Consultor Jurídico

Entrevistas

Nova gestão

"Sempre que governo tem problema de caixa, busca solução no bolso do cidadão"

Comentários de leitores

18 comentários

Coerência e Contradição - são incompatíveis

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

Há coerência em suas afirmações, mas não em tudo. A contradição. Os gastos com judiciário são aterrorizadores e inviáveis. Salários disfarçados de indenizações e isenções do Imposto de Renda desrespeitam e abusam a inteligência do cidadão.
Um teto remuneratório que nunca existiu (para muito há apenas o piso remuneratório). Se tem que respeitar a CF, começamos por aqueles que ética, moral e legalmente deveriam primeiro respeitar.

Sociedade

carlmarx (Estudante de Direito)

No meio dessa guerra entre gangues como fica a sociedade que morre à míngua por falta de saúde e segurança?

Incapacidade, Prodigalidade e Improbidade Gerencial (2)

Carlos Bevilacqua (Advogado Autônomo)

Não apenas o governo federal tem buscado camuflar sua incapacidade crônica para administrar. Temos exemplos de improbidade, prodigalidade e incapacidade de alguns governadores e prefeitos. O presidente eleito da OAB disse na entrevista a Conjur: "Fiz a mesma crítica que faço ao governo federal no Rio Grande do Sul quando o governo estadual aumentou o ICMS. Precisamos também debater e revisar o pacto federativo, reavaliando a distribuição do bolo tributário e a redefinição de papéis e obrigações de estados, municípios e União". Logo, não se referia apenas ao governo federal...

Emblemático

Luiz08João (Professor)

É EMBLEMÁTICO, quando o articulista é apresentado como:
"Crítico da corrupção estatal no governo federal". Porque só do Governo Federal?
Aos que ombreiam a seletividade e partidarismo, se chafurdam, e engrossam fileiras, sem o mínimo de rubor facial.
Aos que pensam, fazem leitura crítica, e buscam por princípio a ética em seu sentido maior, nem leem o artigo.
É o caso. Acompanho diariamente excelentes artigos nessa revista eletrônica, os leio, os estudo e medito. Mas a esse panfleto travestido de sérios, honestos pareceres jurídicos, digo comigo mesmo. A vida é curta para perder tempo com bobagens.
João Luiz

aos que criticam

afixa (Administrador)

O exame da oab. Sugiro estudem. Estudem. Estudem.

Incapacidade, Prodigalidade e Improbidade Gerencial

Carlos Bevilacqua (Advogado Autônomo)

Os governos que buscam atribuir o fracasso de suas gestões à conjuntura internacional, às "elites", aos "conservadores x progressistas" e se utilizam de frases de efeito para incentivar a "luta de classes" para, com essas manobras, obter referendum popular em pleno século 21, buscam camuflar sua incapacidade crônica para administrar um nação com o fito de permanecer no poder. Aqueles que incentivam investimentos de bancos públicos, com cobertura do erário, para realização de grandes obras públicas em outros países, em lugar de realizá-las no país de origem - que as necessita prioritariamente para gerar o necessário efeito multiplicador interno de trabalho, emprego e desenvolvimento, agem com prodigalidade às custas do próprio povo que sustenta um governo repleto de "cabides de emprego" e gordos salários com o pagamento dos altíssimos impostos vigentes. Tudo isso, somado aos efeitos do "propinoduto", denota improbidade administrativa. Até quando?

Bem no alvo

Sargento Brasil (Policial Militar)

Mas, não tenham dúvidas e não é só no governo federal, é em todos os níveis (federal, estadual e municipal), também, não é nenhuma novidade, há muitos centenários e a com o passar do tempo, se ''especializa'' ainda mais em ''tirar o couro'' do povo! Muitos comentam sobre a a volta da CPMF, inclusive aqueles que a instituiu a primeira vez com o engodo de termos uma saúde pública de primeiro mundo. Só mudaram as moscas, o bolo é o mesmo.

