Consultor Jurídico

Comentários de leitores

9 comentários

Lei processual é lei.

alvarojr (Advogado Autônomo - Consumidor)

Se o juiz não a observa, cabe ao advogado arguir a nulidade processual que favoreça o seu constituinte.
Comentaristas como Praetor e Roque (estes sim que querem ser juízes, tem uma veneração inexplicável por juízes ou qualquer outra coisa parecida) invariavelmente reduzem toda e qualquer crítica à atuação de um magistrado feita por um advogado a inveja, recalque ou outras expressões muito comuns nas letras da funkeira Valesca Popozuda.
O fato de examinarem minhas críticas dessa forma pueril não me importa. Assim com a redação do Conjur provavelmente também não dá a mínima se tacham esta publicação de tablóide ou sensacionalista, por exemplo.
Aliás, basta que eu receba honorários um pouco maiores do que de costume para justamente ser alvo de inveja dos detentores de foro por prerrogativa por função e bajuladores de plantão.
Álvaro Paulino César Júnior
OAB/MG 123.168

Nulidade agora é culpa do advogado?

Luciano L. Almeida (Procurador do Município)

Queria entender como...

Juizes

Antonio Carlos Kersting Roque (Professor Universitário - Administrativa)

O problema que vejo é que alguns advogados, acredito que sejam, gostariam de ser juizes, caro colega Paulino, o problema que os afasta dessa possibilidade se chama competência.
Abcs.

Pois é

Prætor (Outros)

Fugiu do desafio né, Paulino...
Pense melhor antes de colocar palavras na boca dos outros.
Isto é feio!

Em regra??? Onde estão as estatísticas?

alvarojr (Advogado Autônomo - Consumidor)

Se acha que manter a decisão embargada "por seus próprios fundamentos" é fundamentação suficiente de uma decisão judicial, então não me surpreende que insista que juízes "em regra" fundamentam suas decisões.
O ressentimento que tem de advogados e a forma como venera juízes com conduta nitidamente inquisitorial revela que seu único propósito ao comentar neste espaço é debochar de problemas graves que assolam o Judiciário.
Aliás, o IDDD é uma instituição séria e com muito mais credibilidade no meio jurídico que magistrados com postura nitidamente inquisitorial como Fausto de Sanctis.
Da mesma forma, o Conjur também é uma publicação séria apesar de dar espaço a comentaristas caricatos como você que se valem do anonimato para difundir essas "excentricidades".
Se vai me reputar dessa ou daquela forma, isso não me causa o menor receio.
Álvaro Paulino César Júnior
OAB/MG 123.168

Honestidade

Prætor (Outros)

Eu NUNCA disse que "juízes não precisam fundamentar suas decisões". Prove o contrário para resguardar sua honestidade intelectual!
Eu digo que os JUÍZES em regra FUNDAMENTAM suas decisões e que casos patológicos devem ser tratados como patológicos e não como regra.
De mais a mais, do jeito que se manifesta, vou passar a reputar Paulino no mesmo patamar do IDDD: quando se manifesta, algo me diz que está errado...

Falta punição.

Vladimir de Amorim silveira (Advogado Autônomo - Criminal)

O juiz teve vários processos anulados, e como prêmio foi promovido a desembargador. Ou seja, o juiz que erra muito recebe como prêmio a promoção a desembargador.

Esse tal de Praetor de novo...

alvarojr (Advogado Autônomo - Consumidor)

É preciso dizer mais alguma coisa? Vindo do sujeito que defende que juízes não precisam fundamentar suas decisões e que sempre está pronto para defender qualquer tipo de autoritarismo judicial, o que mais poderíamos esperar das suas manifestações?
E se Fausto de Sanctis acha que obter a anulação de um processo criminal no STJ é, segundo suas próprias palavras, "ganho fácil", então com certeza podemos esperar que mais processos criminais nos quais ele atue sejam anulados no STJ e STF.
Álvaro Paulino César Júnior
OAB/MG 123.168

Se o IDDD se manifesta

Prætor (Outros)

É sinal de quem se manifestou contra está certo. Simples assim.

Comentar

Comentários encerrados em 6/06/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.