Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Não pode advogar

OAB suspende registro de Edson Ribeiro, advogado de Cerveró

O advogado Edson Ribeiro, preso nesta sexta-feira (27/11) na operação “lava jato” teve a inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil suspensa. A decisão é do presidente da seccional do Rio de Janeiro, Felipe Santa Cruz.

A suspensão do registro profissional foi solicitada pela corregedoria-geral da própria OAB-RJ, depois que o Supremo Tribunal Federal decretou a prisão do advogado. Ribeiro foi flagrado planejando a fuga de seu cliente, o ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró.

A gravação de um diálogo entre o filho de Cerveró, Bernardo, e o senador Delcídio do Amaral, mostra Ribeiro combinando pagar o ex-diretor da Petrobras em troca de seu silêncio.

O advogado de Ribeiro, Bruno Espiñeira, avalia que a medida foi “precipitada”, sem espaço para ouvir o contraditório. 

O presidente do Conselho Federal da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, elogiou a decisão da OAB-RJ. De acordo com ele, "a defesa da ética na profissão é fundamental para a valorização da classe”.

O Conselho Federal da OAB encaminhou à OAB do Distrito Federal, nessa quinta-feira (26/11), um pedido de instauração de um procedimento ético disciplinar para analisar a conduta de Edson Ribeiro. O procedimento cabe à seccional porque os fatos citados na investigação ocorreram em Brasília. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB nacional. 

* Texto atualizado às 19h20 do dia 27/11/2015 para acréscimo de informações.

Revista Consultor Jurídico, 27 de novembro de 2015, 18h14

Comentários de leitores

4 comentários

QUANDO a ÉTICA tem que se SOBREPOR.

Citoyen (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

O devido processo legal está assegurado, sem dúvida. Mas a SUSPENSÃO LIMINAR tem toda a procedência, porque INDUBITAVELMENTE a VOZ do ADVOGADO, e NÃO de um CIDADÃO, foi OUVIDA, TRAÇANDO UM ESQUEMA ILEGAL de TRAMOIAS. Eu, como Advogado, me preocupo com o CONCEITO ÉTICO de nossa PROFISSÃO, porque é ELA que nos permite ATUAR, TRABALHAR, MERECER nossos HONORÁRIOS. Na medida em que um Profissional do Direito FATURA para TRAMAR e TRAÇAR caminhos e soluções ILEGAIS, tal como, exemplificativamente, ouvimos na gravação, o PROFISSIONAL ULTRAPASSOU o limite NÃO SÓ da ÉTICA como da MORAL, e da LEGALIDADE, finalmente. Agora, o devido processo legal será voltado para os aspectos da LEGALIDADE, quando se decidirá se nosso Colega FERIU de MORTE nosso CÓDIGO, ou se HÁ, ainda, RECUPERÃÇÃO para ele. É lamentável que NÃO QUEIRAMOS admitir que NOVOS TEMPOS já se prenunciaram, e NÃO PODEMOS NÓS ser VÍTIMAS de um DESPRESTÍGIO PROFISSIONAL por amor a firulas, que NÃO EXISTIRAM, quando o nosso Colega decidiu ultrapassar a linha divisória da norma legal e da norma Moral e Ética.

A banalização

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

A OAB não deve pegar carona num trem que anda em trilhos sinuosos.

Dois pesos e duas medidas

Advocacia Costa Alves (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Muito interessante a OAB não foi tão rápida no caso José Dirceu, é muito isonômico este tratamento dispensado com esta suspensão sumária do registro na OAB do advogado Edson Ribeiro, fica a pergunta, porque será que no caso do Dr. José Dirceu, o caso não foi semelhante, entendi, não tinha uma gravação, tá certo!!!!! Tá difícil pra nós advogados acreditarmos e confiarmos cada vez mais na existência e prática dos princípios democráticos do Estado Democrático de Direito em nossa querida OAB.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 05/12/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.