Consultor Jurídico

Notícias

Regime domiciliar

Advogada está presa há mais de um mês por calúnia contra juízes no ES

Comentários de leitores

  • Página:
  • 1
  • 2

26 comentários

Aprendam!

rode (Outros)

Nenhum juiz irá abanar o rabinho pra vocês. Se acham no direito de acusar juízes a vontade? Tomam e aprendam.

amrfazenda@hotmail.com

Aureo Marcos Rodrigues (Outros)

Devo informar que o caso da digna Advogada é semelhante a esse caso, pois a JUSTIÇA neste País, “NÃO” está sendo aplicada de forma equitativa, pois tem que ter “responsabilização de Promotores e de Juízes”, pois o “CORPORATIVISMO” esta dominando as Autoridades Judiciarias Fiscalizadoras e essa OMISSÃO, fere a Democracia e o Estado Democrático de direito e põem em risco toda SOCIEDADE CIVIL BRASILEIRA, pois se não tiver uma CORREÇÃO já, o PODER JUDICIÁRIO, vai acabar com, o nosso Estado Democrático de direito e vai voltar os tempos da “DITADURA”, pois é somente a “SOCIEDADE CIVIL e os membros do LEGISLATIVO e do EXECUTIVO” que são “desqualificados e presos”, mais quando precisa aplicar a lei nos membros do PODER JUDICIÁRIO, ou do MINISTERIO PÚBLICO, os infratores são “PROMOVIDO” ao invés de ser “PRESO” e os processos são arquivados o ficam parados conforme mostra a noticia de fato junto a PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA sob. o nº. 1.20.000.000.442.2014.11 e os dois PEDIDO DE PROVIDÊNCIA-noticia-crime junto o CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA sob. o nº. 0005456.67.2014.0000 e 0004098-72.2011.2.00.0000, onde “PROVA que o CNJ, TJ-MT, e a CGJ-TJ-MT, violou a RESOLUÇÃO 135/2011-CNJ”, pois a vitima AUREO M. RODRIGUES, já trancou ação penal através do Mandato de Segurança código 416/2007 que tramitou junto a 2º TURMA RECURSAL e até hoje não pode usar seus direitos Constitucionais devido essa PERSSEGUIÇÃO, que o “Juiz Leopoldino Marques do Amaral morreu DENUNCIANDO”. Acesse o site da pagina olharjuridico com o tema: JUIZ CONSEGUE NA JUSTIÇA BLOQUEIO DE VIDEOS QUE O ACUSAM DE VENDA DE SENTENÇA, para ver na área de comentário o ultimo PEDIDO DE PROVIDÊNCIA feito publicamente ao Procurador Geral “RODRIGUES JANOT”.

Enquanto isso ....

João B. G. dos Santos (Advogado Autônomo - Criminal)

A OAB dorme, o CNJ dorme e o TJES dorme. Aboliram o direito de petição, criminalizaram a advocacia e o Estado de Direito desmorona. Me solidarizo com a senhora advogada pois estamos sós nesta nobre profissão. Enquanto isso .......

Se advogados fossem julgados pelo povo

rode (Outros)

Metade estaria condenada.

Crime no exercício da judicatura

Xarpanga (Advogado Autônomo - Civil)

"Por essas e outras é que tenho sustentado que ações em que figure um juiz ou qualquer outra autoridade, decorrentes de fatos praticados no exercício da função, devem ser de competência do júri popular." É uma boa sugestão para os nossos parlamentares no Congresso Nacional apresentarem um projeto de lei.

Não leram a notícia?

rode (Outros)

Não viram que o criminoso aqui é a advogada? Por que tanta insistência contra o óbvio? Além do mais, essa história está mal contada. Calharia bem a sentença.

