Consultor Jurídico

Alma autoritária

Órgãos de controle e fiscalização têm natureza inquisitorial, diz Adams

Retornar ao texto

Comentários de leitores

5 comentários

Avessos ao controle

ANTONIEL - ADVOGADO (Advogado Autônomo)

As observações do AGU são típicas de petistas avessos aos órgãos de controle. Para eles a atividade fiscalizadoras das cortes de contas é empecilho para os governos. Se com estes tribunais de contas as coisas são assim em terras tupiniquins, imaginem sem. Um horror. Deste povo, não se pode esperar nada.

Ausência do processo legal no DNA

ABSipos (Advogado Autônomo)

O Procurador foi muito feliz ao afirmar que o devido processo legal inexiste no DNA de órgãos como os fiscos, tribunais de contas e tantos mais.

Permanecemos nos tempos da colônia quando o aspecto é "poder público" e a relação dos contribuintes com os nossos dirigentes, principalmente quando há uma relação que envolve direitos e obrigações.

Órgãos como a Receita Federal do Brasil deveriam ser desmontados e iniciados do zero, com contratações via concurso público, sem cargos de confiança e com uma mentalidade nova, mais próxima do Estado Social vigente (com suas falhas) na Alemanha.

Abaixo a colônia!

Incompetência?

M. L. Silva (Professor Universitário - Administrativa)

Não é ele o principal assessor jurídico do Governo? se a lei foi mal feita, ele tá criticando o próprio trabalho então. É isso?

Recorde

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Adams e os petistas de uma forma geral vão entrar para a história como sendo o grupo que mais disse bobagens visando justificar desvios, incompetência e ladroeira.

Estatismo

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

O fato é que na visão socialista não só a economia é controlada, vigiada e administrada por uma gigantesca e ‘invencível’ burocracia, daí a singela “Coordenação da Coordenação-Geral de Serviços de Registro do Departamento de Registro Empresarial e Integração da Secretaria de Racionalização e Simplificação”, do Mistério, digo, Ministério da Pequena e Micro Empresa, da República Federativa do Brasil ..., mas também e, sobretudo a sociedade produtiva, daí a inevitável tentação autoritária.

Assim, o que se vê é o avanço do Estado regulador e do estatismo, turbinado pela marcha acelerada da insensatez política e econômica, com o sequestro da sociedade e a falta de liberdade econômica – que limitam quaisquer esforços da sociedade/contribuinte rumo a SEGURANÇA e ao DESENVOLVIMENTO, necessários e imprescindíveis para superar a o subdesenvolvimento (inclusive mental) e a pobreza.

Ademais, é de se enfatizar - intervenções dirigistas em que políticos e burocratas proclamam que lutam contra a pobreza, a injustiça ‘social’, eliminação das desigualdades, da exclusão ‘social’ e outras abstrações de cunho sociológico, mas intervindo indevidamente na economia e no mercado irremediavelmente só fazem aumentar a ineficiência econômica, a corrupção e a própria pobreza que se propõem ‘eliminar’.

Comentar

Comentários encerrados em 5/11/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.