Consultor Jurídico

Combate à corrupção

Sergio Moro defende uso de provas ilícitas e teste de integridade de servidores

Retornar ao texto

Comentários de leitores

11 comentários

Faltou o detector de mentiras

Macaco & Papagaio (Outros)

Uso de provas ilícitas e teste de integridade de servidores?No Judiciário e no MP todos são santos e por isso não devem passar pelo detector de mentiras que esquexeram de incluir no pacote.
Amambai (Advogado Assalariado - Civil) mandou bem seu recado..só esqueceu de falar do auxílio-moradia dos míseros 5 mil reais e do aumento agora de 41 por cento para a juristocracia de papel.
Pedir agilidade e prazo ao Estado e aos seus imperadores elitistas que ganham mais de 30 mil reais é demais também né??

Que bobagem ...

João B. G. dos Santos (Advogado Autônomo - Criminal)

A utilização de provas ilícitas é um absurdo jurídico que deve ser veementemente repudiado.

Igualdade - liberdade - expressão

Amambai (Advogado Assalariado - Civil)

Lamentavelmente esse espaço não possibilita a livre manifestação, talvez seja o mesmo medo que os parlamentares têm em aprovar leis que garantam igualdade, em um país de bandidos, juiz é imperador, em um país covarde que aumenta os vencimentos de classes privilegiadas resolve cortar benefícios mínimos aos segurados como: auxílio-doença e aposentadoria, na grande maioria que recebem um salário mínimo, economia burra e socialmente cara, mas tem dinheiro para os aumentos astronômicos para os que têm poderes.

Por isso não dá para acreditar, hoje deveria ser um dia importante para a nossa nação, olimpíadas, mas está mais para olim'piadas'.

Continuem calando a nossa voz.

Proposta ao MM Juiz

Amambai (Advogado Assalariado - Civil)

Se quer mudanças poderia começar em garantir o princípio da igualdade:

Férias de 60 dias para todos os trabalhadores;
Recesso de 20/11 a 06/01 para todos;
Observação do teto de vencimentos, sem penduricalhos que multiplicam os vencimentos;
Jornada de 6 horas para todos os trabalhadores;
Previdência única para todos os brasileiros, independente da função, natureza pública ou privada;
Educação, saúde e segurança para todos os brasileiros.

Certamente, contribuiria muito mais do que defender um estado justiceiro, muito melhor do que prender é educar, um país que remunera melhor o que prende do que o que educa, tem de construir mais prisões.

igualdede

Prova ilícita

Amambai (Advogado Assalariado - Civil)

Se a prova é ilícita está eivada de nulidade. O nobre magistrado deve estar usando a constituição do Irã, Coreia do Norte, talvez da Síria, não é possível que um juiz brasileiro defenda um estado bandido.

Que feio Conjur

Pedro MPE (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Matéria tendenciosa desde o título. O Professor Edson disse tudo. Mais uma vez o site utiliza a velha estratégia da advocacia de porta de cadeia que tenta desqualificar o agente público e se desviar dos fatos. Que feio Conjur, a gente esperava mais, que papelão.

Vamos esquerdar menos

Thiago Martins23 (Advogado Autônomo)

Tá bom, vai... O redator da notícia não esquerdou, foi mera aparência. Daqui a pouco a caneta desesquerdizadora vai passar pelo Conjur também.

Penas rpivativas de liberdade

ponderado (Funcionário público)

Na aplicação das pena privativa de liberdade deve ser aplicada uma redução por ano de tempo decorrido dos fatos como regra de transição da prescrição penal.
Pois não é justo que uma pessoa seja condenada e outra não em razão de apenas 1 dia ou uma semana de diferença.
Deve ser instituída uma prescrição parcial conforme o tempo decorrido da data da infração.
Dado que ninguém merece ficar com a espada de dâmocles pontada para a sua cabeça ad eternum..

Realidade!

Marcelo-ADV (Outros)

Brasil = 58 mil homicídios por ano.

E apenas 5% a 8% dos homicídios são elucidados no Brasil.

http://www.conjur.com.br/2012-ago-30/coluna-lfg-homicidios-sao-elucidados-brasil

Em síntese: 92% dos homicídios no Brasil ficam impunes de cara, pois não se descobre a autoria. Uma falha na investigação, portanto.

Agora, com esse número brutal, acreditar que a impunidade existe por causa de alguma garantia, é desconsiderar a realidade social.

Além disso, os números comprovam.

Nesta pesquisa (link abaixo), das 65,5% das denúncias recebidas pelo Judiciário, em 87% dos casos o réu já estava preso. E 63% dos réus que cumpriram prisão provisória foram condenados a penas privativas de liberdade e 17% foram absolvidos.

"Em 60% dos casos em que houve sentença condenatória, não houve qualquer recurso".

Então, o número de recursos de uma decisão de segundo grau não é tão grande, e menor ainda é o número de recursos admitidos, já que há inúmeras restrições para se admitir um recurso especial ou extraordinário.

Citação: “‘Uma vez proferida a sentença, ela é cumprida imediatamente pelos réus. São poucos os processos com recursos capazes de adiar o cumprimento da sentença’, afirma o Ipea”.

Citação: “Jogada ensaiada
‘Os dados mostram que, embora o senso comum diga que as leis são fracas, ou que a polícia prende para a Justiça soltar, a realidade é que, instaurado o inquérito, o Ministério Público denuncia e a Justiça assina embaixo’, comenta Oliveira Júnior, que é diretor de estudos e políticas de Estado das instituições da democracia do Ipea”.

http://www.conjur.com.br/2014-nov-27/37-submetidos-prisao-provisoria-nao-sao-condenados-prisao

Em suma: garantias (que praticamente não existem na prática) não são responsáveis pela impunidade.

Voltando à Idade Média

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O texto parece ficcional. Se alguém tivesse dito essas palavras há uma década teria sido interditado por sentença judicial.

Conjur

Professor Edson (Professor)

A foto inicial da matéria com Moro pagando de Darth Vader já deixa claro a perseguição(Sempre a mesma), a lei que bate em 700 mil pobres não pode bater nos ricos do país, o erro do Moro foi tentar democratizar nosso código penal.

Comentar

Comentários encerrados em 13/08/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.