Consultor Jurídico

Notícias

Política de Ordem

Em lançamento da chapa, Sergei Cobra critica OAB e prepotência de MP e juízes

Comentários de leitores

7 comentários

É o melhor candidato!

Guilherme Ruiz (Advogado Associado a Escritório - Eleitoral)

Sempre nutri o maior respeito pelo brilhantismo dos comentários lançados pelo Dr. Marcos Pintar nas diversas matérias publicadas pelo Conjur.
No entanto, desta vez terei que discordar de suas ponderações.
Isso porque, Sergei Cobra é o único candidato que, realmente, se preparou para exercer a presidência da OAB/SP, tendo um plano diretivo capaz de resgatar a dignidade da advocacia bandeirante, senão veja-se:
1) Valorização dos honorários advocatícios: haverá permanente gestão relativa aos honorários de sucumbência para monitorar arbitramentos abaixo do limite legalmente estabelecido, cobrando do Judiciário o devido respeito à classe dos advogados;
2) Reavaliação da Anuidade: após rigoroso e responsável estudo, serão adotadas medidas de reavaliação da anuidade, levando em consideração as necessidades dos novos advogados, enfermos, gestantes e idosos;
3) Valorização e Respeito à Assistência Judiciária: a OAB/SP promoverá campanha de valorização e respeito à assistência judiciária, buscando junto ao governo do Estado de São Paulo o aumento da tabela de honorários com equivalência mínima à Tabela da OAB;
4) CEJUSC: Inclusão do advogado ou fechamento: sem advogado, o CEJUSC deve fechar!;
5) Processo Digital: Melhorias e proteção ao exercício profissional;
6) Autonomia Política e Financeira das Subseções;
7) Gestão eficiente na CAASP;
8) ESA: Gestão Inovadora: respeito à dotação orçamentária própria e à adoção de cursos on line;
9) Manutenção ao Exame de ORdem e do Quinto Constitucional;
10) Ética: julgamento célere dos casos graves e proteção daqueles que exercem o ofício nos parâmetros legais;
11) Valorização da advogada;
12) Advocacia Pública respeitada;
13) Choque de gestão;
14) Compromisso público de NÃO REELEIÇÃO, entre outros.

É o melhor candidato!

Guilherme Ruiz (Advogado Associado a Escritório - Eleitoral)

Sempre nutri o maior respeito pelo brilhantismo dos comentários lançados pelo Dr. Marcos Pintar nas diversas matérias publicadas pelo Conjur.
No entanto, desta vez terei que discordar de suas ponderações.
Isso porque, Sergei Cobra é o único candidato que, realmente, se preparou para exercer a presidência da OAB/SP, tendo um plano diretivo capaz de resgatar a dignidade da advocacia bandeirante, senão veja-se:
1) Valorização dos honorários advocatícios: haverá permanente gestão relativa aos honorários de sucumbência para monitorar arbitramentos abaixo do limite legalmente estabelecido, cobrando do Judiciário o devido respeito à classe dos advogados;
2) Reavaliação da Anuidade: após rigoroso e responsável estudo, serão adotadas medidas de reavaliação da anuidade, levando em consideração as necessidades dos novos advogados, enfermos, gestantes e idosos;
3) Valorização e Respeito à Assistência Judiciária: a OAB/SP promoverá campanha de valorização e respeito à assistência judiciária, buscando junto ao governo do Estado de São Paulo o aumento da tabela de honorários com equivalência mínima à Tabela da OAB;
4) CEJUSC: Inclusão do advogado ou fechamento: sem advogado, o CEJUSC deve fechar!;
5) Processo Digital: Melhorias e proteção ao exercício profissional;
6) Autonomia Política e Financeira das Subseções;
7) Gestão eficiente na CAASP;
8) ESA: Gestão Inovadora: respeito à dotação orçamentária própria e à adoção de cursos on line;
9) Manutenção ao Exame de ORdem e do Quinto Constitucional;
10) Ética: julgamento célere dos casos graves e proteção daqueles que exercem o ofício nos parâmetros legais;
11) Valorização da advogada;
12) Advocacia Pública respeitada;
13) Choque de gestão;
14) Compromisso público de NÃO REELEIÇÃO, entre outros.

