Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Política de Ordem

Em lançamento da chapa, Sergei Cobra critica OAB e prepotência de MP e juízes

Por 

A seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil, o Ministério Público e a magistratura foram os alvos dos discursos feitos no lançamento da chapa "Pela Ordem! Sergei Cobra" (14). O candidato à presidência da Ordem e seus companheiros de chapa apontaram falhas nas relações da OAB-SP com as duas entidades e descaso de juízes e procuradores em relação à advocacia.

Sergei Cobra afirmou que advogados vivem sendo humilhados, em parte, pela prepotência do Ministério Público e da magistratura. Citou como exemplos a condução do projeto de implantação do processo eletrônico e a como a OAB-SP concordou com todos os planos apresentados sem questioná-los. Para ele, isso é resultado de uma advocacia de “jatinhos e gabinetes”, que desconhece a realidade da classe e que usa “vergonhosamente a máquina para se reeleger”.

O candidato ressaltou que o tratamento concedido aos advogados pelo servidores do Judiciário destoa da função básica do funcionalismo público, que deve “servir e não mandar”. No entanto, ressalvou que o debate entre as instituições não deve ser levado em clima de guerra, pois os ataques de todos os lados deve cessar para que o diálogo ocorra.

Sergei criticou "política" feita pela Defensoria para gerir o dinheiro destinado ao convênio com a OAB-SP.

Sobre a situação vivida pelo Brasil nas áreas política, econômica e institucional, Sergei Cobra afirmou que o país passa por um momento difícil e que a mudança de costumes deve começar pela Justiça e pela advocacia. “Representamos o maior poder de Estado”, disse.

Segundo ele, isso passa por uma conduta forte dos integrantes do Judiciário. “OAB faz campanhas contra a corrupção, mas não assiste o advogado”, disse Sergei.

Ele também criticou a “política” feita pela Defensoria Pública de São Paulo junto ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) para gerir o dinheiro destinado ao convênio firmado com a OAB-SP. O candidato disse que os honorários do convênio precisam aumentar.

Mais críticas
Orlando Maluf Haddad, candidato à presidência da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo, criticou, em seu discurso, o que classifica como um “continuísmo medíocre e nocivo” na OAB-SP. O advogado afirmou que o “marasmo” atual não pode ser aceito. Sobre o órgão que pretende dirigir, ele disse que a entidade “não pode ficar na mesmice".

O candidato à presidência da Caasp também lembrou do caso envolvendo a falência da Unimed Paulistana e a necessidade de mudança de plano pelos advogados. Ele questionou o fato de a atual administração do órgão assistencial da OAB-SP ter permanecido com um plano que já havia sido autuado pela Agência Nacional da Saúde em algumas ocasiões.

A Unimed Paulistana teve a alienação compulsória de sua carteira de clientes decretada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) no dia 2 de setembro.

Engrossando o coro, Ivo Aidar criticou o fato de a Caasp vender livros e remédios por preços 30% mais caros que os praticados no mercado. Sobre Sergei Cobra, o advogado que ajudou a fundar o escritório Aidar SBZ advogados fez uma comparação entre as personalidades do candidato e de sua mãe, Zulaiê Cobra, afirmando que o espírito de luta dos dois é o mesmo.

O vice da chapa de Sergei, José Diogo Bastos Neto, segui essa linha, ressaltando que o candidato é uma “pessoa vocacionada para dirigir a OAB”. Por fim, a mãe do presidenciável afirmou que comemorará seu aniversário, que ocorrerá na próxima quarta-feira (18/11), data das eleições, duas vezes, pois também irá eleger seu filho.

Militância do interior
O lançamento da chapa ocorreu no Salão Diamante do espaço Hakka, na Liberdade. O local tem capacidade para 1,2 mil pessoas, mas não estava totalmente cheio. Mesmo assim, apoiadores de diversas subseções estavam presentes.

Estavam presentes no evento o deputado estadual Fernando Cury (PPS-SP), o diretor da Associação dos Advogados do Grande ABC e ex-deputado e conselheiro seccional Raimundo Salles, o secretário de Segurança Pública de Guarulhos, João Dárcio (PTN).

Advogados do interior representaram a maior parte dos presentes no evento.
ConJur

Entre elas: Cotia; Santana; Tatuapé; São Caetano do Sul; Amparo; Araçatuba; Batatais; Bauru; Boituva; Caçapava; Cerquilho; Conchas; Cotia; Diadema; Embu das Artes; Guarulhos; Itanhaém; Itupeva; Itaquá; Itu; Jabaquara; Jaboticabal; Jundiaí; Leme; Lins; Marília; Osasco; Paraguaçu Paulista; Penápolis; Pindamonhangaba; Pinheiros; Porto Feliz; Porto Ferreira; Registro; Salto; Santa Rita do Passa Quatro; Taboão da Serra; Tatuapé; Tatuí; Taubaté; e Votuporanga.

