Consultor Jurídico

Jurisdição de reflexão

Supremo julga muitos processos, e mal, afirma ministro Barroso

Retornar ao texto

Comentários de leitores

12 comentários

data máxima vênia...

Neli (Procurador do Município)

Desde que me conheço por gente,e acompanho o STF(mesmo antes de ser estudante de direito),o Tribunal Supremo é sobrecarregado.Reclamar, para quê???E julga mal? O que é julgar mal? O que é ruim para uma parte, é bom para outra, pois não?Reclamar de trabalho? Ah, ministro, se está cansado, dê seu lugar para quem não reclama. O STF julgou equivocadamente, a cláusula de barreira partidária e a inconstitucionalidade da lei dos crimes hediondos(acrescento agora a doação de empresas),porque leu a Constituição cidadã ao pé da letra, sem se atentar aos seus princípios. Mas, julgou corretamente a lei da parceria civil(uma mania de certas pessoas querer se imiscuir em cama alheia!) e quanto ao aborto do feto anencéfalo .Aborto ,embora eu seja contra, quem deve decidir é a mulher. No mais, parabéns pela atuação, mas, se tiver muito trabalho, submeto meu precioso nome para uma das vagas...

Excesso de ferias é o câncer no judiciário

Vladimir de Amorim silveira (Advogado Autônomo - Criminal)

Enquanto não acabarem com as férias de 60 dias, licença prêmio e mais os recessos forenses nada vai muda. Ou seja , essas malditas férias é o câncer que faz com que o judiciário não funcione.
A Itália acabou com essa farra, Será que não tá na hora do Brasil acabar com essa praga?

STF julga muitos processos

José Carlos Carvalho de Oliveira (Outros)

Nosso excelentíssimo juiz tem muita razão devido ao complexo tamanho do nosso Brasil e a falta de recurso também colabora para tal situação , mais também acredito se alguns processos quando julgado favorável no STJ de vários estados , deveria ser aceito pelo STF.

Novidade.

Jouber Turolla (Advogado Sócio de Escritório - Trabalhista)

Ora, o pedido de vista vira perdido de vista, como bem disse o Min. Marco Aurélio.

Ele quer mais Poder para o STF

Gabriel da Silva Merlin (Advogado Autônomo)

Ai eu pergunto, quais os motivos que vão levar os 11 iluminados (ou a "vanguarda iluminista", como o Ministro Barroso afirma) a dizer quais são os RE que devem ser analisados?

É apenas dar mais Poder ainda ao STF passar a simplesmente escolher de maneira arbitrária, com base puramente em opiniões pessoais, quais os Recursos devem ou não ser conhecidos.

O que eu não preciso nem dizer é extremamente perigoso e na minha opinião muito arbitrário.

Vasco Vasconcelos...

Estrupício Hermenêutico (Outros)

O que o STF acabou de fazer, ao extinguir a inviolabilidade de domicílio, aplica-se a todos os brasileiros. Mas o Supremo sabe perfeitamente que a medida vai afetar o brasileiro pobre, o morador do morro. O morador de áreas nobres não precisa temer invasão policial em sua residência. Mas o morador do morro tem muito o que temer. Percebe a desigualdade?

Até que o fim

Marcelo-Advogado (Advogado Autônomo - Consumidor)

Poxa. Até que o fim um Ministro lúcido. Aliás, o Supremo julga mal e o que lhe convém, até porque esse ano os processos que estão represados em primeira e segunda instância aguardando julgamentos são de números alarmantes. Não julgaram quase nada que realmente interessa à sociedade!!! Poupança, IR, Desaposentação, etc... O Supremo é o órgão que mais contribui para a morosidade da Justiça...

Prova de X.

Estrupício Hermenêutico (Outros)

Há poucos dias o Supremo criticou um juiz que decidiu um processo preenchendo formulário, como se fosse uma prova de X. Pois bem, o Supremo erraria muito menos se decidisse os processos fazendo "prova de X". Erraria menos, respeitaria mais a Constituição, e seria mais ágil. Fica aí a sugestão: façam como o juiz que criticaram.

Um gesto de grandeza do Ministro Barroso

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista. Trata-se de gesto de grandeza o Ministro Barroso reconhecer que o STF julga muitos processos, e mal. Por falar nisso como afirmar que o caça-níqueis Exame da OAB é Constitucional? Artigo 209 da Constituição diz que compete ao poder público avaliar o ensino.
OAB não tem interesse em melhorar o ensino jurídico; não tem poder de regulamentar leis, e não tem poder de legislar sobre exercício profissional. Mas para calar a boca das nossas autoridades, depois do desabafo do então Presidente do TJDFT Des.Lécio Resende: “Exame da OAB É uma exigência descabida. Restringe o direito de livre exercício que o título universitário habilita”, pasme, OAB usurpando papel do Congresso Nacional, isentou do seu exame caça-níqueis os bacharéis em direito oriundos da Magistratura, do Ministério Público e os bels. em direito, oriundos de Portugal. E com essas tenebrosas transações, aberrações e discriminações ainda têm a petulância de afirmarem que esse tipo de excrescência é Constitucional? Onde fica senhores ministros do Egrégio Supremo STF o Princípio da Igualdade?A Declaração Universal dos Direitos do Homem, de 1948, repudia a discriminação, em quaisquer de suas formas, por atentar contra a dignidade da pessoa humana e ferir de morte os direitos humanos.
A ministra Carmem Lúcia do Egrégio Supremo Tribunal Federal – STF, em 25.08.2014 na cidade de São Paulo Paulo, onde participou de debate sobre foro privilegiado, afirmou segundo a mídia, que 'privilégios existem na monarquia, não na República'.Para a ministra não há motivo para “distinguir entre o cidadão que exerce a função de pedreiro, que é uma função honrosa, e o que exerce uma função pública, um cargo público”. Dito isso Exame da OAB é Constitucional, STF?

Sério?

incredulidade (Assessor Técnico)

A julgar pelo tempo que cada ministro costuma passar com os processos, depois de pedir "vista" (uma teratologia, em época de autos digitais), nossos julgados deveriam ser os melhores do mundo...
Que coisa...
Tem ministro que já "usucapiu" processos, considerando o prazo para a aquisição dos bens móveis, de 3 e 5 anos.

Saltos Civilizatórios?

Estrupício Hermenêutico (Outros)

Ministro, veja que beleza de "saltos civilizatórios": aborto eugênico, casamento sodomita, fim da inviolabilidade constitucional do domicílio... Será que o Ministro sabe que estão registrando em cartório "uniões estáveis plúrimas", entre mais de duas pessoas? E estão invocando exatamente esses "saltos civilizatórios" do STF como fundamento! Estão fazendo da interpretação "criativa" da Constituição uma bandalheira! É urgente repensar esse "efeito vinculante". É poder demais concedido a um tribunal nanico de republiqueta.

Mal?

Estrupício Hermenêutico (Outros)

O STF não julga mal! Julga pessimamente! E seus julgamentos estão se revelando nocivos à sociedade! Já estou com medo do efeito vinculante. Se era para acabar com a inviolabilidade do domicílio, melhor se chamassem os generais.

Comentar

Comentários encerrados em 18/11/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.