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

Observador.. (Economista)

Não considero o senhor um "sortudo".
Lamento, isto sim, por viver em um país onde tais fatos acontecem e são assimilados como se fizessem parte da paisagem.
Não sei se alguns conhecem a Oração aos Moços , discurso de Rui Barbosa ao paraninfar os formandos na Faculdade de Direito no Largo de São Francisco, mas pinço um trecho aqui:

"Bem pode haver ira, sem haver pecado:
Irascimini, et nolite peccare. E às vezes poderá haver pecado, se não houver ira: porquanto a paciência, e silêncio, fomenta a negligência dos maus, e tenta a perseverança dos bons. Qui cum causa non irascitur, peccat (diz um padre) patientia enim irrationabilis vitia seminat, negligentiam nutrit, et non solum malos, sed etiam bonos invitat ad malum. Nem o irar-se nestes termos é contra a mansidão: porque esta virtude compreende dois atos: um é reprimir a ira, quando é desordenada: outro excitá-la, quando convém. A ira se compara ao cão, que ao ladrão ladra, ao senhor festeja, ao hóspede nem festeja, nem ladra: e sempre faz o seu ofício. E assim quem se agasta nas ocasiões, e contra as pessoas, que convém agastar-se, bem pode, com tudo isso, ser verdadeiramente manso. Qui igitur (disse o Filósofo) ad quae oportet, et quibus oportet, irascitur, laudatur, esse que is mansuetus potest."

Espero que o povo brasileiro, um dia, acorde da mansidão e passe a lembrar que, na República, todo o poder emana do povo e em seu nome deve ser exercido.
Enquanto tivermos castas, não seremos um país nem orgulhoso de suas instituições e nem pacificado.
Estaremos sempre condenados a viver em uma sociedade onde alguns podem muito, outros nada podem e a maioria fica em silêncio.

Possível arbítrio!

Wesley Macedo de Sousa - Advogado e Professor de Direito (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

É estarrecedor o cenário apresentado no artigo! O caso requer acompanhamento rigoroso da OAB para verificação de existência de absurdo abuso de autoridade! Fixar uma pena tão elevada por "crimes de calúnia" ocorridos em reclamações disciplinares deixa a sensação que os advogados que denunciarem possíveis irregularidades cometidas por magistrados em órgãos correcionais correrão alto risco, enfraquecendo a Democracia Cidadã!!! As entidades classistas devem atuar de forma criteriosa, sob pena de perder sua credibilidade!

E a OAB???

isabel (Advogado Assalariado)

Enquanto isso nossa "combativa" OAB, na palavra de seu presidente, quando da posse, em vez de louvar a luta diária que seus membros enfrentam ante as ditaduras do judiciário e do MP, e brandir as prerrogativas da categoria, preferiu conclamar justamente o MP e o Judiciário para a luta !
Se nossa nobre profissão segue aviltada e desrespeitada até mesmo "dentro de casa" o que esperar dos nossos verdugos ?
A criminalização da advocacia, que busca, maquiavelicamente, confundir o profissional com o cliente, tem trânsito livre na quadra alarmista e moralista ( amoral) pela qual passa a nação.
Oxalá, nossos líderes se deem conta disso e passem a defender a categoria.

Juízes do espírito santo

Fernando Charnaux Rocha (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Fico estarrecido ao ler a matéria, mas não me causa estranheza pois, recentemente, em uma audiência em Cachoeiro do Itapemirim vi coisas que até Deus duvida e nas barbas da juíza. Pelo que li na matéria publicada advogar no Espírito Santo é uma atividade de alto risco. Falar em corporativismo seria brando. O caso sugere uma investigação a nível nacional, pois estamos diante da ameaça ao estado de direito.

Continuamos na escuridão

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

Ao ler esse artigo, minha mente fez um back out ao ano de 2011 quando eu estava na 1ª Vara de Família do complexo judiciário da Zona Norte, em Natal, RN, e recebi gritos e ameaça de ser expulso do local por uma assessora da juíza apenas porque contradisse a mesma que a parte no processo (no caso minha ex companheira), tinha o direito de falar com a juíza.
Levei o caso à Corregedoria do Tribunal e depois de uma apuração de faz de conta concluíram pelo arquivamento da sindicância sob o pseudo argumento de que não havia provas do alegado e que ela era uma ótima servidora.
Apesar do resultado vergonhoso, hoje me considero um sortudo de ainda por cima não ter sido processado, condenado e preso, mesmo tendo sido vítima de abusos imperdoáveis praticados por um servidor público.
Afinal, estamos no Brasil, país onde, apesar de toda evolução tecnológica e científica, ainda persistem algumas oligarquias e castas que se consideram intocáveis, acima do bem e do mal.

