Consultor Jurídico

Notas Curtas

Da Redação

Blogs

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Espaço virtual

TJ-RJ terá observatório judicial de violência contra a mulher

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro vai ganhar um Observatório Judicial da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher. O espaço funcionará como um portal no qual o cidadão poderá acompanhar a movimentação processual de casos relacionados à violência de gênero. O novo ambiente virtual também reunirá dados, informações, campanhas e notícias ligadas aos casos de crimes cometidos contra a mulher. A previsão é que o observatório seja lançado em novembro.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 20 de outubro de 2015, 10h41

Comentários de leitores

3 comentários

Injustiça

Flavio Vinicius Martins Souza (Administrador)

Todas as varas de proteção à mulher deveriam acabar, sendo transformadas em varas de proteção à família. Estes aparelhos do estado só criam privilégios de gênero.
Totalmente despreparados para perceber quando a mulher acusa de má fé, principalmente para obter vantagem financeira, ou por sadismo puro mesmo.
#Vergonha

Inutilidade

Bruno da R. Antony de Morais (Servidor)

Isso é inútil. Crime (violência física, moral, etc) é crime contra quem for, independente de ser mulher. Tem que parar de ficar privilegiando mulherzinha desonesta que se utiliza do estado para perpetrar maldade. E o pior é a autoridade (des)preparada que se presta a uma coisa ridícula dessas.

Uso indevido da importantissima lei maria da penha

Ronaldo Gomes Manzaro (Comerciante)

Tentem imaginar a dor de um FILHO se tornar órfão de PAI ou MÃE vivos.
Tentem imaginar a dor de um PAI, MÃE e AVÓS por estarem impedidos de acompanhar o desenvolvimento do filho e neto.
Tentem imaginar a dor dos AVÓS que são tão importantes na vida dos netos por estarem impedidos de dar o amor.
.
Peço licença para divulgar esta informação em sua página, é o que está acontecendo com a minha família devido o despreparo do judiciário com relação a ALIENAÇÃO PARENTAL, com a falsa acusação de abuso sexual devido a má utilização desta importantíssima lei Maria da Penha e a imputação de falsas memórias na criança, peço também que COMPARTILHEM com seus amigos esta informação...
.
PARA COMBATER A ALIENAÇÃO PARENTAL ESTE MAL QUE ATINGE NOSSAS FAMÍLIAS PRECISAMOS UNIR NOSSAS FORÇAS , DIVULGANDO, PARTICIPANDO DE FÓRUNS, CONGRESSOS, COMPARTILHANDO INFORMAÇÕES, SUGESTÕES, PALESTRAS, SEMINÁRIOS E ENCONTROS EM SUA CIDADE. JUNTOS SOMOS MILHARES DE PAIS, MÃES, AVÓS, TIOS, TIAS, PRIMOS E AMIGOS QUE ESTÃO NESTA LUTA JÁ CANSADOS, ALGUNS JÁ ESGOTADOS E TESTADOS NO SEU LIMITE COM TANTA IMPUNIDADE, MAS JUNTOS SOMOS UM COM UMA FORÇA QUE DESCONHECEMOS COM O MESMO IDEAL...
.
É difícil mas não é impossível, infelizmente só quem está enfrentando a alienação parental sabe o que é ficar afastado do filho, do neto a mercê do judiciário. .
.
- Vamos falar de como tratar as seqüelas nas crianças vítimas da alienação parental com a imputação de falsa memórias e nos familiares alienados também;
- Das falsas denúncias de abuso sexual devido ao mau uso da lei Maria da Penha;
- Das medidas protetivas impostas afastando a criança do convívio com a família alienada principalmente dos avós;

Comentários encerrados em 28/10/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.