Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Política de Ordem

Eleições para a OAB usarão urnas eletrônicas cedidas pela Justiça Eleitoral

Por 

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral e ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, autorizou a liberação de 2.552 urnas eletrônicas para as eleições da Ordem dos Advogados do Brasil em todo o país. A inserção dos dados de candidatos e eleitores, além do treinamento de mesários, ficará a cargo dos tribunais regionais eleitorais. As seccionais da OAB deverão fornecer oficialmente as informações sobre candidatos e eleitores aptos a votar até 25 dias antes da votação.

Filho de quem?
O pré-candidato à presidência da seccional da OAB em São Paulo João Biazzo Filho e a OAB-SP travam uma disputa pública pela autoria, e pelo sucesso, de uma solicitação ao Tribunal de Justiça de São Paulo para que os magistrados fossem obrigados a receber os advogados. A contenda começou no dia do advogado (11/8), quando Biazzo e mais três advogados (Alexandre Soares da Silveira, Marcelo Feller e Waldemar Mariz de Oliveira Neto) fizeram uma solicitação à corte paulista. Já a OAB-SP havia feito pedidos semelhantes, solicitando o recebimento dos advogados por magistrados desde 2014, mas que vinham sendo negados. O certo é que a Corregedoria Geral da Justiça emitiu nota reforçando a obrigação de os julgadores receberem advogados e tanto Biazzo quanto a gestão da OAB-SP estão divulgado a decisão como uma vitória [Clique aqui para ler a decisão da Corregedoria].

Motivos eleitoreiros
O Sindicato dos Servidores dos Serviços Auxiliares do Poder Judiciário da Bahia (Sintaj) disse que foi eleitoreira a representação da seccional da OAB na Bahia junto ao Ministério Público do estado contra a greve dos funcionários da Justiça. “Repudiamos a ação interposta pelo presidente da OAB-BA, já que essa medida tem objetivos meramente eleitoreiros, visto que esse ano ocorrerão as eleições da referida entidade. Uma ação dessa natureza não tem o menor objetivo do ponto de vista jurídico e prático, já que os servidores, de forma ordeira e extremamente responsável, estão ofertando à população tudo o que a lei lhes garante”, declarou a entidade por meio de nota. Após o pedido da OAB, o CNJ decidiu, nesta terça-feira (1º/9), que cabe à Justiça do Trabalho cortar o ponto dos grevistas.

Racha na situação
Por meio de um comunicado em seu perfil no Facebook, o presidente da seccional da OAB em Mato Grosso, Maurício Aude, anunciou que apoiará a vice-presidente da entidade, Cláudia Aquino, nas eleições deste ano. Já o advogado Flaviano Taques, que apoiou a eleição do atual mandatário, anunciou seu apoio à chapa do pré-candidato Leonardo Campos. Ele afirmou que a decisão de Aude prejudicará o grupo político que está atualmente no poder. As informações são do portal FolhaMax.

Razões pessoais
Em entrevista ao Circuito Mato Grosso, o atual presidente da seccional da OAB em Mato Grosso, Maurício Aude, afirmou que não sairá candidato na eleição deste ano por razões pessoais e pelo longo tempo de participação ativa na administração da entidade. Ele disse também que “o presidente da OAB não pode ter um candidato do coração”.

Oposição em MT
O pré-candidato oposicionista à presidência da seccional da OAB em Mato Grosso José Moreno afirmou que sua campanha será pautada em três pilares: valorização da classe, transparência na gestão administrativa e renovação de valores institucionais. Moreno ficou em segundo lugar nas eleições de 2012, com 2.027 votos. As informações são do Olhar Jurídico.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 1 de setembro de 2015, 19h00

Comentários de leitores

7 comentários

Apuração mais rápida

José_Jr (Advogado Assalariado - Família)

Em que pese a enorme desconfiança em relação às urnas eletrônicas - a meu ver sem fundamento - a apuração fica rápida demais, retirando um certo charme e glamour que a apuração teria quando a eleição é feita com cédulas de papel.
De resto, tudo perfeito.

Urna eletronica ajuda muito

Marcelo_drum (Estudante de Direito - Internet e Tecnologia)

Desconfiar de urnas eletrônicas é a coisa mais tosca. Denota uma desconfiança infundada, fruto da ignorância tecnológica com a mentalidade retrógrada. Coisa de cérebro doentio, daqueles que acreditam em Teorias da Conspiração... O voto é individual e a urna passou em todos os testes mais severos. Se houver fraude ela tem que ser aplicada noutro local e não nas urnas...

Amálgama perigoso

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Juntar DIAS TOFFOLI, URNA ELETRÔNICA e OAB, resulta num amálgama perigoso, explosivo e extremamente nocivo ao país, mas em especial devastador aos pobres advogados
-nesse contexto, excluam-se aqueles proprietários e co-proprietários da entidade, além dos amigos dos dois grupos.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 09/09/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.