A maioria das subseções estava representada pelos candidatos à presidência dos órgãos regionais. Muitos militantes do interior foram até o evento por meio de veículos fretados. Ao todo, foram contabilizados dois ônibus e quatro vans.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 11 de novembro de 2015, 16h25

Comentários de leitores

7 comentários

É o melhor candidato!

Guilherme Ruiz (Advogado Associado a Escritório - Eleitoral)

Sempre nutri o maior respeito pelo brilhantismo dos comentários lançados pelo Dr. Marcos Pintar nas diversas matérias publicadas pelo Conjur.
No entanto, desta vez terei que discordar de suas ponderações.
Isso porque, Sergei Cobra é o único candidato que, realmente, se preparou para exercer a presidência da OAB/SP, tendo um plano diretivo capaz de resgatar a dignidade da advocacia bandeirante, senão veja-se:
1) Valorização dos honorários advocatícios: haverá permanente gestão relativa aos honorários de sucumbência para monitorar arbitramentos abaixo do limite legalmente estabelecido, cobrando do Judiciário o devido respeito à classe dos advogados;
2) Reavaliação da Anuidade: após rigoroso e responsável estudo, serão adotadas medidas de reavaliação da anuidade, levando em consideração as necessidades dos novos advogados, enfermos, gestantes e idosos;
3) Valorização e Respeito à Assistência Judiciária: a OAB/SP promoverá campanha de valorização e respeito à assistência judiciária, buscando junto ao governo do Estado de São Paulo o aumento da tabela de honorários com equivalência mínima à Tabela da OAB;
4) CEJUSC: Inclusão do advogado ou fechamento: sem advogado, o CEJUSC deve fechar!;
5) Processo Digital: Melhorias e proteção ao exercício profissional;
6) Autonomia Política e Financeira das Subseções;
7) Gestão eficiente na CAASP;
8) ESA: Gestão Inovadora: respeito à dotação orçamentária própria e à adoção de cursos on line;
9) Manutenção ao Exame de ORdem e do Quinto Constitucional;
10) Ética: julgamento célere dos casos graves e proteção daqueles que exercem o ofício nos parâmetros legais;
11) Valorização da advogada;
12) Advocacia Pública respeitada;
13) Choque de gestão;
14) Compromisso público de NÃO REELEIÇÃO, entre outros.

É o melhor candidato!

Guilherme Ruiz (Advogado Associado a Escritório - Eleitoral)

Sempre nutri o maior respeito pelo brilhantismo dos comentários lançados pelo Dr. Marcos Pintar nas diversas matérias publicadas pelo Conjur.
No entanto, desta vez terei que discordar de suas ponderações.
Isso porque, Sergei Cobra é o único candidato que, realmente, se preparou para exercer a presidência da OAB/SP, tendo um plano diretivo capaz de resgatar a dignidade da advocacia bandeirante, senão veja-se:
1) Valorização dos honorários advocatícios: haverá permanente gestão relativa aos honorários de sucumbência para monitorar arbitramentos abaixo do limite legalmente estabelecido, cobrando do Judiciário o devido respeito à classe dos advogados;
2) Reavaliação da Anuidade: após rigoroso e responsável estudo, serão adotadas medidas de reavaliação da anuidade, levando em consideração as necessidades dos novos advogados, enfermos, gestantes e idosos;
3) Valorização e Respeito à Assistência Judiciária: a OAB/SP promoverá campanha de valorização e respeito à assistência judiciária, buscando junto ao governo do Estado de São Paulo o aumento da tabela de honorários com equivalência mínima à Tabela da OAB;
4) CEJUSC: Inclusão do advogado ou fechamento: sem advogado, o CEJUSC deve fechar!;
5) Processo Digital: Melhorias e proteção ao exercício profissional;
6) Autonomia Política e Financeira das Subseções;
7) Gestão eficiente na CAASP;
8) ESA: Gestão Inovadora: respeito à dotação orçamentária própria e à adoção de cursos on line;
9) Manutenção ao Exame de ORdem e do Quinto Constitucional;
10) Ética: julgamento célere dos casos graves e proteção daqueles que exercem o ofício nos parâmetros legais;
11) Valorização da advogada;
12) Advocacia Pública respeitada;
13) Choque de gestão;
14) Compromisso público de NÃO REELEIÇÃO, entre outros.

Exame da oab, porta da corrupção

Ariosto Moreira da Rocha (Bacharel - Administrativa)

Quem tem peito para dizer que não aplicará esse exame? Todos sabem que ele não qualifica, é apenas uma fonte de arrecadação.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 19/11/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.