como advogado não aceito esse petista como representante.
deveria contestar as falcatruas da quadrilha, que ele faz parte, e não tentar briga com os tribunais.

Comentar

Comentários encerrados em 4/02/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.