Consultor Jurídico

Crime eleitoral

Bispos da Igreja Universal são condenados por pedir votos a fiéis

Os bispos da Igreja Universal do Reino de Deus Daniel Francisco dos Santos e Aparecido dos Reis Júnior foram condenados por fazer propaganda eleitoral às vésperas do pleito de 2014 em templos de Del Castilho e Nova Iguaçu. Os dois ficarão inelegíveis por oito anos.

Gravações registraram os bispos pedindo votos para os candidatos a deputado federal Roberto Sales (PRB-RJ) e Rosângela Gomes (PRB-RJ); a deputado estadual Tia Ju (PRB-RJ), Benedito Alves (PMDB-RJ); e a Marcelo Crivella, que concorreu a governador. De todas as pessoas citadas, apenas Crivella não foi eleito.

Além de pedir o votos dos fiéis, os bispos incentivavam ligações para amigos e familiares pedindo votos e a boca de urna no dia da eleição. Daniel Santos e Júnior Reis ainda podem recorrer da decisão ao Tribunal Superior Eleitoral.

“É fora de dúvida que os representados, valendo-se de sua condição de bispos daquela Igreja e utilizando-se de toda a sua estrutura, são capazes sim de desequilibrar as eleições em favor daqueles que pretende eleger; uma vez que os demais candidatos não a possuíam e, por isso, já iniciavam as eleições em desvantagem”, sustentou o procurador regional eleitoral Paulo Roberto Bérenger. Com informações da Assessoria de Imprensa do MPF no Rio de Janeiro.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 12 de outubro de 2015, 18h08

Comentários de leitores

6 comentários

Artigo 19...

Estrupício Hermenêutico (Outros)

O artigo 19 nada tem a ver com a eleição democrática de religiosos. O fato de um Deputado ou Senador ser um líder religioso não o torna inelegível.

Teofobia.

Estrupício Hermenêutico (Outros)

Estado laico NÃO É Estado teofóbico! Teofobia é aversão a Deus e, por extensão, aversão a religiões. O Estado brasileiro sempre conviveu bem com as religiões (apesar de perseguições já ocorridas aos cultos afro). Querer excluir religiosos da participação política é pretender que somente ateus podem participar politicamente da vida social. Isto é preconceito, além de desconhecimento do real significado da laicidade.

O Estado é laico

Simone Andrea (Procurador do Município)

Correta a decisão. Porém, vou além: o inciso I do art. 19 da CF proíbe ao Estado manter relações de dependência e aliança com qualquer culto. A eleição de clérigos coloca o Estado em situação de dependência de cultos religiosos, o que é vedado pela Constituição. A reforma política deve vedar a criação e o funcionamento de partidos políticos religiosos e estabelecer a total incompatibilidade de clérigos a cargos eletivos. Isto, aliás, já faz parte da cláusula proibitiva do art. 19, I, à qual o TSE tem feito vistas grossas.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 20/10/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.