Impedimento

anão (Serventuário)

Incrível como não foi arguido e declarado o impedimento de juiz primo de magistrado envolvido.

Olimpo

Al Oliver (Estagiário)

Apoio celestial.

dois pontos (2)

Gio Carvalho (Advogado Autônomo - Criminal)

ah, refinei a pesquisa no CNA OAB e verifiquei que existem duas inscrições com nome Karla e Pinto (com nomes "do meio" diferentes). Uma cancelada, outra ativa. Provavelmente me equivoquei.

dois pontos

Gio Carvalho (Advogado Autônomo - Criminal)

Em princípio , parece odiosa censura às prerrogativas da advocacia.
Contudo, de xereta, fui pesquisar a colega no CNA da OAB e, na Seção do ES, encontrei com o nome referido apenas uma colega com situação "cancelada".
A suspensão ou revogação do direito de advogar decorreu dessa condenação ou é medida administrativa da OAB?

OAB apoia rasgar a CF

johnny_opinador (Administrador)

Sinto muito pela advogada, mas a OAB e' parte integrante desse movimento de radicalizacao das coisas, inclusive rasgou a CF ao nao so' corroborar mas participar ativamente de um processo de impeachment de forma ridicula e deploravel. Mais e mais jaguncos travestidos de autoridades serao cada vez mais frequentes.

Acinte com à advocacia brasileira

Rogerio Santos de Almeida (Bacharel - Criminal)

Isto não passa de um despautério contra a legitimidade dos advogados em geral.

Coação....

Pek Cop (Outros)

A advogada esta sendo coagida e servindo de exemplo aos que se atreverem a impetrar algo contra um juiz, o que esta acontecendo com o estado do Espirito Santo, não existe justiça diante a esta coação descabida!!!!

4/60

Aureo Marcos Rodrigues (Outros)

É lamentável o caso da digna Advogada, pois o que tenho a dizer a ela é somente uma palavra: “LUTE”, pois o “CORPORATIVISMO” esta acabando com a Democracia e o Estado Democrático de Direito, pois os membros da Magistratura brasileira são seres humanos é estão sujeitos a cometer erros, acesse o site da pagina OLHARJURIDICO com o tema: “JUIZ CONSEGUE NA JUSTIÇA BLOQUEIO DE VÍDEO QUE ACUSAM DE VENDA DE SENTENÇA”, ou acesse a pagina do ENOCK com o tema: “JUIZES DA AMAM ABRAÇAM MORO E SE ESQUECEM DE TEORI ZAVASCKI”, pois nas áreas de comentários estão narrados os últimos PEDIDOS DE PROVIDÊNCIA que foi encaminhado ao PROCURADOR RODRIGUES JANOT, por um Cidadão, que vem a dez anos mostrando as “IRREGURALIDADE” do Poder Judiciário, como já houve a morte do Juiz Leopoldino Marques do Amaral, que morreu denunciando essas mesmas “IRREGURALIDADE”, amanha poderá ser Você, caso não seja aberta a caixa preta do Judiciário.

Opinião

Caio C. (Advogado Autônomo - Civil)

Dó. Sem querer fazer as vezes de advogado do diabo, mas ela deve ter "aprontado" muito para chegar a esse ponto. Criticar decisão, acionar corregedoria para cobrar providências administrativas, etc etc é uma coisa. Dirigir acusações a pessoas (magistrados ou não) é outra coisa.

  • Página:
  • 1
  • 2

Comentar

Comentários encerrados em 3/05/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.