Consultor Jurídico

Divisão dos poderes

Lewandowski: "Judiciário é ator fundamental ao equilíbrio institucional"

Retornar ao texto

Comentários de leitores

9 comentários

Discurso corretíssimo mas China totalitária é modelo (2)?

Alberto Caeiro (Serventuário)

Para a China, os fins justificam os meios.
A China pode ser a maior potência econômica mundial, mas graças à trabalho escravo e um regime totalitário inteligente (que possui de fachada 8 ou 9 partidos, mas que na prática, em razão da rigidez constitucional insculpida em seu artigo 1º que proíbe a sabotagem do sistema socialista por qualquer organização ou indivíduo da "ditadura democrático-popular da classe operária", subordina na prática todos os 8 partidos ao partido que está no poder - pasmem - é princípio Constitucional, pesquisem no Google, "Constituição da China" - não há resultado oficial, porque a China esconde inclusive número de execuções por pena de morte, por considerar "segredo de estado"). A prática de condenação sumária a opositores do regime de partido único, garante a sobrevivência da "ditadura democrática-popular". Por outro lado, o trabalho "semiescravo" (com violação de direitos trabalhistas) de milhões de chineses (mão de obra não falta pois a China possui 1 bilhão e 600 milhões de chineses) sustenta seu projeto de Poder, que põe no chinelo o em curso no Brasil. Precisamos entender mais sobre a China, e para saber mais sem sermos iludidos pelos vários blogs pessoais (por mais absurdo que pareça, a China monitora eficientemente cada estrangeiro - tal qual o "Grande Irmão" de George Welles" - e portanto, influencia, e possivelmente interfere artificialmente, na visão pessoal de cada um desses, visando que suas visitas tenham a melhor impressão possível), há vários blogs, mas acho que os bloqueados pelo governo da China possuem informações mais relevantes, como esse: "http://pesadelochines.blogspot.com.br/2014/09/uma-nacao-chinesa-no-brasil.html#more" (copie cole esse link, ou então, digite no Google "Pesadelo Chinês").

Bia (Advogado Autônomo - Empresarial)

Rodolfo Macena (Estudante de Direito)

Seu desconhecimento de direito faz com que você confunda defesa da legalidade com defesa de acusados.
Acaso tivesses acesso aos autos? Acaso ao menos assistisses o julgamento por inteiro? Ou será que tua opinião foi formada a partir das chamadas dos jornais e de postagens nas redes sociais?

Quem fala o que não é, ouve o que não quer.

Observadordejuris (Defensor Público Estadual)

Ministro, por favor, não abuse de nossa inteligência. Pelo menos, até o presente momento, alguns ministros dessa Casa têm dado demonstração contrária, e de forma explícita, a essa sua afirmativa. Poupe-nos de jactâncias infundadas.

Judiciário - Lewandowski e Dias Toffoli

Bia (Advogado Autônomo - Empresarial)

Sr. Ministro: além dos sábios comentários anteriores, dos 2 colegas, gostaria de acrescentar: no Brasil, nunca teremos um Judiciário como "ator fundamental à manutenção do equilíbrio institucional" enquanto tivermos ministros comprometidos com qualquer partido político que seja, como, inquestionavelmente Vossa Excelência, com o PT, no julgamento do mensalão (chego a afirmar que suas defesas enfáticas em plenário, dos petistas, foi muito mais eficiente que as dos próprios advogados) e na atualidade (na qualidade de Presidente do STF, não coloca em pauta a questão tão grave e urgentíssima, do julgamento da validade do programa "Mais Médicos", verdadeiro crime de lesa-pátria, além de institucionalizar trabalho-escravo no Brasil, com as benesses do governo e do Judiciário) e o Ministro Dias Toffoli, com a excrescência de "não se julgar impedido", de forma alguma, no julgamento tanto do mensalão, como em breve futuro, do "petrolão", embora tenha em seu curriculum o "simples" fato de ter sido o advogado dos protagonistas dos crimes praticados durante sua ocorrência! Portanto, Sr. Ministro, só poderemos acreditar em sua linda fala quando, efetivamente, contribuir para que o nosso Judiciário seja, efetivamente, um equilíbrio institucional!

Discurso corretíssimo mas China totalitária seria modelo ?

