Consultor Jurídico

Notícias

Olho no fenótipo

TJ-SP cria cotas em concursos e comissão para avaliar se candidato é negro

Comentários de leitores

7 comentários

O mérito e a igualdade desigual.

João B. G. dos Santos (Advogado Autônomo - Criminal)

As cotas para pretos são racistas. Primeiro porque a raça é humana. Segundo por desconsiderar os brancos, amarelos e vermelhos. E por último por ignorarem o mérito como apanágio do justo.

Sujeira

Pek Cop (Outros)

Isso de cotas ainda vai acabar mal....semana passada vi na televisão umas senhoras negras alegando que o sistema de cotas não é suficiente!, ate onde querem chegar?....sem falar que o sistema de cotas sabemos que é injusto com brancos pobres, afinal um cotista acaba roubando a vaga de outro que passou com nota superior e a lei de cotas é legitimada pelo governo que por sua vez é retribuído com votos!!!!

O critério racial é anti-científico

Alessandro Chiarottino (Professor Universitário)

Sem dúvida a adoção das chamadas "cotas raciais" trará inúmeros problemas, como, de resto, já vem acontecendo. Além do critério em si mesmo ser de cientificidade muito duvidosa, há que se considerar que, num país miscigenado como o nosso, forçosamente haverão inúmeros casos onde a classificação encontrará pouco consenso. Utilizar medidas antropométricas, de triste memória, para resolver o problema não fará se não criar outros. O mesmo pode-se dizer para a análise do DNA (aliás extremamente dispendiosa). O melhor teria sido atribuir cotas à nossa combalida escola pública, o que teria inclusive o efeito de atrair para esta muitos dos que hoje buscam as escolas privadas, pressionando assim o poder político a melhorar a educação pública.

Precedentes na alemanha!

mfontam (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa)

Ou seja, a versão tupiniquim das "leis raciais" da Alemanha nazista, que fixavam critérios para identificar a "raça" do infeliz que se encontrava sob sua autoridade. Isso deveria ser denunciado para o Tribunal Internacional de Direitos Humanos para averiguar a regularidade dessas regras do TJ.

Em um país de misturas...

andreluizg (Advogado Autônomo - Tributária)

Quem é negro, quem é índio, quem é branco, quem é oriental? São pretos, vermelhos, brancos, ou amarelos? São misturados? Tem identidade cultural de determinada etnia? Qual o fundamento, fenótipo ou genético? As cotas são em função do preconceito objetivo e subjetivo atual? Ou são para pagar uma dívida histórica com as etnias africanas?
Não tem muita lógica nisso. É mais coisa de coração, ou pouco de tudo. Mas o raciocínio objetivo impera. Por que não aos pobres? E as outras etnias, chineses, haitianos, bolivianos...? Parece jeitinho brasileiro de resolver as coisas, pouca objetividade e pouco resultado...

Olhômetro.

Estrupício Hermenêutico (Outros)

Acho que não existe um aparelho para medir o grau de negritude, porisso estão criando o olhômetro. Que coisa!

A cada nova cota.....

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Mais se evidencia a cultura do preconceito. É óbvio, mas muita gente não vê isso.

Comentar

Comentários encerrados em 27/11/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.