Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Primeiros classificados

OAB retifica gabarito e divulga preliminar de aprovados na 1ª fase do XVI Exame

A Ordem dos Advogados do Brasil divulgou nesta segunda-feira (30/3) a lista preliminar de aprovados na 1ª fase do XVI Exame de Ordem. A prova foi aplicada no último dia 15 de março. Clique aqui para ver o resultado.

Além da lista, a Fundação Getúlio Vargas, entidade responsável pela organização do certame, divulgou também um comunicado sobre a retificação do gabarito, que havia sido publicado também no dia 15 de março, horas depois da prova.

Segundo o informe, a questão 29 da prova branca (30 da verde, 31 da amarela e 32 da azul) não tinha como resposta correta a letra “C”, como havia sido divulgado, mas a letra “B”.

A retificação não significa que a questão foi anulada. A alteração da resposta correta garante a pontuação da questão apenas para quem assinalou a alternativa “B”.

O prazo para recursos contra o resultado preliminar começa às 12 horas desta terça-feira (31/3) e vai até às 12 horas da sexta-feira (3/4). A lista definitiva de aprovados deverá ser divulgada no dia 17 de abril.

A 2ª fase do XVI Exame, com a presença dos classificados pela prova objetiva e pelo reaproveitamento do resultado do XV Exame, acontecerá no dia 17 de maio. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB.

Revista Consultor Jurídico, 30 de março de 2015, 20h24

Comentários de leitores

1 comentário

Sergio

Sergio Soares dos Reis (Advogado Autônomo - Família)

A gloriosa OAB, bem como os conspícuos advogados que SEMPRE reiteram de forma SUBJETIVA, pela OBRIGATORIEDADE do Exame a Ordem, pois sem a aprovação, não estão aptos a exercerem a advocacia, eis que o exame prova a capacidade.

Não se justifica de forma alguma, ANULAREM questões, ou ainda, como no presente caso, respostas errôneas quando do gabarito, algo tão simplista, que não se justifica de forma algum o erro.

Quando os Bacharéis fazem as provas, tem, a obrigação de passar, ansiedade, nervosismo, POUCO tempo para fazer a aludida prova. Ao contrário de quem APLICA a prova, pois NÃO tem estas obrigações , e AINDA, cometem erros. Por conta disso, está de forma implícita dizendo que:

TODOS, quem elaborou a prova, que procedeu correção, bem como quem errou na correção, NÃO estão aptos a exercerem a advocacia, pois se não conseguem sequer resolver estes problemas, imaginem diante de um caso complexo.

Defensores do aludido exame, comentaristas de plantão, escrevam sobre o tema, não se esquecendo de comentar sobre esta matéria.

Comentários encerrados em 07/04/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.