Alberto Caeiro (Serventuário)

Um Judiciário atuante e protagonista se justifica para cumprir seu papel em fortalecer a Democracia em seu melhor sentido, qual seja, garantir o bem estar de uma nação, resguardando direitos universais conquistados pela humanidade, tais como saúde, educação, liberdade de pensamento, escolha do trabalho e representação política, todos recepcionados pela nossa Carta Magna de 1988. Nesse sentido, proteger a sociedade da corrupção de seus gestores seria a maior responsabilidade do Judiciário, visto que é a corrupção dentro do próprio estado quem corrói todas as demais estruturas que sustentam uma sociedade: quanto maior a corrupção de seus líderes (exemplos), pior toda a sociedade !
A China pode ser a maior potência econômica mundial, mas graças à um líder que não é louco, e ao trabalho escravo de milhões de chineses (1 bilhão e 600 milhões de chineses). A opressão rígida, com condenação sumária a opositores do regime de partido único, garante a sobrevivência da "ditadura democrática-popular". Pasmem, esta é princípio geral constitucional chinês, conforme artigo 1º de sua constituição (pesquisem no Google, digitando Constituição da China - não encontrei resultado oficial, somente este - Constituição da República Popular da China: http://bo.io.gov.mo/bo/i/1999/constituicao/index.asp )

Capítulo I - Princípios gerais
Artigo 1.º : A República Popular da China é um Estado socialista subordinado à ditadura democrático-popular da classe operária e assente na aliança dos operários e camponeses. O sistema socialista é o sistema básico da República Popular da china. É proibida a sabotagem do sistema socialista por qualquer organização ou indivíduo."

Exmo. Senhor Presidente do STF, com máxima data venia, clamo: "- Abra os olhos, há equívoco na parceria"

Desponta como coadjuvante...

PAS-adv (Servidor)

O Poder Judiciário na figura do Supremo Tribunal Federal vai entrar na História como coadjuvante no desmonte do Estado de Direito. O Julgamento do Agravo no caso do Mensalão será o epiteto do funesto momento em que o Supremo agiu contra a República pra favorecer os desmando de uma turma vermelha ideológica e claro fisiológica da nova esquerda que utilizando os Trabalhadores como muleta desejam tomar o poder na America Latina apenas como uma diversão satânica para demonstrar que Gramsci, Marx, Lenin e Lukács tinha razão em sua teoria nefasta de que seria necessário corroer os valores judaico-cristão e a cultura greco-romana do Ocidente para conseguir dominar uma Nação para implantar um socialismo falido.
Lewandowski deve se lembrar enternamente que Joaquim Barbosa, em sua PARRÉSIA, tinha razão. Trata-se uma Organização Criminosa sim fundada no Foro de São Paulo utilizando a caricatura de um ex-operário como salvador.
Graças a tecnologia está tudo gravado em vídeo em que eles confessam. Tudo no Youtube. (Na época era só ter feito esta pesquisa).
Agora estamos com o Petrolão. Será que ele ainda vai insistir na tese da inexistência de uma organização.

Assim, nào entendo que o Judiciário ajudou. Na verdade se ele tivesse agido com zelo e coragem teria interrompido a falência do Brasil e sua mancha vermelha na história.

no brasil?

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O “Poder Judiciário desponta nos últimos anos como um ator fundamental à manutenção do equilíbrio institucional, da paz social e da garantia aos direitos fundamentais dos cidadãos brasileiros”. Só se for nos outros países do bloco. E como se não bastasse, o il. Min. se faz presente graciosamente pela desumana carga tributária imposta a população brasileira.

Lewandowski - Judiciário

Renato Adv. (Advogado Autônomo - Civil)

Lewandowski: "Judiciário é ator fundamental ao equilíbrio institucional"

Prezado Senhor Ministro.
Me permita uma observação:
O conceito do senhor estaria muito correto e acertado, se, o nosso judiciário fosse produtivo, rápido, e, não é assim que acontece, pois, não atende as necessidades e anseios da população do Brasil, não funciona, e, a demora das soluções, a maioria delas perdem seus efeitos pela demora, e por uma dessas razões, o efeito didático foi parar na lixeira.

Saudações.
Renato C. Pavanelli.

Eminente Ministro

Professor Edson (Professor)

Esse é o mesmo ministro que inocentou o chefe da AP 470, disse recentemente que a corrupção é um problema cultural do Brasil, só faltou salientar que a impunidade tambem é cultural do nosso sistema de justiça, por isso mesmo num país emporcalhado pela corrupção podemos contar nos dedos os que estão presos por crimes dessa natureza.

Comentar

Comentários encerrados em 5/04/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.