Exame da oab, porta da corrupção

Ariosto Moreira da Rocha (Bacharel - Administrativa)

Quem tem peito para dizer que não aplicará esse exame? Todos sabem que ele não qualifica, é apenas uma fonte de arrecadação.

Criticando o continuismo ?

LunaLuchetta (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Dr. Sergei era até a "semana passada" vice presidente da CAASP e, portanto, responsável pelo caos implantado no Plano de Saúde dos Advogados (Unimed); responsável pelo desmantelamento do departamento que cuida (ou deveria cuidar) da concessão de benefícios aos advogados carentes; responsável... e agora critica sua própria gestão que chama, nas palavras de Orlando Maluf, de "continuísmo medíocre e nocivo” ?

Se olvidou de falar sobre o fim escravidão contemporânea

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos escrito e jurista. Não é alçada da OAB e nenhum sindicato avaliar ninguém. Art. 209 CF diz que compete ao poder público avaliar o ensino. OAB é uma entidade privada e não tem poder de avaliar ninguém. Art. 5º- XIII, CF “É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer. De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases - LDB - Lei 9.394/96 art. 48 da LDB: os diplomas de cursos superiores reconhecidos, quando registrados, terão validade nacional como prova da formação recebida por seu titular. Ou seja o papel de qualificação é de competência das universidades e não de sindicatos. A própria OAB reconhece isso. É o que atestava o art. 29 § 1º do Código de Ética Disciplina da OAB (Das regras deontológicas fundamentais) "Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de advogado conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas. Esse dispositivo foi deletado (revogado) propositadamente pelo Novo Código de Ética da OAB. Porém tem efeito "Ex-nunc".
OAB não tem interesse em melhorar o ensino jurídico; não tem poder de regulamentar leis, e não tem poder de legislar sobre exercício profissional. Mas para calar nossas autoridades, depois do desabafo do então Presidente do TJDFT Des. Lécio Resende: “Exame da OAB É uma exigência descabida. Restringe o direito de livre exercício que o título universitário habilita”, pasme, OAB usurpando papel do Congresso Nacional, isentou do seu exame isentou do seu exame caça-níqueis os bels. em direito oriundos da Magistratura, do MP e os bels. em direito, oriundos de Portugal. E com essas tenebrosas discriminações essa excrescência é Constitucional?

Se olvidou de falar sobre o fim do caça-níqueis da OAB

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista. OAB está usurpando papel do Estado (MEC) a quem compete avaliar o ensino de acordo com o art. 209 da Constituição.
Está insculpido na Constituição Federal - CF art. 5º, inciso XIII, “É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer. De acordo com a LDB - Lei 9.394/96 art. 48 da LDB: os diplomas de cursos superiores reconhecidos, quando registrados, terão validade nacional como prova da formação recebida por seu titular. Ou seja o papel de qualificação é de competência das universidades e não de sindicatos. A própria OAB reconhece isso. É o que atestava o art. 29 § 1º do Código de Ética Disciplina da OAB "Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de advogado conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas. Esse dispositivo foi (revogado) de forma sorrateira pela Resolução nº2 /2015 da OAB. “In casu” os atos administrativos são válidos até a data neles prevista ou, como regra geral, até que outro ato os revogue ou anule. Assim, desde o seu nascimento, seja ele legítimo ou não, produz seus efeitos, em face da presunção de legitimidade e veracidade. Como fica o efeito (Ex-nunc)? Haja vista que a revogação de ato administrativo opera efeito ex nunc?
Destarte a revogação pode gerar direitos, logo, podemos falar em direito adquirido, que atinge todos os escravos contemporâneos da OAB, os bels.em direito (advogados), jogados ao banimento, impedidos do livre exercício da advocacia cujo título universitário habilita por um sindicato que só tem olhos pra os bolsos dos seus escravos..

Apenas volume

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É fácil criticar as mazelas da advocacia, que são muitas e bastante visíveis. Difícil é agir de forma concreta e eficaz. Sergei Cobra esteve durante anos junto ao grupo de Marcos da Costa. Rompeu apenas para se candidatar. Não apresenta um histórico convincente de serviços prestados, nem um plano mais elaborado de ação. Sua campanha é na base no votem em nós que vamos mudar, seguindo-se a praxe sedimentada entre os políticos. É mais uma chapa, entre várias outras, que não empolga ou oferece soluções concretas e palpáveis.

Comentar

Comentários encerrados em 19/11/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.