Oab sob nova direção

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista. Sua Excia, Dr. Lamachia foi muito feliz em seu discurso de posse quando se referiu ao sistema tributário brasileiro: "é caótico e indecente, dizendo que ele é “feito para que ninguém consiga cumpri-lo, e, portanto, para que todos fiquem em mora com um Estado acostumado a criar dificuldades para vender facilidades”.Esse posicionamento, Excia. se encaixa perfeitamente na indecência do fraudulento, famigerado caça-níqueis exame da OAB, feito não para medir conhecimentos e sim para reprovação em massa; quanto maior reprovação maior faturamento. Vendem-se dificuldades para colher facilidades. Estima-se que nos últimos vinte a nos OAB abocanhou extorquindo com altas taxas de inscrições e reprovações em massa, quase R$ 1,0 bilhão de reais, sem nenhuma transparência, sem nenhum retorno social, sem prestar contas ao TCU, gerando fome, desemprego, depressão, síndrome do pânico e outras doenças psicossociais, uma chaga social que envergonha o país.Nos idos da minha infância na terra dos saudosos conterrâneos e colegas juristas Rui Barbosa, Luiz Gama (...), somente filhos da elite poderia ser advogado. Porém com o advento de os governos FHC, Lula e Dilma, aumentaram o número dos cursos jurídicos em nosso país, girando em torno de 980 faculdades de direito.Doravante filhos de trabalhador rural, guardador de carros, filhos de prostitutas, filhos de catadores de lixo, empregadas domésticas, descendentes de escravos, índios, outras camadas mais pobres da população também podem ser advogados.Mas os mercenários da OAB acham isso um absurdo, como pode o país ter mais faculdades de direito, ter mais bibliotecas jurídicas do que cracolândias? Fim urgente do caça-níqueis exame da OAB. Já não escravos. Mas irmãos. Papa Francisco.

Antigas ideias

Um advogado (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Já em 1994, quando da criação da ASABB, Cláudio Lamachia já se mostrava ferrenho defensor dos direitos dos advogados, à época no universo do Banco do Brasil, foro onde muitas batalhas foram travadas na defesa dos honorários e prerrogativas daqueles 800 advogados, dentre os quais eu me incluía com orgulho. E agora, patamar mais alto, continua na defesa dos advogados do Brasil todo. É também com orgulho e gáudio riograndense que tenho acompanhado a tua trajetória, doutor, e muito me agrada vê-lo no mais alto patamar da advocacia. Parabéns pela conquista que é nossa também. Abraço!

No começo tudo é guerra. Até quando?

Fernando Luiz Bornéo Ribeiro (Advogado Autônomo - Civil)

Estou amando de paixão a postura do Presidente do Conselho Federal da OAB. Ao longo dos meus 36 anos de atividade profissional só vi atitude da OAB até antes da contra-revolução de 1964. Depois disso a direção da OAB, quer no Conselho Federal. quer nas Seccionais, quer nas Subseções, valeram-se do "farinha pouca meu pirão primeiro". Torço para que o novo presidente do Conselho Federal não se preocupe em arranjar uma vaguinha no quinto constitucional, e que distribua esse exemplo pelas Seccionais e Subseções pelo país afora. E que Deus o ilumine.

Transparencia

Joao Claudio Margoni (Técnico de Informática)

Bravo ! Claudio Lamachia.
- Precisamos de representantes com determinações e transparencias, para que, pelo menos acreditar e filtrar as mais diversas injustiças e descasos dos politicos e administradores publicos contra o trabalhador.
Estou aguardando a mais de 8 anos a resolução do STF sobre a Desaposentadoria.
Não há fundamento nas desculpas descabidas dos Ministros, INSS e Governo Federal. É uma injuria e maldade contra o idoso trabalhador, que já contribuiu mais de 40 anos e continua contribuindo para a Previdencia, acumulando um total de quase 52 anos.
Aguardamos suas sugestões que deverão chegar às portas do STF e Governo, em defesa dos direitos do trabalhador aposentado e que continua trabalhando.
Obrigado e bom desempenho nesta sua nova meta.
J. Claudio. 29/02/2016 - Porto Alegre/Rs.

Nova Gestão

Jorge Bloise (Advogado Sócio de Escritório)

Parabéns ao Presidente Lamachia por marcar no seu comentário, uma postura que bem representa a Nobre Classe.

Cláudio Lamachia - Parabéns

EDSON (Bacharel)

Gostaria de parabenizar ao Sr Cláudio Lamachia pela exposição do tema.: O GOVERNO E O BOLSO DO CONTRIBUINTE, tão necessário à sociedade brasileira. Esta usualidade do governo sempre aumentar as despesas e consequentemente os impostos não mais será aceitável pela sociedade brasileira cansada de tantos desmandos. Até que em fim temos uma OAB voltada para os interesses da sociedade. Nunca fiz um exame de ordem por ser inconstitucional e também, não compactuar com determinados procedimentos dos seus associados. Quem sabe agora nestes próximos três me habilite a exercer esta profissão.

