Consultor Jurídico

Operação calicute

Por não ver urgência, ministra Cármen Lúcia nega HC a réu preso

Retornar ao texto

Comentários de leitores

4 comentários

STF e os seus juízes.

João B. G. dos Santos (Advogado Autônomo - Criminal)

O STF pela sua atual composição é uma lástima. Seus ministros falam o que bem ou mal entendem fora dos autos ou dentro deles . É vergonhoso que um pedido de soltura não seja examinado por não ser considerado urgente. O que é urgente então senhora presidente?

Até tu, supremo tribunal?

Joao Sergio Leal Pereira (Procurador da República de 2ª. Instância)

Antes de criticar a decisão noticiada, tive o cuidado de buscar as razões que levaram a eminente ministra Carmen Lúcia a decidir a questão. Surpreendente, constatei que a fundamentação sequer atendia ao que driposto no art. 93 da Constituição Federal. É o que é pior: mesmo que ali se enxergue uma fundamentação "concisa", o que não é o caso, afirmar que não existe urgência num pedido de liberdade de um cidadão preso é desconsiderar toda a gama de direitos que a Carta Magna fez introduzir a partir de 1988. Imperdoável decisão, senhora ministra Carmen Lúcia.

Sinal dos tempos...

Guilherme Batochio (Advogado Sócio de Escritório)

Faço minhas as suas palavras Halisson Paes.

Oi? Como assim!?

Halisson Paes (Advogado Assalariado - Civil)

O cara cumpre pena por algum outro crime? Como assim não há urgência diante de uma prisão que possa ser ilegal? o que está acontecendo? virou vale tudo?

Comentar

Comentários encerrados em 30/12/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.