Consultor Jurídico

Tribuna da Defensoria

Patronos independentes são a essência
do acesso igualitário à Justiça

Retornar ao texto

Comentários de leitores

4 comentários

Autonomia democrática?

Gregório Matos (Advogado Sócio de Escritório - Internacional)

A Defensoria Pública de Santa Catarina acaba de aprovar - por meio do Legislativo, claro - o benefício institucional do auxílio-gasolina. O valor da benesse será de cerca de R$ 4.000,00, independentemente de comprovação de gastos em gasolina. Isso mesmo, colegas, pasmem! R$ 4.000,00 limpos a mais, sem tributação! (Acompanhem a partir do mês que vem no Portal da Transparência de Santa Catarina.)

Será que foi isso que o constituinte objetivou com a criação da pretensa autonomia institucional? Será que é isso o que a República de fato precisa? Mais e mais monstros institucionais sendo criados, à custa do contribuinte, enquanto o Brasil, a população, fica à míngua, às margens?

os miseráveis e os cleptocratas

S.S.Garra (Outros)

O sentido supra-histórico das instituições é recriado a cada geração. Nunca entendi a lógica de tratamento do defensor em condições desiguais em relação à acusação. Talvez uma lógica de mercado, mas nunca de Justiça. A igualdade de tratamento e paridade de armas entre acusação e defesa, parece-me, é condição de possibilidade de um julgamento imparcial. A visão pré-moderna da questão tende a distorcer o sentido desse bom combate travado de forma exemplar pela Defensoria Pública brasileira. Enquanto os pobres e miseráveis não tem os seus direitos e garantias respeitados, o país padece pela cleptocracia de seus governantes, mas a esses são assegurados a mais ampla defesa e o mais hígido devido processo legal, quando são processados.

Nada a ver o comentário acima...

Defensor SC (Defensor Público Estadual)

Pelo visto o comentarista acima não tem a mínima ideia do que de a Defensoria. Para haver um pouco mais de justiça nesse país é de todo recomendável que o pobre tenha acesso à Justiça com qualidade. Prestigiar e valorizar os defensores é medida que beneficia os jurisdicionados. Por fim, como disse a Ministra Carmem Lúcia, a quem interessa acabar com a Defensoria...?

é o fim da picada !!

daniel (Outros - Administrativa)

o sonho do Defensor Público ser promotor, em tudo querem ser iguais e alegando que são diferentes. Não faz o menor sentido manter duas Instituições iguais. Como a Defensoria não gosta de pobre, nem de ficar subordinada aos interesses do cliente, agora querem ser donos do cidadão e que este seja mero objeto, sem autonomia alguma.

Comentar

Comentários encerrados em 2/12/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.