Dialogo com a sociedade?

Ariosto Moreira da Rocha (Bacharel - Administrativa)

Vamos começar então: dialoguemos pelo fim de um exame aplicado pela OAB que além de ser injusto, ilegal, arrecada milhões e não tem prestação de contas, é uma porta aberta para corrupção, como sociedade, queremos pedir o fechamento dessa porta. È possível dialogar Lamachia?

Ciclo vicioso ou viciado

Gilberto Serodio Silva (Bacharel - Civil)

Lucro é fator de giro de estoque de produtos e serviços.
Dinheiro não se reproduz no máximo "imprimesse" mais ou criam mais moeda eletrônica, contas gráficas.

Dinheiro não produz nada não trasforma nada, quem faz isso é o trabalho.

Do giro, velocidade de circulação da moeda Brasileira, o capital se apropria de uma substancial quantia com esses juros absurdos que estão aí e a correção monetária!

Do outro temos o Estado voraz com um sistema anacrônico e estúpido de tributação estimulando a soengação e fraudes que sustentam um sistema perverso de cobrança.

É uma Selva, a luta pela sobrevivencia no Brasil.

Mas a CPMF é o imposto mais democrático e a prova de sonegação e caixa dois. A quantidade de papel moeda é fração menor da Base Monetátia.

A Operação Zelotes investiga o Pixuleco do filho do Lula, isso? Sei, sei ,sei.....Pensam que somos todos idiotas.

Higienizar o Brasil

Observador.. (Economista)

Com diminuição do Estado, limpeza dos maus funcionários/dirigentes, rediscutir a estabilidade-sem-qualquer-compromisso-com-bom-desempenho e limitar, cobrando através de leis rígidas, salários do funcionalismo.
Se nada mudar, ficaremos sempre dividindo o ônus da má gestão enquanto poucos usufruem do bônus à que tem acesso por fazerem parte de algumas instituições estatais privilegiadas.

pretensão

Octavio Pires (Advogado Autônomo - Civil)

- Como presidente da OAB, ele deveria ter mais responsabilidade sobre aquilo que fala e faz. Ataca o Estado ou o governo como sendo perdulário, mas pretende aumentar ainda mais o já abarrotado judiciário. Abarrotado de funcionários e juízes. Só para lembrar a JT tem mais de 90 varas somente na cidade de São Paulo. Cada uma delas tem 2 juízes, 1 diretor, 3 supervisores e mais oficial de gabinete e secretario de diretor e secretario de oficial de gabinete E outros cinco ou seis funcionários. Pergunto, Com tanto chefe, afinal, quem trabalha? E vamos lembrar o salário do mais ONESTO "funcionário" do Brasil: R$77.000,00 isso mesmo, é o que ganha o tal de Moro, apesar de existirem leis proibindo pagamentos a quem ganha mais de 35 mil. Vamos lembrar ainda que a CPMF é criação do PSDB quando estava no governo, o qual, ademais, elevou a carga tributária de 28% para os 37% atuais.Esperto, o novo Pte ataca o fraco ou ora enfraquecido governo em busca de holofotes. Mas esquece sempre, dos reais problemas dos advogados.O maior deles é o de sermos respeitados nos corredores dos poderes, principal e obviamente, pelo Judiciário.Mas isso lhe custaria enfrentamentos doloridos. Lembrando ainda dos tributos, durante a ditadura, que ora muitos pretendem de volta, havia o tal de empréstimo compulsório para compra de carros e viagens. Alguém lembra? 30% era a alíquota. E o silêncio era total. Não havia e não se podia fazer questionamentos. Muitos dos sábios economistas que vemos a todo momento traçando as razões e as saídas para a crise, são os criadores dessa carga tributária, bem como da regulação tributária (CTN) que há. Diga-se, de qualquer modo, ela é menor que a americana ou européia.

Fazer costesia com o chapéu alheio

Juarez Araujo Pavão (Delegado de Polícia Federal)

Vejam os salários da corriola do PT publicado no Jornal o Globo, de 28.02.2016, simplesmente, R$39.000,00 reais mensais. Por outro lado, o governo quer recriar a CPMF, congelar o salário mínimo, derrubar a desaposentação de que precisa continuar trabalhando para sobreviver. A nação precisa reagir.

Comentar

Comentários encerrados em 7/03/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.